quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Instituto de Estudos Avançados (IEAV) Dá Um Grande Passo na Conquista do Vôo Hipersônico

Olá leitor!

Segue uma nota postada (19/02) no site do Instituto de Estudos Avançados (IEAv) destacando que o instituto dá finalmente um dá um grande passo na conquista do Vôo Hipersônico.

Duda Falcão

Instituto de Estudos Avançados (IEAV) Dá Um
Grande Passo na Conquista do Vôo Hipersônico

IEAv – Instituto de Estudos Avançados
19/02/2018


A Concepção Estratégica “Força Aérea 100” tem por finalidade precípua estabelecer a visão para a Força Aérea Brasileira (FAB), ao completar “100 anos” de sua criação. Assim, tem por finalidade orientar a construção da capacidade militar desejada, buscando compor o esforço principal da Defesa Nacional, bem como balizar o Planejamento Estratégico da Força, cujo cumprimento resulta em configurações de forças militares aptas para a consecução da missão constitucional.


Conceitos desafiadores representam a intrínseca visão inovadora dos profissionais do ar e espaço. É nesse contexto que surgiu o Projeto 14-X, atualmente desenvolvido pelo Instituto de Estudos Avançados – IEAv. Ele utilizará o próprio ar atmosférico como oxidante para a queima do hidrogênio líquido (combustível), levando oxigênio somente para a queima do combustível no trajeto fora da atmosfera terrestre.

A fim de desenvolver avançar com o Projeto, o Comando da Aeronáutica firmou um contrato com a Empresa Orbital Engenharia, a fim de que a mesma fornecesse serviços de Confecção de Projeto Executivo do Projeto de Engenharia de Sistemas para Integração do Demonstrador Tecnológico Scramjet 14-X S a um Veículo Lançador de Referência. Tal trabalho se encontra dividido em quatro Fases, quais sejam: Definição da Missão; Configuração do Sistema Integrado; Projeto Preliminar; e Projeto Detalhado.


No dia 29/01/2018, a Empresa Orbital Engenharia entregou a primeira etapa do contrato, oportunidade esta em que foi realizada uma solenidade formal, à altura da importância que a referida etapa representa para o projeto. Equipes do IEAv e da Orbital se reuniram na Empresa e os documentos foram entregues pelo Sócio Majoritário, Dr. Celio Costa Vaz ao Dr. Israel, fiscal do contrato do IEAv.

Segundo o Dr. Israel, o domínio da tecnologia hipersônica gera um grande diferencial de poder, na medida em que se mostra como um dos meios mais eficientes de acesso ao espaço, podendo ser utilizada para colocar satélites em órbita e fazer vôos suborbitais. Além disso, tal tecnologia pode ser usada em outras áreas como em mísseis intercontinentais ou na aviação civil, onde uma viagem de São Paulo a Londres duraria cerca de uma hora.

O Cel Av Lester de Abreu Faria, Diretor do IEAv, ressalta ainda que “com o domínio desta tecnologia, o Brasil passa a ter a oportunidade inédita de seguir na dianteira de uma linha de pesquisa avançada em um momento estratégico, uma vez que nenhum país no mundo domina a tecnologia dos motores hipersônicos. Outros países que buscam dominar essa tecnologia são os Estados Unidos, Japão, Austrália, Rússia e China,os quais estão atualmente em igualdade de condições com o Brasil na referida corrida tecnológica.”

A previsão é que o 14-X faça seu primeiro voo teste em 2020 e será capaz de atingir dez vezes a velocidade do som (12.258 km/h).



Fonte: Site do Instituto de Estudos Avançados (IEAv)

Comentário: Bom leitor, tenho um respeito muito grande por todos os institutos militares de ciência e tecnologia do país, aí incluído o IEAv, porem não tenho como levar uma notícia desta a sério, principalmente quando o instituto coloca o Brasil nesta área em pé de igualdade com o que está sendo feito nos Estados Unidos, Japão, Austrália, Rússia e China, o que não é verdade, já que todos esses países já realizaram pelo menos um voo hipersônico, enquanto o 14X não passou até hoje de apresentações em power point e vem adiando seu primeiro voo atmosférico desde 2011. Sinceramente espero que essa nova previsão de voo em 2020 se cumpra, e essa novela tenha um fim. Vamos aguardar os acontecimentos. Aproveitamos para agradecer a nossa leitora Mariana Amorim Fraga pelo envio dessa notícia.

2 comentários:

  1. Respostas
    1. Olá Ricardo!

      Se essa enrolação realmente acabar, muito provavelmente o foguete que ja estava planejado, ou seja, o VSB-30.

      Abs

      Duda Falcão
      (Brazilian Space)

      Excluir