quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Ministro Jungmann Visita Centro de Operações Espaciais do Satélite Geoestacionário

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (17/01) no site do Ministério da Defesa (MD) destacando que o Ministro da Defesa, Raul Jungmann, visitou o Centro de Operações Espaciais do Satélite Geoestacionário.

Duda Falcão

NOTÍCIAS

Ministro Jungmann Visita Centro de Operações Espaciais do Satélite Geoestacionário

Por Alexandre Gonzaga
Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Ministério de Defesa
61 3312-4071

Brasília, 17/01/2016 – O Brasil vai colocar em órbita, em março, um moderno satélite para permitir a melhora na fiscalização dos 17 mil quilômetros de fronteira com 10 países sul-americanos. Para o ministro da Defesa, Raul Jungmann, o equipamento também irá por fim no apartheid da internet, assegurando o serviço de banda larga para todo território nacional.

“Esse satélite vai permitir uma grande melhoria nas condições de fiscalização das fronteiras”, informou Jungmann, que visitou nesta terça-feira à tarde, em Brasília, o Centro de Operações Espaciais, responsável por operar, da terra, o Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC).

Foto: Tereza Sobreira/MD
O SGDC expandirá a capacidade operacional das Forças Armadas,
por exemplo, em operações conjuntas nas regiões de fronteira terrestre.

“O satélite geoestacionário vai acabar com o apartheid digital. Todo o brasileiro, do Oiapoque ao Chuí, da Cabeça do Cachorro até Fernando de Noronha, vai dispor de banda larga”, comentou o ministro.

Ainda segundo Jungmann, o SGDC é o maior projeto de inclusão digital que o País já teve. “Além disso, o satélite, que será controlado pelos brasileiros, vai propiciar a segurança das comunicações na área de defesa e na área governamental”, acrescentou.

Ao falar com os jornalistas, durante a visita, o ministro disse que o satélite vai representar um grande salto em termos de soberania e segurança das comunicações. “O satélite representa uma aquisição de tecnologia, porque engenheiros brasileiros participaram desde o início do seu projeto.”

O lançamento do SGDC está previsto para o dia 21 de março, às 19 horas, do Centro Espacial de Kourou, localizado na Guiana Francesa.

O ministro informou aos jornalistas que está indo nesta quarta-feira (18) para Tabatinga (AM) e, depois, para Dourados (MS), para supervisionar o trabalho de segurança e defesa das fronteiras feito pelos militares das Forças Armadas e conhecer o projeto piloto do Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (SISFRON). 

Satélite Geoestacionário

O projeto é uma parceria entre os Ministérios da Defesa e da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, e envolve investimentos da ordem de R$ 2,1 bilhões. O Satélite, adquirido pela Telebras, terá uma banda KA, que será utilizada para comunicações estratégicas do governo e implementação do Programa Nacional de Banda Larga (PNBL), e uma banda X, que corresponde a 30% do equipamento, de uso exclusivo das Forças Armadas. O Ministério da Defesa investiu cerca de R$ 500 milhões para utilização da banda X pelos próximos 18 anos, tempo de vida estimado do produto.

Com isso, o Brasil passará a fazer parte do seleto grupo de países que contam com seu próprio satélite geoestacionário de comunicações, diminuindo a necessidade de alugar equipamentos de empresas privadas, o que vai gerar uma economia significativa aos cofres públicos e maior segurança em suas comunicações.

O SGDC expandirá a capacidade operacional das Forças Armadas, por exemplo, em operações conjuntas nas regiões de fronteira terrestre, em eventuais operações de resgate em alto mar e ainda no controle do espaço aéreo.

OBS: Veja abaixo a reportagem do "Reporter NBR" da TV NBR do governo sobre essa visita do ministro.



Fonte: Site do Ministério da Defesa (MD)

Comentário: Aproveitamos para agradecer ao leitor Jahyr Jesus Brito pelo envio desse vídeo. Quanto a esse satélite Frankenstein, nada mais a comentar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário