sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Professores São Treinados Pelo Programa Globe da NASA Para Popularizar Ciência nas Escolas

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota da Agência Espacial Brasileira (AEB) postada ontem (10/11) no site da mesma, informando que Professores foram treinados pelo Programa Globe da NASA para popularizar ciência nas escolas.

Duda Falcão

Professores São Treinados pelo Globe
Para Popularizar Ciência nas Escolas

Coordenação de Comunicação Social – CCS
10/11/2016

Fotos: Valdivino Júnior – CCS/AEB
Grupo de professores participantes do segundo
workshop do Globe no Brasil.

Estimular e popularizar a prática da ciência nas escolas brasileiras, públicas e particulares, por meio de experiências científicas nas áreas hidrológica e atmosférica é o objetivo da segunda edição do workshop do programa Globe no Brasil, que aconteceu nos dias 7 e 8 de novembro, na sede da Agência Espacial Brasileira (AEB/MCTIC).

Divididos em grupos, 37 professores de escolas do Distrito Federal, São Paulo e Goiás participaram de pesquisas de campo no Parque da Ermida Dom Bosco, onde coletaram dados ambientais. A atividade prática será levada para escolas de todo o país a fim de incentivar e despertar nos alunos o gosto pela área científica. Os resultados das pesquisas serão inseridos no site do Programa Globe da Agência Espacial Norte Americana (NASA).

A coordenadora do Globe na Argentina, Marta Kingsland, responsável em orientar as atividades de hidrologia ensinou como coletar dados de alcalinidade, PH, temperatura e transparência da água. Os professores da rede pública de ensino do Distrito Federal, participantes do primeiro workshop do programa no Brasil, Izaías Cabral e Jaime Antunes ficaram responsáveis pelas atividades de atmosfera. Os dois conduziram a metodologia de coleta de dados, como identificação da classe e cobertura das nuvens, medição de temperatura, umidade e pressão atmosférica.

As servidoras da AEB, Adriana Correa e Aline Veloso e os professores da rede pública do DF, Jaime e Izaías estão participando do processo e serão os primeiros treinadores brasileiros do Globe. Os quatro formarão a primeira equipe do país a trabalhar na disseminação do programa nas escolas de todos os estados do Brasil.

Entusiasmo - O professor Izaías demonstrou empolgação ao falar em ser treinador mestre no Brasil. “Pretendo junto com o professor Jaime que o projeto Rede de Estações Meteorológicas Didáticas (REMADE) se desenvolva e produza cerca de 60 estações meteorológicas até junho de 2017. Os equipamentos serão doados às escolas públicas para que professores e estudantes aprendam a trabalhar com métodos científicos de coleta de dados ambientais. A iniciativa também é uma forma de convidar e estimular a participação de mais escolas no Globe”, afirmou.

Para o professor Roberto Corazza, que trabalha em um projeto de consultoria em escolas particulares de São José dos Campos (SP), o Globe é um programa inovador e multidisciplinar. “O programa segue a tendência do ensino no mundo, ou seja, associa a aprendizagem teórica à prática. Outro ponto positivo é a possibilidade de criar projetos interdisciplinares, características que se associam ao projeto que desenvolvo nas escolas”, ressaltou.

Segundo o coordenador de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da AEB, Jean Batana, o Globe é um programa que realiza pesquisas em diferentes áreas do meio ambiente. Na fase inicial de implementação do programa no Brasil foram escolhidos métodos de pesquisas considerados mais simples, tanto na execução quanto na aquisição e manuseio de materiais necessários para as pesquisas. “É importante que o professor não sinta dificuldade de aprendizado e repasse o método científico, por isso foram selecionadas atividades de fácil assimilação e aprendizado”, explicou Jean.

O Globe no Brasil faz parte de uma parceria entre a AEB e NASA. O programa procura promover o ensino e a aprendizagem da ciência, por meio de pesquisas científicas entre professores e alunos em diversas áreas do meio ambiente, além de ajudar a compreender a complexidade dos ecossistemas e do meio ambiente.

No último dia do evento, os professores apresentaram suas análises e observações, discutiram os resultados dos dados coletados e relataram as experiências, dificuldades e facilidades do levantamento científico. Todos aprenderam a inserir os dados no site do Programa Globe. Cada escola participante recebeu uma senha de acesso ao site. A partir do primeiro acesso, os professores poderão compartilhar e tornar as pesquisas e informações públicas no mundo inteiro. Os professores brasileiros já podem acessar os métodos científicos do programa em português.

Próximos workshops - No primeiro semestre de 2017 a AEB vai promover em São José dos Campos (SP) a terceira edição do workshop Globe no Brasil. No segundo semestre a expectativa é que o Paraná receba a quarta edição do programa e se torne o terceiro estado brasileiro a participar do maior programa de educação ambiental do mundo.

Professores coletam dados atmosféricos.
Pesquisa hidrológica no Lago Paranoá.
Marta Kingsland apresenta aos professores os
diversos métodos científicos do Globe.


Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

Nenhum comentário:

Postar um comentário