sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

INPE Recebe Alunos e Professores da Jornada Espacial

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (02/11) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), destacando que o instituto receberá alunos e professores durante a realização da XIV Jornada Espacial.

Duda Falcão

INPE Recebe Alunos e Professores
da Jornada Espacial

Sexta-feira, 02 de Dezembro de 2016

De 4 a 9 de dezembro, a XIV Jornada Espacial reunirá na capital espacial brasileira, São José dos Campos (SP), os jovens que obtiveram o melhor desempenho entre os mais de 700 mil estudantes que participaram da edição de 2016 da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA).

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) recebe na segunda-feira (5) os 74 alunos e 48 professores vindos de 21 estados brasileiros e do Distrito Federal. Eles visitarão o Laboratório de Integração e Testes (LIT) e o Programa de Estudos e Monitoramento Brasileiro do Clima Espacial (EMBRACE). Também no INPE saberão das razões históricas que levaram ao nascimento da Era Espacial e como funcionam os quase 1.500 satélites que hoje operam ao redor da Terra.

A OBA é uma realização conjunta da Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) e da Agência Espacial Brasileira (AEB), com o apoio de diversas instituições públicas e privadas, como o INPE e o Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), a Fundação Astronauta Marcos Pontes, a Universidade do Estado do Rio de Janeiro, o Museu de Astronomia e Ciências Afins e o Observatório Nacional. A maior parte dos recursos financeiros para realização da OBA é proveniente do CNPq, CAPES e MEC.

"Além do apoio dessas importantes organizações, a XIX OBA contou com o apoio voluntário de 63.057 professores, que assumiram a responsabilidade de coordenarem as atividades da olimpíada em 7.895 escolas. Sem esses professores, a OBA e a Jornada Espacial não existiriam. Por isso, 48 professores também participam da XIV Jornada Espacial, acompanhando os seus alunos", diz o pesquisador José Bezerra Pessoa Filho, do DCTA, um dos organizadores do evento.

O pesquisador destaca que, ao final da Jornada, os participantes levam muito mais do um certificado. "Levarão impresso em suas mentes e corações um Brasil que não conheciam. Um Brasil que dá certo. Um Brasil que constrói o futuro. Um Brasil em que muitos dedicam sua vida profissional em prol do desenvolvimento da ciência e tecnologia, sem esquecer, no caminho, de semear o futuro. Além de trabalho e dedicação, esses brasileiros sonham, e, não satisfeitos, ousam realizar."

Entre as várias histórias de participantes do evento nos últimos anos, Bezerra lembra da frase de Ricardo Oliveira da Silva, que esteve na VII Jornada Espacial em 2011. Segundo o estudante, "a palavra impossível só existe para a gente desmoralizá-la." Natural de Várzea Alegre, Ceará, filho de humildes agricultores, Ricardo é portador de amiotrofia espinhal. A doença limitou os seus movimentos, mas não os seus sonhos. Alfabetizado em casa pela mãe, com a ajuda dos livros trazidos da escola pelo seu irmão, somente aos 17 anos Ricardo ingressou na 5a série do ensino fundamental. Não tardou para o garoto revelar sua genialidade, arrebatando uma medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) de 2006, disputada por quase vinte milhões de jovens. Não satisfeito, repetiu a façanha nos anos de 2007, 2008 e 2009. Foi a partir da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), na qual acumulou 5 medalhas de ouro e uma de prata, que Ricardo conquistou o direito de participar da VII Jornada Espacial. Atualmente Ricardo cursa Mecatrônica Industrial no Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), campus de Cedro.



Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Nenhum comentário:

Postar um comentário