domingo, 28 de maio de 2017

Governo do Maranhão Debate Com o ITA a Criação de Rede de Doutorado Profissional em Engenharia Aeroespacial

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada dia (26/05) no site da “Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI) do Governo do Estado do Maranhão, destacando que  o governo deste estado esta discutiu em reunião com Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA) a criação de uma Rede de Doutorado Profissional em Engenharia Aeroespacial.

Duda Falcão

Governo Debate Sobre Rede de Doutorado
Profissional em Engenharia Aeroespacial

SECTI
26/05/2017 -  1:34

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI), fortalece cada vez mais o setor aeroespacial no Maranhão. Inicialmente, a primeira turma do Curso de Mestrado Profissional em Engenharia da Computação e Sistemas Aplicados à Engenharia Aeroespacial. Agora, outro passo importante: a discussão a respeito da criação da Rede de Doutorado Profissional em Engenharia Aeroespacial, que foi a pauta da reunião realizada na tarde desta quarta-feira (24). O dialogo está sendo estabelecido com a Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA).

Segundo o secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação, Jhonatan Almada, essas ações são o cumprimento de uma meta do plano da SECTI, que prevê as principais ações para a ciência, tecnologia e inovação no Maranhão.

“Para a secretaria é um momento de congraçamento e de alegria, pois estamos enxergando um avanço concreto nesta área e agora em rede com a formação de quadros técnicos de pesquisadores que irão internalizar os possíveis ganhos que a base de Alcântara trará para o Estado”, disse o secretário.

Jhonatan Almada enfatizou ainda que o Maranhão, pela primeira vez, e de forma decisiva, contribui para a formação do quadro no setor espacial brasileiro e pretende com isso dar a sua contribuição em relação ao programa aeroespacial do país.

De acordo com o professor da UFMA Allan Kardec, a ação é muito significativa. “A Rede tem o foco em formar doutores interligados que inclui o Maranhão, Ceará e Rio Grande do Norte ao longo do desenvolvimento da iniciativa poderemos ampliar contando com a parceria de outros estados, mas hoje iniciamos a criação dessa rede. Esse também é um resultado da Escola de Altos Estudos no setor aeroespacial”, contou.

O professor Henrique Mariano, da UEMA, destacou que essa iniciativa só vem a somar. “Os cursos de pós-graduação em rede funcionam de maneira que todas as instituições que estão interligadas oferecem o mesmo produto. O corpo técnico é formado também pelos docentes das universidades que compõe o projeto, o que vai contribuir com a criação do doutorado profissional. É uma iniciativa maravilhosa, nós temos o mestrado nessa área, a graduação na UFMA, e isso contribui para formar pessoas para a área”, explicou.

Para Jarbas Silveira, professor do departamento de engenharia da informática da Universidade Federal do Ceará, é superimportante formar essa rede. “Esta rede se desenvolve com o apoio da SECTI, e com isso o Maranhão está como catalizador desse momento, discutir isso e executar é fundamental”, relatou.

Luiz Goes, professor do Instituto Tecnológico da Aeronáutica, reitera que a iniciativa é de grande relevância. “É um esforço conjunto para desenvolver o setor aeroespacial no Nordeste, a ação introduz muita sinergia e complementa as várias competências que são desenvolvidas nas universidades, agregando um fortalecimento maior a uma massa crítica para a realização de diversos projetos no setor das Forças Armadas e Centro de Lançamento de Alcântara”, reiterou o professor.

“Excelente oportunidade! Englobar todos em um grande projeto visando o desenvolvimento do aeroespacial. Os dois centros de lançamentos do Brasil estão situados no Nordeste, nada mais natural que os pesquisadores somem forças para produzir novos conhecimentos e haja a formação de uma nova geração de nessa área”, ressaltou Gilvan Luiz Borba, professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Foto do encontro em que foi discutido a criação desta rede.

Fonte: Site da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI) do Estado do Maranhão - http://www.secti.ma.gov.br

Comentário: Tá tudo muito bem, mas para formar novos profissionais para qual horizonte de eventos? Este que está ai, um programa que é uma tremenda piada e motivo de chacota da própria sociedade. Enfim... Gostaríamos de agradecer ao jovem Prof. Brehme de Mesquita do IFMA pelo envio dessa notícia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário