segunda-feira, 24 de julho de 2017

Operação HIFIRE-4 - Houve Participação Brasileira?

Olá leitor!

No dia 12/07 passado as agencias de notícias internacionais anunciaram que pesquisadores da Universidade de Queensland  (UQ) da Austrália, em parceria com o Grupo de Ciência e Tecnologia da Defesa (Grupo DST) da Austrália, o Laboratório de Pesquisa da Força Aérea dos EUA (AFRL), a Boeing e a BAE Systems, realizaram sem muito alarde, da Base de Woomera, localizada no sul da Austrália, mais um lançamento do programa “International Flight Research Experimentation (HiFIRE)”.Tratou-se na realidade do lançamento bem sucedido da Operação HIFIRE-4. (veja abaixo o vídeo deste lançamento)


Porém o leitor deve está se perguntando, e daí Duda, o que o Brasil tem haver com isso? Bom na realidade a participação brasileira no Programa HIFIRE tem sido significativa fornecendo aos australianos e americanos (graças a parceria do DLR MORABA alemão com esse programa) foguetes para realização dos experimentos ligados a este programa de desenvolvimento hipersônico.

Ate o momento o Brasil já participou das seguintes operações deste programa:

* Operação HIFIRE 3 - Foguete VS-30/Orion VO7 - lançado em 13/09/2012 (bem sucedido)

* Operação HIFIRE 5A - Foguete VS-30/Orion ? – lançado em 25/04/2012 (falha do foguete)

* Operação HIFIRE 7 - Foguete VSB-30 V 13 – lançado com 30/03/2015 (bem sucedido)

* Operação HIFIRE 5B - Foguete VS-30/Orion V 12 – lançado em 18/05/2016 (bem sucedido)

Pois é, além do Brasil ter participado também de um outro experimento hipersônico ligado aos pesquisadores da  Universidade de Queensland (UQ) que foi a:

* Operação SCRAMSPACE IFoguete VS-30/Orion V09 – lançado em 18/09/2013 (falha do foguete)

O que acontece é que (pelo menos até meados de 2014) o foguete previsto para o lançamento deste experimento da Operação HIFIRE-4 era o brasileiro VSB-30, mas em nenhuma das notícias internacionais que verifiquei consegui confirmar o uso de nosso foguete neste voo, além de que o próprio Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) até este momento não se pronunciou sobre esta questão.

Peço a ajuda dos nossos leitores especializados que por gentileza usem a foto abaixo para fazer esta identificação. Será um VSB-30 pintado com outras cores? Ou perdermos o nosso espaço neste programa?

Será um VSB-30???
Experimento HIFIRE-4

O intrigante também é que em nenhuma nas notícias internacionais que verifiquei o DLR MORABA teve seu nome citado o que me leva a crer que não tenha sido um foguete VSB-30, enfim...

Duda Falcão

2 comentários:

  1. Olá Duda,

    Fiz um rápida comparação, não sou especialista, mas podemos perceber bastante diferenças estruturais, na minha opinião é outro foguete, pois mudar a estrutura é algo de natureza substancial, não uma simples configuração.

    http://imgur.com/a/umhCM

    Att,
    Everton

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Everto!

      Verdade amigo, mas desconfio que se não foi o VSB-30, pelo menos um desses motores pode ter origem brasileira, mas precisamente o do primeiro estágio. No entanto, prefiro aguardar que algum especialista da área se manifeste com uma opinião embasada.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir