sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Acidentes Dentro de Casa Representam 19% das Mortes Provocadas Por Raios no Brasil

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada ontem (03/11) no site do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC), destacando que segundo o Grupo de Eletricidade Atmosférica (ELAT) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) acidentes dentro de casa representam 19% das mortes provocadas por Raios no Brasil.

Duda Falcão

NOTÍCIAS

Acidentes Dentro de Casa Representam 19%
das Mortes Provocadas Por Raios no Brasil

Segundo o Grupo de Eletricidade Atmosférica do Inpe, 1.790 pessoas morreram
entre 2000 e 2014 em consequência de descargas elétricas. Medidas simples
podem evitar acidentes, sobretudo, na primavera e no verão.

Por Ascom do MCTIC
Publicação: 04/11/2016 | 09:00
Última modificação: 03/11/2016 | 19:53

Crédito: ELAT/INPE
Mortes provocadas por raios dentro de casa ocupam
o segundo lugar no ranking do ELAT.

Estudo do Grupo de Eletricidade Atmosférica (ELAT) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais revela que 1.790 pessoas morreram em consequência de descargas elétricas entre 2000 e 2014 no Brasil. Desse total, 76% ocorreram na primavera e no verão. O país é líder mundial na incidência de raios, com 50 milhões de descargas por ano. Por isso, o ELAT alerta para algumas medidas que podem evitar acidentes.

Segundo o coordenador do ELAT, Osmar Pinto Junior, a maioria dos acidentes com raios acontece ao ar livre. Uma em cada quatro mortes foi registrada durante atividades rurais. "Quanto mais aberto o espaço, maior é o perigo de cair um raio ali. E no campo há muitos objetos que podem atrair as descargas: árvores, cercas de arame, o maquinário e até as enxadas. Ficar próximo desses objetos representa um risco muito grande, que é intensificado se não houver uma cobertura adequada para que a pessoa possa se abrigar da tempestade", explicou.

Durante as tempestades, campos de futebol e praias também devem ser evitados. De acordo com o levantamento do ELAT, 8% das mortes por raio ocorreram em campos de futebol e 5% em praias.

Nas cidades, carros, ônibus e motocicletas também representam risco. Por serem construídos com peças metálicas, se transformam em "para-raios ambulantes", contribuindo para a morte de 11% das vítimas de descargas elétricas.

Fique atento a esta dica: se você estiver em um local sem abrigo próximo e sentir que seus pelos estão arrepiados ou que sua pele começou a coçar, um raio pode estar prestes a cair. Caso isto aconteça, você deve se ajoelhar e se curvar para a frente, colocando as mãos nos joelhos e a cabeça entre eles. De modo algum, deite.

"Dessa maneira, a superfície de contato do corpo diminui e não se torna uma estrutura atrativa para a descarga vinda do céu. É importante também não deitar, para que a pessoa não seja atingida pela corrente elétrica que pode ser descarregada no solo", alertou Osmar Pinto Junior.

Ambientes Fechados

Os cuidados não se restringem a locais abertos. Mesmo dentro de casa, é importante ter atenção. Segundo os dados do ELAT, 19% dos óbitos entre 2000 e 2014 aconteceram dentro de casa, ocupando a segunda colocação no ranking de ocorrências. Com cinco ações, é possível reduzir drasticamente o perigo de sofrer uma descarga elétrica. Durante as tempestades, deve-se evitar telefones com fio ou celulares enquanto estão sendo carregados. Fique longe das tomadas. Casas com portas e janelas de metal são outro perigo em potencial. Por isso, é importante ficar longe dessas peças. Varandas e sacadas também devem ser evitadas assim como banhos em chuveiro elétrico.

Clique aqui para acessar a cartilha do ELAT com todas as dicas.

Para assistir aos vídeos, clique aqui.


Fonte: Site do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC)

Nenhum comentário:

Postar um comentário