quarta-feira, 2 de novembro de 2016

COMAER Assina Contrato Para Revitalizar Lançador de Porte Médio do CLA

Olá leitor!

Diário Oficial da União (DOU) do dia (27/10) publicou um “Extrato de Contrato” assinado pelo Comando da Aeronáutica (COMAER) com a empresa SPARTA ENGENHARIA para a revitalização do Lançador de Porte Médio do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA). Abaixo segue o extrato como publicado no DOU.

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA AEROESPACIAL

CENTRO DE LANÇAMENTO DE ALCÂNTARA
EXTRATO DE CONTRATO Nᵒ 13/2016 - UASG 120013

Nᵒ Processo: 67710003993201610;
Pregão SISPP: Nᵒ 48/2016;
Contratante: COMANDO DA AERONAUTICA;
CNPJ Contratado: 06303302000115;
Contratado: SPARTA ENGENHARIA, SERVICOS E COMERCIO LTDA – EPP;
Objeto: Serviço de revitalização do lançador de Porte Médio do Centro de Lançamento de Alcântara;
Fundamento Legal: Lei 8666/93;
Vigência: 25/10/2016 a 21/08/2017;
Valor Total: R$1.219.900,00;
Fonte: 100000000 - 2016NE800451; e
Data de Assinatura: 25/10/2016.

(SICON - 26/10/2016) 120013-00001-2016NE999999

Bom, o leitor pode esta agora se perguntando o porquê postei esta notícia no Blog, né verdade? Bem, primeiramente porque no ultimo lançamento de foguete realizado de Alcântara, ou seja, o lançamento do Foguete FTB da “Operação Falcão I / 2016”, este ocorrido em 14/10 deste ano, foi utilizado um “Lançador Móvel” proveniente do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), coisa que logo chamou a minha atenção.

Diante disso, pergunto ao leitor mais atento: Você sabe qual foi o lançador do CLA utilizado para atender ao lançamento do “VS-40M/ SARA Suborbital I” da desastrosa “Operação São Lourenço” realizada em outubro e novembro de 2015?

Pois é leitor, é justamente este Lançador de Porte Médio que o COMAER agora revitalizará (tá mais para uma recuperação) depois da explosão ocorrida no lançamento do VS-40M, e isto levanta algumas questões, principalmente se levamos em conta a vigência deste contrato.

A primeira delas seria saber se este Lançador Móvel agora instalado no CLA tem a mesma capacidade de lançamento do antigo Lançador de Porte Médio, já que lançar um FTB não é a mesma coisa que lançar um VS-40M, muito mais pesado. Caso não, e caso não haja outro lançador com a mesma capacidade dentro do CLA o Projeto SARA (Tá lembrado dele?) terá de esperar até que o antigo Lançador de Porte Médio seja revitalizado (veja acima o prazo de vigência do contrato).

Entretanto, devo dizer que não acredito que este Lançador Móvel não tenha esta capacidade, ou então existe outro Lançador de Porte Médio dentro do CLA, pois se assim não fosse, não haveria como lançar de Alcântara agora em Dezembro o foguete VSB-30 da tal “Operação Rio Verde”.

Ah! Antes que o leitor pergunte, a resposta é não, o IAE continua em silencio sobre o Projeto SARA, mas divulgou pouco depois do acidente que o projeto sofreria continuidade. Porém leitor, depois do que foi dito pelo pesquisador Fausto Ivan Barbosa (Ex-IAE e atualmente no ITA) sobre o Projeto do Motor Foguete Liquido L75 (veja aqui), infelizmente não há como não começar a colocar em dúvida a credibilidade do que é divulgado pelo IAE e o comprometimento deste instituto em cumprir à sua missão. Vamos aguardar os acontecimentos.


Fonte: Diário Oficial da União (DOU) - Seção 3 - pág. 22 - 27/10/2016

2 comentários:

  1. Bom dia! Concordo com você DUDA, são muitos mistérios e informações desencontradas do IAE. Cadê o VLS? Lançar FTI E FTB é mole! Acho que falta comprometimento de várias pessoas em prol da Nação e não e prol pessoal. Milhões gastos pra nada!!

    ResponderExcluir
  2. Engraçado a atividade principal dessa empresa de engenharia, que consta registrada :

    Atividades de negocios da empresa
    47.57-1-00 - Comércio varejista especializado de peças e acessórios para aparelhos eletroeletrônicos para uso doméstico, exceto informática e comunicação
    O comércio varejista especializado de peças e acessórios para aparelhos eletroeletrônicos para uso doméstico, exceto informática e comunicação, refere-se aos eletrodomésticos e equipamentos eletroeletrônicos de uso comum, como televisões, geladeiras, aparelhos de DVD e Blu-ray, videocassetes, home-theaters e antenas parabólicas. São as peças utilizados em reparos e manutenção, que vão atender o público geral.

    ResponderExcluir