quarta-feira, 22 de março de 2017

Mestrado e Engenharia Aeroespacial Têm Início na UEMA

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria postada dia (20/03) no site online do jornal “O Imparcial” de São Luís (MA), destacando que teve início nesta segunda-feira (20) na Universidade do Estado do Maranhão (UEMA) o Mestrado em Engenharia Aeroespacial.

Duda Falcão

QUALIFICAÇÃO

Mestrado e Engenharia Aeroespacial
Têm Início na UEMA

Curso em parceria da UEMA com o ITA tem duração de 24 meses e terá 20 alunos em
sua primeira turma e funcionará em regime integral no prédio de Ciências Tecnológicas.

O Impacial
Da redação,
20/03/2016
Atualizado em 20/03/2017 às 17:35

Foto: Reprodução

Nesta segunda-feira (20) a primeira turma do Curso de Mestrado Profissional  em Engenharia de Computação e Sistemas Aplicados à Engenharia Aeroespacial têm o seu início. O curso será ministrado por professores Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) e do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), A iniciativa visa a potencialização do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), com a formação  de pessoal qualificado para atuar no setor aeroespacial, fazendo com que o CLA tenha impacto na economia do Maranhão.

O mestrado é fruto de uma parceria da UEMA com o ITA, via cooperação entre o Governo do Estado e a FAPEMA, que irá conceder bolsas aos participantes. Na manhã desta segunda-feira foi realizada a aula inaugural do curso no auditório da Biologia da UEMA com as presenças do secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação, Jhonatan Almada, do reitor da universidade, Gustavo Costa, do representante do ITA, Luís Carlos Góes, que ministrou a aula, e do diretor do CLA, coronel Luciano Valentim Rechiuti, entre outras autoridades.

Durante o seu pronunciamento, o secretário Jhonatan Almada destacou que o curso é o cumprimento de uma meta do plano da SECTI que prevê as principais ações para a ciência, tecnologia e inovação no Maranhão. “Para secretaria é um momento de congraçamento e de alegria porque estamos enxergando um avanço concreto nessa área no Maranhão, com a formação de quadros técnicos de pesquisadores que irão internalizar os possíveis ganhos que a base de Alcântara trará para o Estado”, disse o secretário.

Jhonatan Almada enfatizou que o Maranhão, pela primeira veze de forma decisiva, contribui para formação do quadro no setor espacial brasileiro e pretende com isso dar a sua contribuição em relação ao Programa Aeroespacial Brasileiro, “aos desafios que o programa tem para se consolidar”.

O reitor da UEMA, Gustavo Costa, classificou o inicio do curso como um  momento histórico para o Estado. “Isso vai potencializar, e muito, a atuação do Estado via Centro de Lançamento de Alcântara, um empreendimento estratégico não só do ponto de vista da defesa do país, mas também do ponto de vista comercial. Esse é um momento de extrema relevância com destaque para o Governo Flávio Dino e a capacidade de trabalho dos nossos professores e do ITA”, disse o reitor.

Avanço Para o Setor

A duração do mestrado, que nesta primeira turma conta com 20 alunos, é de 24 meses e funcionará em regime integral no prédio do Centro de Ciência Tecnológicas – CCT/UEMA. Neste período os alunos obterão créditos com disciplinas, seminários de acompanhamento, exame de qualificação, publicação técnica, atividades extracurriculares, proficiência em língua inglesa, e dissertação. A turma é formada por profissionais graduado nas áreas de Engenharias, Matemática, Física, Ciências de Computação  e áreas afins.

O representante do ITA, Luís Carlos Góes, explicou que o mestrado é uma linha de pesquisa que integra o programa de Pós-Graduação em Engenharia de Computação e Sistema (PECS), onde o ITA se alinha a UEMA para desenvolver tópicos do interesse do CLA. “Existem outras linhas que estão em andamento para a criação de um Curso de Engenharia Aeroespacial no Maranhão”, contou Luís Góes.  “Esse é um marco importante porque acredito que é a primeira vez que vamos tentar direcionar os esforços para atendermos o CLA de uma maneira muito específica, e com isso o Maranhão ganha porque vai ter seu pessoal capacitado e envolvido nessa área”, completou.

A oferta do curso, segundo destacou o presidente do CLA, coronel Luciano Valentim Rechiuti, é vista de uma forma muito positiva para o centro de lançamento. “Nós vemos isso como uma oportunidade para o CLA aperfeiçoar nossos recursos humanos, a para que também possamos colaborar na formação de recursos humanos principalmente aqueles ligados ao Estado do Maranhão. A colaboração da UEMA neste caso vem de uma maneira muito oportuna, porque nos podemos unir esse conhecimento à universidade com o nosso trabalho operacional, trazendo beneficio tanto para à universidade quanto para nós”,  disse o coronel, destacando ainda que o curso abre a possibilidade de novas vagas para maranhenses trabalharem no centro de lançamento.


Fonte: Site do jornal “O Imparcial” - 20/03/2017

Comentário: Uma boa notícia, mas será que estamos com essa iniciativa e outras no país formando profissionais para realmente atuarem num Programa Espacial de verdade? Sinceramente não creio mais nisto. Enfim... Aproveitamos para agradecer ao leitor André Victor pelo envio dessa notícia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário