terça-feira, 31 de julho de 2018

Rússia Oferece ao Brasil Assistência no Desenvolvimento de Foguetes

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada hoje (31/07) pelo site “Sputnik News”, destacando que a Rússia ofereceu ao Brasil assistência no desenvolvimento de foguetes.

Duda Falcão

AMÉRICAS

Rússia Oferece ao Brasil Assistência
no Desenvolvimento de Foguetes

Sputnik News
Atualizado 07:05 - 31/07/2018

© AP Photo / Maxim Marmur

A Rússia propôs ao Brasil assistência na criação de foguetes portadores das classes leve e média, e está aguardando a reposta do país sul-americano, contou em entrevista à Sputnik o diretor-geral da empresa Energomash, Igor Arbuzov.

"Percebemos que deveríamos entrar no mercado brasileiro com uma proposta abrangente que compreenderia não somente motores, mas foguetes e planos de modernização de cosmódromo. Algum tempo atrás, foi realizada uma rodada de negociações. Agora a bola está no campo brasileiro. Eles pegaram um tempo para pensar", assinalou Abruzov.

Ele frisou que as conversações abrangeram foguetes das classes leve e média.

Arbuzov recordou que até hoje os dois países fecharam uma série de protocolos e memorandos, inclusive documentos no que toca à participação da Rússia no desenvolvimento do centro de lançamento de Alcântara.

Em 1984, o Brasil iniciou o desenvolvimento do foguete leve VLS-1, mas os dois primeiros lançamentos acabaram por falhar, sendo seguidos por um terceiro lançamento no qual o foguete deu partida antecipada, causando a morte de 21 especialistas devido à explosão. 

Em 2003, o Brasil e a Ucrânia fecharam um acordo de cooperação que previa o lançamento comercial de satélites através de foguete de classe média Cyclon. Contudo, os atrasos nos prazos e as capacidades tecnologias insuficientes fizeram com que o governo brasileiro interrompesse a parceria com a Ucrânia em 2015.

Em vez de Kiev, Brasília solicitou assistência de Moscou na área espacial.

Em janeiro de 2017, surgiram informações de que as autoridades brasileiras estariam preparando uma proposta para os EUA quanto à utilização da base de Alcântara. Conforme o planejado, o lado brasileiro proporcionaria a Washington acesso ao cosmódromo em troca de tecnologias de foguetes. Em fevereiro de 2018, as autoridades brasileiras comunicaram estar negociando o aluguel do cosmódromo com a empresa norte-americana SpaceX.


Fonte: Site Sputniknews - http://br.sputniknews.com/

Comentário: Pois é, essa noticia é para se debater e espero que todos meus leitores o façam.

Ao Infinito e Além - Um Encontro Com a NASA em Montes Claros-MG

Olá leitor!

O Eng. Gabe Gabrielle que é educador e palestrante motivacional e atuou como diretor de engenharia do Comando Especial de Operações da Força Aérea dos EUA e como engenheiro de computação da NASA, estará dia 09/08 na cidade de Montes Claros-MG, ministrando a palestra “Ao Infinito e Além”.  O evento se realizará das 19 às 22h no auditório da Faculdade Santo Agostinho (FASA), e as inscrições podem ser realizadas pelo link: www.bit.ly/gabemoc


O engenheiro americano contará sua trajetória no programa espacial da NASA com fotos e vídeos, inspirando crianças, professores e outros profissionais. Gabe possui uma abordagem descontraída que toca as pessoas. Ele encoraja a todos a seguirem seus sonhos, não importa as circunstâncias.

Além disso, Gabe mostrará o lançamento do ônibus espacial, astronautas vivendo na estação espacial, os robôs exploradores e a curiosa jornada de pousar em Marte, além de falar do futuro do programa espacial. Um astronauta tem que estabelecer objetivos e se divertir todos os dias, assim os sonhos se tornam realidade.

ATENÇÃO: A palestra terá tradução simultânea. Para escutar, leve seu receptor de rádio FM (rádio pequeno, aparelho de MP3, telefone celular, etc) com fone de ouvido.

O Que é?

Palestra: “Ao Infinito e Além”
Ministrante: Eng. Gabe Gabrielle
Dia: 09/08
Horário: Das 19 às 22h
Local: Auditório da Faculdade Santo Agostinho (FASA)
Cidade: Montes Claros-MG
Inscrições: www.bit.ly/gabemoc

Duda Falcão

NASA Destaca Foto do Eclipse Lunar Tirada Por Brasileiro

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria postada ontem (30/07) no site do jornal “O Globo” informando que a NASA destacou foto tirada por brasileiro do eclipse lunar (Lua se Sangue) do dia 27/07.

Duda Falcão

CIÊNCIA

NASA Destaca Foto do Eclipse
Lunar Tirada Por Brasileiro

Imagem feita em Botafogo mostra Lua e Marte acima do Pão de Açúcar

Por Sérgio Matsuura
Jornal O Globo
30/07/2018 - 11:00
Atualizado 30/07/2018 - 13:13

Foto: Carlos Fairbairn
Imagem mostra a Lua eclipsada em o planeta Marte,
acima do Pão de Açúcar.

RIO — A imagem de um dos principais cartões postais do Rio de Janeiro, com a “Lua de Sangue” e o planeta Marte ao fundo, é o destaque desta segunda-feira do projeto “Astronomy Picture of the Day” (fotografia astronômica do dia), mantido pela NASA. O eclipse da última sexta-feira se tornou assunto em todo o mundo, por ter sido o mais longo do século. Ele também pôde ser visto da Oceania, Ásia, África e Europa, mas a fotografia selecionada pela agência espacial americana ressalta a composição do fenômeno com o Pão de Açúcar.

— Acho que o fato de a NASA ter escolhido essa imagem mostra como a imagem do Pão de Açúcar, um dos cartões postais do Rio, é emblemática e fotogênica, mostra como nossa cidade é lindíssima — destacou Carlos Fairbairn, autor da imagem escolhida pela NASA.

O astrofotógrafo usou um software para determinar especificamente onde a Lua nasceria e planejar como faria a imagem. Do Rio de Janeiro, cariocas e turistas puderam ver o satélite surgir no horizonte das praias da Zona Sul, em especial Copacabana e Arpoador. Da praia de Botafogo, o Pão de Açúcar bloqueava a visão no horizonte, mas a composição final com a Lua e Marte sobre o monte é espetacular.

— Eu sabia que da praia de Botafogo daria para fazer uma composição com a Lua nascendo eclipsada, Marte e o cartão postal carioca — explicou Fairbairn, destacando a presença em massa do público para a observação do eclipse. — Foi um momento muito positivo ver uma grande quantidade de pessoas utilizando um espaço público na cidade, esperando um fenômeno astronômico acontecer.

Na sexta-feira, milhares de pessoas se aglomeraram na orla do Rio de Janeiro para acompanhar o eclipse. No Forte de Copacabana, um evento especial foi organizado pela Fundação Planetário do Rio, mas as 700 senhas acabaram em poucos minutos. As pedras do Arpoador ficaram completamente tomadas pelo público, que aplaudiu o espetáculo.

— O tempo estava ótimo — afirmou Faibairn, que já teve outras fotografias destacadas pela NASA. — E Marte também estava espetacular.


Fonte: Site do Jornal o Globo - http://oglobo.globo.com

Comentário: Pois é, parabéns ao astrofotógrafo brasileiro Carlos Fairbairn.

sábado, 28 de julho de 2018

Evidências da Presença de Água Líquida em Marte São Descobertas Por Pesquisadores Com Uso de Radar

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia espetacular postada dia (25/07) no site G1” do globo.com destacando que evidências da presença de água líquida em Marte são descobertas por pesquisadores com uso de radar.

Duda Falcão

CIÊNCIA E SAÚDE

Evidências da Presença de Água Líquida
em Marte São Descobertas Por
Pesquisadores Com Uso de Radar

Estudo publicado na revista 'Science' aponta reservatório oculto
sob a superfície da região polar sul do 'Planeta Vermelho'.
Descoberta foi realizada por pesquisadores italianos.

Por Carolina Dantas, G1
25/07/2018 - 11h40
Atualizado 25/07/2018 - 21h16

(Foto: Davide Coero Borga/INAF/ESA via AP)
Imagem mostra a representação artística da sonda
Mars Express sobre o hemisfério sul de Marte. No
canto superior direito está a cobertura de gelo no
planeta. No canto inferior, a representação das
leituras de radar. Em azul, pontos interpretados
como presença de um reservatório.

Pesquisadores italianos anunciaram nesta quarta-feira (25) que há indícios de presença de água líquida em Marte. Segundo dados coletados por um radar da Agência Especial Europeia (ESA), há um "reservatório" de água líquida repousando abaixo de camadas de gelo e poeira na região polar sul do planeta vermelho.

A descoberta levanta a possibilidade de que se encontre vida no planeta, já que a água é essencial para a existência de organismos vivos. Os cientistas tentam há muito tempo provar a existência de água líquida em Marte. O estudo de pesquisadores, a maioria ligada ao Instituto Nacional de Astrofísica da Itália, foi publicado nesta quarta na revista "Science".

Marte tem água em estado líquido,
anuncia Agência Espacial Europeia.

A confirmação científica sobre como deve ser esse líquido – doce ou salgado – deverá demorar, de acordo com o doutor em astronomia pela USP, Douglas Galante. Ele diz que para conseguir isso, precisamos perfurar o solo do planeta em uma profundidade que ainda não estamos preparados.

"A certeza vai existir só quando formos lá em Marte com uma sonda perfurar e medir", disse Galante. O trabalho foi feito com a ajuda do radar da sonda Mars Express, lançada em 2003, que mediu a quantidade de água na geleira. Os dados foram coletados entre maio de 2012 e dezembro de 2015.

As próximas missões até o planeta vermelho, como a Mars 2020, deverão fazer perfurações, mas não conseguirão chegar a esse novo reservatório descoberto – os instrumentos conseguem se aprofundar apenas alguns metros, e seria necessário chegar mais fundo.

(Foto: Gregorio Borgia/AP Photo)
Pesquisadores italianos mostram réplicas dos radares
Cosm-SkyMed nesta quarta-feira (25) antes de coletiva
de imprensa; eles analisaram sinais de radares e
detectaram a presença de água líquida em Marte.

Profundidade Incerta

Outra questão é que o estudo não determina a profundidade exata do reservatório. Isso significa que os cientistas não puderam especificar se é uma piscina subterrânea, algo parecido com um aquífero ou apenas uma camada de lodo.

"Em comparação com os lagos terrestres, é um lago pequeno com seus 20 quilômetros de diâmetro. Mas não conseguimos saber a profundidade porque a água atenua o sinal do radar", disse o astrônomo autor do estudo, Roberto Orosei, em entrevista para a BBC.

"Mesmo no caso mais pessimista,
portanto, acredito que o volume de água
deve ser de várias centenas de milhões de
metros cúbicos."

(Foto: Divulgação)
Água em Marte: mapa da área investigada com
uso de radares por pesquisadores italianos.

Água em Salmoura

Antes dos pesquisadores italianos, a Nasa já tinha apontado outras evidências de água líquida em Marte. Em 2015, a agência anunciou que o robô Curiosity descobriu sinais da existência de 'salmouras' na superfície do planeta, formadas quando os sais no solo, chamados de percloratos, absorvem vapor de água da atmosfera.

"O que a gente descobriu primeiro é que existia água congelada em solo marciano. Depois, foram encontradas evidências de água escorrendo pela superfície de Marte, mas ela aparecia esporadicamente, só no verão, e era salobra. E o que esse novo trabalho mostrou? É a primeira vez que foi encontrada uma grande quantidade de água na superfície marciana em estado líquido", explicou Galante.

Esse lago, ou reservatório, é muito parecido com um outro encontrado na Antártica, o Vostok. Ele é estudado há anos por cientistas para ser uma referência – eles querem entender se é possível a proliferação de vida no local.

Além disso, ainda em 2015, a Nasa apontou que o "Planeta Vermelho", por sua distância do Sol, seria muito gelado para conseguir manter água na forma líquida na superfície, mas os sais no solo poderiam diminuir seu ponto de congelamento, permitindo a formação de camadas de água bem salgada – como uma salmoura.

O que é importante entender é que esses sais na água de Marte, os percloratos, podem não ser os melhores para proliferação de organismos vivos e são tóxicos. Pesquisadores mostram, no entanto, que há alguns tipos de vida que poderiam viver nessa salmoura do planeta vermelho.

"Há muito tempo já dizia que a superfície de Marte seria inabitável por causa desse sal. Mas desde 2017 estão saindo trabalhos mostrando micro-organismos na Terra que são resistentes. Quem sabe eles também estão em Marte?", completou.

Material Orgânico

Neste ano, a Nasa publicou também na revista "Science" que descobriu material orgânico preservado entre rochas (argilitos) com cerca de três bilhões de anos em cratera do planeta Marte. Os cientistas acreditam que pode ser uma evidência de vida no passado.


Fonte: Site “G1” do globo.com – 25/07/2018

Comentário: Pois é leitor, uma grande notícia que deverá ajudar na decisão humana de se acelerar as pesquisas e o desenvolvimento tecnológico que permita nos próximos anos a viajem para o planeta Marte. Aproveitamos para agradecer ao nosso leitor Rui Botelho pelo envio desta notícia e ao leitor Jahyr Jesus Brito pelo envio do vídeo que acompanha a matéria.

sexta-feira, 27 de julho de 2018

Astronauta Marcos Pontes Diz Que Aceitaria Ser Vice de Bolsonaro

Olá leitor!

Segue abaixo uma interessante notícia publicada ontem (26/07) no site da revista “EXAME” destacando que Astronauta Marcos Pontes disse que aceitaria ser vice do candidato a Presidência da Republica Jair Bolsonaro.

Duda Falcão

BRASIL

Astronauta Marcos Pontes Diz
Que Aceitaria Ser Vice de Bolsonaro

Também militar da reserva, Pontes foi cogitado por Bolsonaro
para ser seu ministro de Ciência e Tecnologia

Por Reuters
26 de julho de 2018, 22h10

(Marcos Pontes/Divulgação)
"Se eu for escolhido, excelente, está aceito, eu vou
ajudar no que for necessário", disse o astronauta.

São Paulo – O astronauta brasileiro Marcos Pontes disse em vídeo publicado nas redes sociais que aceita tornar-se candidato a vice-presidente na chapa encabeçada pelo deputado Jair Bolsonaro (PSL), caso seja convidado.

Pontes, que está em Portugal e também é filiado ao PSL, fez o vídeo após conversar com o líder do PSL na Câmara, Major Olimpio (SP), que é pré-candidato ao Senado pelo partido.

“De repente eu vi essa notícia que, de repente, eu posso até ser considerado para o cargo de vice-presidente da República, eu fiquei extremamente honrado com isso, logicamente. É só uma possibilidade, existem várias pessoas no grupo extremamente qualificadas”, disse Pontes.
“Se eu for escolhido, excelente, está aceito, eu vou ajudar no que for necessário. Se não, eu vou torcer muito e ajudar de qualquer forma para que a gente tenha um país melhor.”

Bolsonaro, que é capitão da reserva do Exército, vem encontrando dificuldades para encontrar um companheiro de chapa na eleição presidencial de outubro. Ele lidera as pesquisas de intenção de voto nos cenários sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que pode ficar impedido de entrar na disputa pela Lei da Ficha Limpa.

Inicialmente, Bolsonaro cortejava o senador Magno Malta (PR-ES), mas o parlamentar disse que pretende concorrer à reeleição para o Senado e seu partido, integrante do blocão, fechou com o pré-candidato do PSDB, Geraldo Alckmin.

Bolsonaro partiu então à procura de um novo nome, e o candidato chegou perto de anunciar o general da reserva do Exército Augusto Heleno, do PRP, como seu companheiro de chapa. Mas a cúpula do PRP considerou melhor investir em sua bancada federal e não embarcar na empreitada.

Outro nome cogitado foi o da advogada Janaína Paschoal que ficou nacionalmente conhecida por ter sido uma das autoras do pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

O “plano C” teria sido abandonado após discurso da advogada em tom moderado na convenção do partido levarem pessoas próximas a Bolsonaro a aconselharem a escolha de outro quadro.

Também militar da reserva, Pontes foi cogitado por Bolsonaro para ser seu ministro de Ciência e Tecnologia.

Ele passou 10 dias no espaço em 2006, sendo oito deles na Estação Espacial Internacional, a serviço da Agência Espacial Brasileira (AEB), em um acordo com a Rússia que teve um custo de 10 milhões de reais ao governo brasileiro.

Após sua ida para a reserva da Aeronáutica, depois da missão na estação, Pontes passou a dar palestras. Ele afirma que sua ida para a reserva foi uma decisão tomada pelo Comando da Força Aérea “por conta de questões administrativas”.


Fonte: Site da Revista EXAME - 26/07/2018 - http://exame.abril.com.br/

Comentário: Bem leitor em minha modesta opinião o nossa Astronauta seria muito mais útil como Ministro de Ciência e Tecnologia, ajudando na transição de nossa pífia Agência Espacial para a Presidência da República, ajudando e indicando (se possível) na escolha dos gestores da mesma, estabelecendo convênios entre o ministério e seus órgãos científicos em projetos conjuntos, bem como evidentemente estimulando o desenvolvimento da ciência e tecnologia no país. Espero sinceramente que o Marcos venha a ter esta mesma visão.

quinta-feira, 26 de julho de 2018

Satélites e Jogo Sobre Futuro da Terra São Algumas das Atrações do INPE na SBPC

Caro leitor!

Segue abaixo uma nota postada dia (24/07) no site oficial do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacando que Satélites e Jogo Sobre Futuro da Terra são algumas das atrações do instituto na SBPC.

Duda Falcão

NOTÍCIA

Satélites e Jogo Sobre Futuro da Terra São
Algumas das Atrações do INPE na SBPC

Por INPE
Publicado: Jul 24, 2018

São José dos Campos-SP, 24 de julho de 2018

Aprender a montar um nanossatélite e participar de um jogo pela sobrevivência da Terra estão entre as atividades propostas pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) durante a ExpoT&C, que acontece até sábado (28/07) durante a 70ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC).

A exposição, gratuita, está aberta das 9h às 18h no campus da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), em Maceió.

Nesta edição da SBPC, o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) exibe seus principais programas e atividades em eixos temáticos – o INPE participa em "Espaço" e "Biomas e Clima".

No eixo Espaço, estão as maquetes dos satélites SCD, o primeiro desenvolvido pelo Brasil, e do CBERS, realizado em parceria com a China, além de uma réplica do Tancredo-1, este construído por alunos de uma escola pública de Ubatuba (SP) com o suporte de engenheiros do INPE.

Em Biomas e Clima, os visitantes poderão saber mais sobre meteorologia e sistemas que monitoram o desmatamento por satélites. No mesmo espaço está o "Gaia em Jogo", que usa um tabuleiro para incentivar a reflexão, de maneira divertida, sobre como reagir frente às ameaças das mudanças climáticas globais e o futuro da Terra.

Programas como o PRODES, que monitora o desmatamento na Amazônia, e CBERS, na área de engenharia de satélites, completam 30 anos em 2018 e estão representados na ExpoT&C, assim como outras importantes atividades desenvolvidas pelo INPE ao longo de seus 57 anos.

Gaia em jogo.


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

INPE Amplia Monitoramento da Amazônia Com Dados da Nova geração de Satélites Ambientais

Caro leitor!

Segue abaixo uma nota postada dia (24/07) no site oficial do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacando que o instituto amplia Monitoramento da Amazônia com dados da nova geração de satélites ambientais.

Duda Falcão

NOTÍCIA

INPE Amplia Monitoramento da Amazônia Com
Dados da Nova geração de Satélites Ambientais

Por INPE
Publicado: Jul 24, 2018

São José dos Campos-SP, 24 de julho de 2018

Os satélites são ferramentas importantes para estudar as mudanças que ocorrem nos ecossistemas terrestres e oceânicos. Através de tecnologias espaciais é possível responder questões sobre as mudanças climáticas, bem como observar as alterações que ocorrem na cobertura vegetal dos biomas e monitorar os recursos naturais de forma geral. O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) possui infraestrutura para recepção, armazenamento e processamento de imagens de satélites, em seu Centro de Dados de Sensoriamento Remoto (CDSR).

As atividades de recepção de imagens iniciaram na década de 1970, com ERTS-1, o primeiro satélite da série Landsat, desenvolvido pela Administração Nacional do Espaço e da Aeronáutica dos Estados Unidos (NASA). Os dados de satélites meteorológicos e de Observação da Terra, como Landsat-7 e Landsat-8, Resourcesat-2 e o CBERS-4 têm sido usados no desenvolvimento de projetos do INPE para o monitoramento do desmatamento e degradação da Amazônia.

“O Centro de Dados de Sensoriamento Remoto do INPE é referência na disseminação de dados e imagens de satélites no mundo. Sua infraestrutura atende a comunidade de usuários de imagens, que são usadas em diversas aplicações de sensoriamento remoto. Esse é um exemplo claro de uso pacífico do espaço”, diz a pesquisadora Josiane Mafra, da Divisão Geral de Imagens, ligada à Coordenação de Observação da Terra do INPE.

Realizar melhorias nos sistemas de recepção, armazenamento, processamento e distribuição de imagens de satélites, ampliando e aprimorando o monitoramento ambiental por satélites que o INPE realiza, foi um dos objetivos do Projeto Monitoramento Ambiental por Satélites no Bioma Amazônia (MSA), financiado pelo Fundo Amazônia e executado pelo INPE em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Promover melhorias nos serviços que o INPE realiza é tarefa essencial para a utilização de dados de novos satélites nas ações de prevenção e controle do desmatamento e incêndios florestais na Amazônia brasileira. Informações fornecidas pelos satélites CBERS-4, LANDSAT-8, RESOURCESAT-2 e UK-DMC-2, bem como pelos satélites meteorológicos NPP, NOAA, METOP-B, GOES e METEOSAT, ampliaram consideravelmente a quantidade e qualidade das imagens disponíveis aos usuários.

O INPE possui hoje três estações desse tipo, duas em Cuiabá (MT) e uma em Cachoeira Paulista (SP).  A Estação de Recepção e Gravação (ERG) de dados de satélites de Cuiabá conta com dois sistemas completos de antenas de Banda X, uma com 10m de diâmetro e outra com 11m. Ambas formam um sistema único e flexível, com diferentes equipamentos receptores, cuja configuração é realizada através de um computador central que funciona como console único de operação. A ERG de Cuiabá conta também com mais dois sistemas menores capazes de receber a família de satélites meteorológicos. Já a ERG de Cachoeira Paulista possui uma antena de Banda X com 5,4m de diâmetro e uma segunda antena com 2,8m de diâmetro, que são responsáveis pela recepção dos satélites de sensoriamento remoto e também meteorológicos.

Constantes melhorias e aperfeiçoamentos são implementados na infraestrutura de armazenamento e processamento do INPE, tais como aquisição de discos e servidores de alto desempenho, aquisição de peças e equipamentos de sistema de recepção e aquisição de peças para manutenção elétrica e de ar condicionado do Centro de Dados. Anualmente o CDSR/INPE cresce em torno de 50 Tb de dados, os quais mantêm disponíveis através do seu catálogo de imagens.

SPRING

Além da infraestrutura de recepção e processamento dos dados de satélites, o Projeto MSA também incluiu o aperfeiçoamento e ampliação das funcionalidades do Sistema de Processamento de Informações Georeferencidas (SPRING), utilizado para aprimorar a qualidade dos dados usados no monitoramento do desflorestamento. O SPRING é um software livre para tratamento de imagens e informação geográfica, em contínuo desenvolvimento pelo INPE desde a década de 1990 e hoje conta com mais de 241.000 usuários cadastrados no Brasil e no exterior.

“O SPRING é um Sistema de Informação Geográfica (SIG) no estado-da-arte com funções de processamento de imagens, análise espacial, modelagem numérica de terreno e consulta a bancos de dados espaciais. É um mecanismo eficiente de difusão do conhecimento desenvolvido pelo INPE e seus parceiros. Dentre as diversas melhorias presentes na versão atual, destacamos a utilização da biblioteca Terralib 5.2 e atualização de bibliotecas externas, tais como, Libtiff, Libfreetypes, Libshapefile, entre outros”, conta o pesquisador Carlos Felgueiras, da Divisão de Processamento de Imagens do INPE.

Segundo Felgueiras, das ações desenvolvidas no decorrer do Projeto MSA para o aperfeiçoamento e ampliação das funcionalidades do SPRING, “destacam-se ainda a inclusão de novos segmentadores e classificadores de imagens de sensoriamento remoto; a atualização dos filtros de restauração para os sensores das imagens dos satélites CBERS-4 e LandSat-8; a leitura e armazenamento de formatos de imagens BigTiff e informações em arquivos no formato CSV; expansão da função de recorte para vários polígonos, e inclusão do gerenciador de  banco de dados SqlServer”.

DETER-C

Durante o Projeto MSA, o INPE também desenvolveu um novo sistema para monitoramento contínuo do desmatamento e degradação florestal na Amazônia, usando a combinação de dados de diferentes satélites da classe LANDSAT, que possui resolução espacial de 30 metros, como por exemplo, o CBERS-4 MUX (20 m), RESOURCESAT-2 LISS3 (23 m), DMC-2 (22 m) e mais recentemente SENTINEL-2A MSI (10 m). O DETER-C é um aprimoramento do Sistema Detecção de Desmatamento em Tempo Real (DETER), que o INPE colocou em prática em 2004 como forma de contribuição ao Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia Legal (PPCDAm), do Ministério do Meio Ambiente (MMA).

O sistema DETER apresenta resolução moderada de 250 metros e capacidade de detecção de novos polígonos de desmatamentos com no mínimo 25 hectares. Em 2014, foi lançado o DETER–B, que utiliza dados de imagens na resolução aproximada de 60 metros (Satélites RESOURCESAT-2 – AWiFS; CBERS-4 – WFI), permitindo assim a detecção de polígonos de desmatamento com área mínima de três hectares.

“Desde o início do monitoramento da Amazônia pelo INPE, o padrão de desmatamento mudou bastante. Se antes o desmatamento estava concentrado na abertura de grandes áreas contíguas, atualmente observamos que muitas áreas pequenas compõem grande parcela da degradação. Isso tornou essencial o aprimoramento do sistema de monitoramento, sobretudo com aumento das resoluções espacial e temporal dos sensores”, explica Dalton Valeriano, pesquisador da Divisão de Sensoriamento Remoto do INPE e coordenador do Programa Amazônia.

O DETER-C tem a capacidade de detecção de polígonos de desmatamentos de um hectare ou maior e com capacidade de mapeamento para eventos maiores que três hectares. Além disso, com esta resolução espacial, o sistema é capaz de discriminar com exatidão, além do desmatamento, áreas afetadas por exploração de madeira por corte seletivo que muitas vezes precedem o desmatamento, assim como as áreas degradadas por incêndios florestais, que frequentemente ocorrem após o ciclo de exploração madeireira.

Projeto Monitoramento Ambiental por Satélites no Bioma Amazônia (MSA) teve início em 2014 para apoiar o desenvolvimento de estudos sobre usos e cobertura da terra no bioma Amazônia, bem como a ampliação e o aprimoramento do monitoramento ambiental por satélites realizado pelo INPE. Foi executado pelo Instituto através de sua instituição de apoio, a Fundação de Ciência, Aplicações e Tecnologias Espaciais (FUNCATE) e o BNDES, com recursos do Fundo Amazônia. Nos dias 13 e 14 de agosto, no INPE em São José dos Campos ocorre o seminário de encerramento do projeto, onde serão apresentados e discutidos os resultados obtidos durante sua execução.


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

quarta-feira, 25 de julho de 2018

Eng. Lucas Fonseca é Agraciado Pelo IISC Com Prêmio Internacional

Olá leitor!

Notícia bombástica, onde seu protagonista (neste momento se deslocando de São Paulo para Maceió, onde amanhã ministrará palestra na “70ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC)”), nos confessou ainda esta atordoado.

Eng. Lucas Fonseca
Pois então leitor, me refiro ao grande realizador e educador Eng. Lucas Fonseca que, pasmem galera, acaba de ser premiado pelo “International Institute of Space Commerce (IISC)” com o prêmio “2018 35 Under 35”, ou seja, o nosso distinto engenheiro foi escolhido por esta instituição um do 35 jovens abaixo de 35 anos que estão revolucionando a maneira como a humanidade lida com o espaço. Um prêmio de grande relevância internacional.

Vale informar que o IISC é uma iniciativa que nasceu na Internacional Space University (ISU) tendo como objetivo discutir como o espaço vai impactar a vida das pessoas daqui pra frente.

O prêmio leitor é ainda mais relevante se levarmos em conta os integrantes do comitê de seleção, composto pelos seguintes membros:

* Rob Alexander - Diretor Executivo do IISC

* Chris Stott - CEO da ManSat

* Soyeon Yi - Astronauta, Autora e Oradora Inspiradora

* Jose Hernandez - Astronauta e CEO da Tierra Luna Engineering

* Noah Rhys - Presidente da YetiSpace

* Chris Hadfield - Astronauta, Autor e Apresentador de Televisão

O Blog BRAZILIAN SPACE parabeniza ao Eng. Lucas Fonseca pelo premio conquistado que só vem confirmar o grande trabalho que ele vem realizando desde que retornou ao Brasil vindo da Europa.

Veja abaixo a lista com os 34 dos 35 premiados.

Duda Falcão

STATE OF THE INDUSTRY
SPECIAL EDITION

IISC 35 UNDER 35
CLASS OF 2018

1- Blair Bigelow                 United States                VP Corporate Strategy     Bigelow Aerospace

2- Temidayo Oniosun         Nigeria                           Research Scientist          University of Tech Akure

3- Ruth Hextell                   United States                Reliability Engineer         Bastion Technologies

4- Eiodie Viau                     France                            Senior Mgr Sat Pgms     SES

5- Mariel Rico                     United States                Safety Engineer             SAIC

6- Noah Paul-Gin                 United States              Pgm lead Engineer          Made in Space

7- Austin Dula                     United States               Attorney-Partner             Pennington Kumar & Dula

8- Ty Johnson                     United States               Avionics Technician       Made in Space

9- Ian Christensen              United States               Dir of Private Pgms         Secure World Foundation

10- Marilyn Ferguson            United States              Computer Scientist         Blue Origin

11- Takiyah Simons              United States              Sr. Research Scientist    Leidos Corporation

12- Vinita Marwaha Madill   United Kingdom           Space Ops Engineer        European Space Agency

13- Clementine Decoopman France                         Executive Director           Space Generation Advisory Council

14- Beth Downer                  Canada                         President                          Reaching Space Science

15- Paul Lemon                    United States              Prop Engineer                    Boeing Company

16- Marcel Kaufmann          Germany                      Phd Candidate                   Ecole Polytechnique de Montreal

17- Nate McIntyre                United States              Advisor Industry Affairs     FAA Office of Commerical Space Transportation

18- Alan Sisson                    United States              VIPER Engineer                 Summit Technologies Solutions

19- Gadhadar Reddy            India                             CEO                                   NoPo Nanotechnologies

20- Shen Ge                         United States              Independent Contractor    Host “Shen Show on Space”

21- Minoo Rathnasabapathy  South Africa               Former Exec Director       Space Generation Advisory Council

22- Natalia Larrea Brito        Spain                         Senior Consultant                                      Euroconsuit

23- Mary Hill                          United States            Operations Manager                                             Systems Planning and Analysis

24- Joel Spark                      Canada                      Co-Founder and Chief Tech Officer            Spire Global Imc

25- Tamara Statham             United States            SLS Trajectory-Range Safety Analyst              Jacobs Space Exploration Group

26- Naveen Vetcha                United States           Liquid Propulsion Analyst                          Jacobs ESSCA/ERC

27- Patrick Harvey                 United States           System Engineer                                        Virgin Orbit

28- Lucas Fonseca                 Brazil                        CEO                                                            Airvantis

29- Sinead O' Sullivan            Irleand                      Research Fellow                                       U.S. Center for Climate Secty

30- Joseph Walker                 United States            Team Lead                                                Bastion Technologies

31- Christina Aas                    Norway                     Co-Founder                                                Science Technology AS

32- Giancario Villena              Peru                          National POC                                             Space Generation Advy Council

33- Leslie Smith                      United States           Prop Engineer                                            Marshall Space Flight Center

34- Tahir Merali                       Canada                     Project Management Engineer                  Canadian Space Agency