terça-feira, 1 de novembro de 2016

Previsão do CEMADEN Indica Recuperação dos Níveis dos Rios no Acre em Novembro

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada ontem (31/10) no site do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC), destacando que Previsão do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN) indica recuperação dos níveis dos rios no Acre em novembro.

Duda Falcão

NOTÍCIAS

Previsão do CEMADEN Indica Recuperação
dos Níveis dos Rios no Acre em Novembro

Segundo o relatório, volume de chuvas esperado para os próximos dias deve
contribuir para a melhora do quadro hidrológico da bacia do rio Acre e minimizar
o impacto da seca no estado. Em setembro, o principal curso d'água da região
registrou o menor nível histórico, em 1,30 metro. Entre julho e setembro,
porção central do estado teve recorde de focos de calor.

Por Ascom do MCTIC
Publicação: 31/10/2016 | 11:09
Última modificação: 31/10/2016 | 17:12

Crédito: Agência Acre

A previsão de chuvas para o Acre deve reverter, nos próximos dias, os impactos da seca no estado. Segundo o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN), a expectativa é que as precipitações previstas para o início de novembro auxiliem a recuperação dos níveis dos rios e minimizem os danos socioambientais causados pela estiagem. As informações estão no Relatório da Seca e Impactos no Acre, divulgado nesta quinta-feira (27).

Principal curso d'água da região, o rio Acre, por exemplo, chegou a atingir o mínimo de 1,30 metro no dia 17 de setembro. Com as chuvas deste mês, a cota hidrométrica chegou a 1,75 metro em 20 de outubro. Segundo o coordenador-geral de Operações e Modelagens do CEMADEN, Marcelo Seluchi, as bacias hidrográficas da região devem se recuperar.

"Atualmente, o quadro hídrico no estado do Acre é de condições normais, mas ainda de baixos níveis hidrométricos dos principais rios da região. A expectativa é que as chuvas se mantenham em uma quantidade dentro do normal para a época e que os rios fiquem mais cheios", afirmou Seluchi.

A porção central do estado registrou, entre julho e setembro, número recorde de focos de calor por conta do estresse térmico também deve se recuperar. Com as chuvas, a umidade do solo deve ser recomposta, levando à recuperação da vegetação.


Fonte: Site do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC)

Nenhum comentário:

Postar um comentário