terça-feira, 12 de junho de 2018

Especialistas Brasileiros e Alemães Traçam Diretrizes Para o Futuro da Área Espacial

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (12/06) no site da “Agência Espacial Brasileira (AEB)” destacando que Especialistas Brasileiros e Alemães traçam diretrizes para o futuro da Área Espacial.

Duda Falcão

INSTITUCIONAL

Especialistas Brasileiros e Alemães Traçam
Diretrizes Para o Futuro da Área Espacial

Coordenação de Comunicação Social
Publicado em: 12/06/2018 - 11h08
Última modificação: 12/06/2018 - 11h36


A Agência Espacial Brasileira (AEB) e o Centro Aeroespacial Alemão (DLR) participam no período de 11 a 13 de junho, na sede da AEB em Brasília, de uma edição inédita do Brazilian-German International Technical Workshop.  O evento constitui oportunidade para que os laços de uma longa parceria se reflitam em acordos e programas de sucesso.

O workshop deverá operar como plataforma para o alinhamento de diretrizes relacionadas ao desenvolvimento e à implementação de projetos conjuntos. A AEB e o DLR cooperam, atualmente, em quatro grandes projetos, sendo o Veículo Lançador de Microssatélites (VLM-1) o principal deles. Os demais projetos incluem o desenvolvimento de motores a propulsão líquida e sólida (Projeto L75 e Projeto CaSSIS), o desenvolvimento de um veículo suborbital (VS-50) e o fornecimento de um veículo de sondagem certificado para experimentos em microgravidade (VSB-30).

Segundo o presidente da AEB, José Raimundo Braga Coelho, a parceria com entidades alemãs, notadamente o DLR, além de ter um foco muito claro nas aplicações pacíficas de ciência e tecnologias espaciais, o que se dá em consonância com as diretrizes do Comitê das Nações Unidas para o Uso Pacífico do Espaço Exterior (COPUOS), constitui um vantajoso exemplo de práticas bem-sucedidas de cooperação entre Brasil e Alemanha.

Para o diretor de Transporte Espacial e Licenciamento Rogério Veríssimo, as atuais discussões sobre a definição de um projeto mobilizador para o segmento objetivam o desenvolvimento da indústria espacial brasileira, com ênfase permanente nos aspectos duais (civis e militares) de seus produtos. “A cooperação com o DLR deve fomentar a progressiva maturação de novas tecnologias, além de reforçar os históricos laços entre os dois países”, afirmou Veríssimo.

Pelo lado alemão, o chefe do Departamento de Sistemas Lançadores do DLR, Dr. Claus Lippert, registrou a importância do apoio às atividades de ciência e tecnologia e a pertinência da união de esforços no intuito de dinamizar o setor espacial, bem como assegurar o uso racional dos recursos orçamentários a ele destinados. Reafirmando o sucesso da parceria entre Alemanha e Brasil, acrescentou: “Sabemos como cooperar e queremos continuar a fazê-lo”.

Workshop Técnico

Idealizado pela Diretoria de Transporte e Licenciamento Espacial da AEB, o Brazilian-German International Technical Workshop prevê discussões de alto nível acerca dos projetos que envolvem a AEB e o DLR. Especialistas dos dois países seguem programação intensa até quarta-feira (13.06), revisando cronogramas, iniciativas conjuntas, entregas e oportunidades de mútuo interesse.

O workshop reúne, ainda, representantes do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), da Comissão de Coordenação e Implantação de Sistemas Espaciais do Comando da Aeronáutica (CCISE) e a Divisão do DLR Moraba, responsável pelo desenvolvimento de veículos espaciais.


Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

Comentário: Bom leitor, sempre achei que esta parceria com os alemães poderia render diversos dividendos tecnológicos para o Brasil, desde que fossem negociada de forma igualitária e desde que o Brasil não perdesse o controle dessas negociações, e realmente rederam por um bom tempo, não há como negar isso e o foguete VSB-30 (entre outros) é um grande exemplo disso. Entretanto desde o final da década essa balança tem virado pro lado dos alemães, tirando inclusive do Brasil o controle do projeto do VLM-1 e sabe-se lá o que mais. Assim sendo, no momento em que temos um reconhecido banana incompetente a frente dessas negociações, plagiando os religiosos de plantão eu diria, só mesmo Deus sabe o estrago que disso poderá resultar. Que os Deuses Astronautas nos ajude.

Nenhum comentário:

Postar um comentário