sábado, 11 de março de 2017

MCTIC Envia Diretor e Servidor do INPE aos EUA e ao Chile Afim de Participarem de Eventos Ligados as Áreas de Partículas e Astronômica

Olá leitor!

Estive dando uma olhada no Diário Oficial da União (DOU) de 13/02 ao dia 10/03 e encontrei dois despachos do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) que chamaram a minha atenção.

O primeiro deles publicado no DOU do dia 13/02 trata do envio aos EUA do atual diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o Dr. Ricardo Galvão, para realizar uma visita técnica ao “Plasma Physics Laboratory” da Universidade de Princeton, e participar da organização de um workshop na Área de Partículas Energéticas. Veja abaixo:

RICARDO MAGNUS OSÓRIO GALVÃO, Diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE, para realizar visita técnica ao Plasma Physics Laboratory da Universidade de Princeton e participar da organização do workshop entre os laboratórios PPPL e USP na área de partículas energéticas, em Princeton/EUA, de 18/02/2017 a 23/02/2017, trânsito incluído, com ônus limitado para o INPE, conforme processo nº 01250.005285/2017-42”.

Ora leitor, será que não teria sido mais produtivo ter enviando um servidor do INPE ligado as pesquisas nesta área, enquanto o diretor do órgão permaneceria no país tentando resolver os graves problemas que aflige esta instituição??? De minha parte eu acredito que sim, mas enfim, tá ai a noticia.

Já quanto ao outro despacho, publicado que foi pelo MCTIC no DOU do dia 15/02, trata-se do envio de um pesquisador do INPE ao Chile, para participar de reuniões dos grupos do Comitê Executivo do Projeto LLAMA. Veja abaixo:

JOAQUIM EDUARDO REZENDE COSTA, Pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE, para participar das reuniões dos grupos de desenvolvimento de instrumentação - IPTs e do Comitê Executivo do projeto LLAMA, em Santiago/Chile, de 27/02/2017 a 03/03/2017, trânsito incluído, com ônus limitado, conforme processo nº 1250.005955/2017-21”.

Bom leitor, para quem não sabe o Projeto LLAMA (Large Latin American Millimiter Array), é uma iniciativa Argentina-Brasileira que tem por objetivo instalar um radiotelescópio nos Andes Argentinos, a 4.800 metros de altitude.

Como parte do acordo, o Brasil ficou responsável pelos custos de construção da antena do radiotelescópio e a Argentina foi encarregada de realizar as obras de infraestrutura, incluindo os prédios do centro de controle e a estrada para acesso ao sítio no qual o LLAMA será instalado. Um projeto muito significativo para a Área Astronômica de ambos os países e uma prova de que trabalhando juntos poderemos avançar cientificamente e tecnologicamente muito mais rapidamente.

Portanto leitor este despacho aparentemente comprova que o projeto segue em andamento apesar das dificuldades financeiras enfrentadas pelo Brasil. Em resumo uma boa notícia.

Duda Falcão

Nenhum comentário:

Postar um comentário