sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Na Jornada Espacial, Estudantes Conhecem a Importância do SGDC

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (15/12) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB), desatacando que durante a 14ª Jornada Espacial, em São José dos Campos-SP, os estudantes (na visão da AEB) conheceram a importância do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC).

Duda Falcão

Na Jornada Espacial, Estudantes
Conhecem a Importância do SGDC

Coordenação de Comunicação Social – CCS
15/12/2016

Fotos: Gleice Oliveira/AEB Escola

O desenvolvimento e a importância do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), previsto para ser lançado ao espaço no primeiro trimestre de 2017, foi tema de palestra, no último dia da 14ª Jornada Espacial, sexta-feira (09.12). O engenheiro da Visiona, Danilo Miranda, explicou aos estudantes as atividades que o satélite irá realizar e os benefícios que proporcionará ao país quando entrar em operação.

No auditório do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), em São José dos Campos (SP), Danilo falou aos alunos sobre a órbita do satélite e suas vantagens, o tipo de veículo lançador que irá levar o SGDC ao espaço, além das funções do satélite quando estiver em atividade. Os problemas causados pelo lixo espacial e as possíveis soluções para diminuir os danos, também foram discutidos durante a apresentação do engenheiro.

As oportunidades de estudo e trabalho no setor espacial e as áreas de atuação oferecidas no país também foram abordadas. Para quem pretende seguir carreira na área espacial, Danilo aconselhou a trabalhar com pesquisas relacionadas ao lixo espacial. “No futuro o lixo espacial será uma área promissora para se trabalhar, pois além de ser carente de profissionais é um problema que teremos de solucionar”, afirmou.

Perspectivas - Ao responder perguntas dos estudantes referentes a cursos superiores que possibilitam trabalhar com o espaço, o engenheiro ressaltou que todos os cursos de engenharia possibilitam trabalhar com o setor espacial, assim como outras áreas de exatas, como Física e Matemática.

Os alunos assistiram ainda a uma palestra sobre o ingresso e as perspectivas de estudar no Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), proferida pelo reitor Anderson Ribeiro Correa. Os professores participaram de uma atividade a parte em que foi abordado o uso de novas tecnologias no ensino de Física, com o professor do ITA, José Silvério Germano.

Para o professor de Física do estado de Alagoas, Ederson Matsumoto, a Jornada é o evento voltado para a área espacial mais completo e mais empolgante que ele já participou. “A gente só tem ideia da importância do setor espacial quando participamos de eventos como a Jornada. O mais importante para os alunos é que eles têm a oportunidade de conhecer as possíveis formas de atuação tanto para estudar quanto para se trabalhar. Outro ponto positivo é a interação que temos com pessoas que vêm do país inteiro”, ressaltou.

O estudante do Amapá, Abraão Victor Tavares, disse que esperava uma ótima semana de atividades, mas que o evento o surpreendeu e foi melhor do que ele pensava. “Essa semana da Jornada Espacial para mim foi a melhor do ano. Pude aprimorar meus conhecimentos e aprender mais, principalmente os assuntos que tenho interesse em estudar”, destacou.

Abraão ainda ressaltou que o lançamento de foguetes no MAB foi muito divertido e que a melhor oficina foi a Brincando com as Constelações, pois abordou as estrelas, um dos assuntos que mais desperta seu interesse.


Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

Comentário: Bom leitor, de minha parte fico muito triste em saber que o jovem Eng. Danilo Miranda participou desta palhaçada. Certa vez quando ele era ainda estudante do ITA disse a ele pessoalmente e ao jovem Eduardo Jordan (não sei se eles vão recordar) que tivessem cuidado em fazer as escolhas certas, porque quem com porcos se mistura, farelo come. Lamento Danilo por você e ainda mais pelo Programa Espacial Brasileiro. Leitor, esse projeto é um tremendo engodo e outras coisitas a mais, e deveria ser pauta de investigação do MP e da PF. Você jovem que participou da jornada não acredite no que lhe foi passado sobre este satélite. Não é porque não existia a necessidade de fabricar um satélite, existia sim, mas na verdade de dois satélites distintos e não de um Frankenstein como esse. Não se mistura comunicações militares com comunicações civis. Defesa caro leitor é algo muito sério, e assim deve ser tratada. Lamento também pelos comandos das forças amardas brasileiras estarem participando desta farsa, o que confirma a minha teoria que o poder vem corrompendo até mesmo os militares, o que é muito triste. Leitor, todo o projeto deste satélite é um tremendo engodo e de um risco enorme para a segurança da Sociedade Brasileira. Além disso, apesar desses vermes propagarem através da mídia (inclusive através de um documentário sobre o satélite que deve ser apresentado na meia-noitede hoje pelo Canal Discovery Chanel) de que houve transferência de tecnologia, isto não é verdade, nem mesmo de um simples parafuso. Todo satélite foi construído nas instalações da Alenia Space na França, em grande parte com peças de prateleiras e o que foi desenvolvido especificamente para o satélite não teve a participação de técnicos brasileiros. Resumindo em linguagem simples para que até mesmo o leitor menos informado possa compreende melhor. Os técnico brasileiros tiveram acesso á montagem e integração do satélite e mesmo assim não em todo processo, além de tomarem cursos para poder operá-lo do Brasil. Alem do mais, o satélite que havia sido orçado em 1.2 milhões reais (incluindo o valor do seu lançamento) pulou para mais de dois milhões que, mesmo com a subida do dolar, não se justifica. Enfim um projeto que deveria ser investigado urgentemente pela MP e pela Policia Federal, esta história esta fedendo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário