quarta-feira, 27 de julho de 2016

Projeto Júpiter Participa do Campeonato Mundial de Foguetemodelismo

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada dia (17/07) no site do “Fundo Patrimonial Amigos da POLI”, destacando a participação em junho passado da Equipe Júpiter na 11ª Edição do IREC.

Duda Falcão

NOVIDADES

Projeto Júpiter Participa do
Campeonato Mundial de Foguetemodelismo

Com o apoio do Amigos da Poli, o foguete Nabo I foi lançado na 11ª IREC

17/07/2016

Entre os dias 14 e 19 de junho, ocorreu a 11ª edição da Intercollegiate Rocket Engineering Competition (IREC). A competição acontece todo ano, na cidade de Green River (Utah, EUA) e reúne cerca de 80 foguetes de 7 países.

Para esta competição, a equipe do Projeto Jupiter construiu o foguete Nabo I. Com aproximadamente 1,80 m de altura e 110 mm de diâmetro, ele foi projetado para levar um payload de 5 kg até uma altitude de 10.000 pés (cerca de 3 km) acima do solo. Para isso, contou com o apoio do Amigos da Poli em 2015, que contribuiu com R$15.000,00.


Nessa missão, o grupo se divide em 4 núcleos principais: Propulsão; Aerodinâmica; Sistemas Eletrônicos; e Recuperação.

A primeira área projetou o motor do foguete, apelidado de “Lazarus” (pois era da classe L de impulso total). Com 5 grãos de uma receita própria de propelente, ele atingia um empuxo médio de 1140 N durante 3,72 s de queima.


A Aerodinâmica é o núcleo que constrói a estrutura exterior do foguete, garantindo que irá resistir aos esforços e gerar o menor arrasto possível. Neste ano, foi utilizada uma casca aerodinâmica de fibra de vidro, com um rígido esqueleto interno de tubos de carbono ligando anéis de alumínio.

Na área eletrônica, é necessário criar um sistema redundante que detecte os pontos de abertura dos paraquedas. Para isso, utilizam-se sensores barométricos, que detectam a pressão do ar através de pequenos furos na estrutura e acompanham em tempo real a altitude do foguete.

A Recuperação é responsável pelos paraquedas e pelo seu mecanismo de ejeção, que recebe os sinais enviados pelos Sistemas Eletrônicos. A competição exige que se utilize 2 paraquedas: um estabilizador (drogue), de tamanho menor e que é liberado logo no início da queda; e um principal (main), maior, aberto entre 500 e 300 metros do solo. O primeiro garante uma queda controlada, mas rápida, sem ser levado pelo vento; o segundo desacelera a queda, amortecendo a colisão com o solo.


Na competição, o Nabo I conquistou a 24ª posição entre os 44 foguetes lançados na  Categoria Básica. Para conferir o lançamento, confira o vídeo da equipe: https://www.youtube.com/watch?v=80Ulrec0YD0

Vale lembrar que o Projeto Jupiter surgiu no 2º semestre de 2014, já contando com o apoio do Amigos da Poli. Desde então, participamos por duas vezes da IREC, levando dois foguetes (Jupiter I em 2015 e Nabo I em 2016) e, sem o fundo patrimonial, nenhuma dessas conquistas seria possível.

Mais Sobre a Competição

A competição é dividida em 2 categorias: Básica e Avançada. Na primeira, os foguetes atingem um apogeu de 10.000 pés (cerca de 3 km). Já na segunda, o apogeu é 25.000 pés (7,5 km). Nos dois casos, o objetivo é chegar o mais próximo possível desse valor, descontando-se pontos a cada pé a mais ou a menos. Fora isso, é necessário um sistema de recuperação com 2 paraquedas: um estabilizador (drogue), de tamanho menor e que é liberado logo no início da queda; e um principal (main), maior, aberto entre 500 e 300 metros do solo. O primeiro garante uma queda controlada, mas rápida, sem ser levado pelo vento; o segundo desacelera a queda, amortecendo a colisão com o solo.

Histórico de Resultados

A equipe do Projeto Jupiter foi a segunda equipe brasileira a participar do torneio, em 2015. Enviamos o foguete Jupiter I e 4 membros (3 alunos e 1 professor). O lançamento foi pontuado, mas marcou nossa estreia em competições. Em 2016, foi a vez do Nabo I, levado para Utah com 7 alunos. Desta vez, a equipe conquistou a 24ª posição na Categoria Básica, que contou com 44 times. Em ambas as competições, contamos com o apoio fundamental do Amigos da Poli para projetar e construir nossos foguetes.


Fonte: Site do Fundo Patrimonial Amigos da Poli - http://www.amigosdapoli.com.br

Comentário:  Parabéns ao Fundo Amigos da Poli e espero que esta iniciativa sirva de exemplo para outras instituições possam ajudar as equipes brasileiras permitindo a participação delas neste e em outros eventos. É isso aí, seriedade, iniciativa, liderança, visão, atitude, tudo isto traduzido em uma única palavra: COMPROMISSO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário