segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Em Parceria Com Agência Russa, LNA Inicia Monitoramento de Detritos Espaciais

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (03/02) no site do “Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC)” destacando que em parceria com a ROSCOSMOS o Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA) inicia monitoramento de Detritos Espaciais.

Duda Falcão

Notícias

Em Parceria Com Agência Russa, LNA
Inicia Monitoramento de Detritos Espaciais

Novo telescópio, que está na reta final de montagem no Observatório do Pico dos Dias,
do Laboratório Nacional de Astrofísica, vai permitir a criação de uma base de dados
com a localização e a órbita de objetos com risco de colisão.

Por Ascom do MCTIC
Publicação: 03/02/2017 | 16:26
Última modificação: 03/02/2017 | 16:35

Crédito: LNA
Equipe formada por profissionais brasileiros e russos iniciou a
instalação do telescópio de 75 centímetros em novembro de 2016.

Um telescópio russo instalado no Observatório do Pico dos Dias, gerenciado pelo Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA) em Brazópolis (MG), deve começar a operar até o fim do mês. O equipamento, que está na reta final de montagem, vai permitir o monitoramento de detritos espaciais. Segundo o diretor do LNA, Bruno Castilho, uma equipe formada por profissionais brasileiros e russos iniciou a instalação do telescópio de 75 centímetros em novembro de 2016.

"A previsão é que realize a primeira observação no fim de fevereiro. Toda a mecânica e óptica do telescópio já está pronta e agora se iniciam o alinhamento e a montagem da eletrônica de controle e de dados", disse Castilho.

A instalação do telescópio faz parte do projeto da Agência Espacial Russa (Roscosmos) intitulado Panoramic Electro-Opical System for Space Debris Detection (PanEOS) que prevê a construção e operação de uma rede de instalações desse tipo de telescópio na Rússia e em vários outros pontos do planeta.

Com o novo equipamento, o LNA poderá detectar e mapear o lixo espacial para criar uma base de dados com a localização e a órbita de objetos que apresentam risco de colisão com satélites artificiais ativos ou, no caso de objetos maiores, com o planeta Terra depois de entrar na atmosfera.

A base de dados servirá de referência para a adoção de medidas para evitar eventuais colisões. Além disso, o LNA colocará as informações astronômicas obtidas pelo telescópio à disposição dos pesquisadores brasileiros.

As imagens geradas pelo telescópio russo serão transmitidas para a Roscosmos pela internet, e a base de dados ficará à disposição dos pesquisadores brasileiros. Com 1.864 metros de altitude, o Observatório do Pico dos Dias já possui quatro telescópios para pesquisa astronômica.


Fonte: Site do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações e Comunicações (MCTIC)

Nenhum comentário:

Postar um comentário