sexta-feira, 22 de julho de 2016

Hands-On: Mais do Que da Teoria à Prática

Olá leitor!

Segue abaixo um interessante artigo postado dia (15/07) no blog da equipe “UFABC Rocket Design”, destacando passo a passo como esta equipe desenvolve os seus projetos de foguetes. Vale a pena dar uma conferida.

Duda Falcão

Hands-On: Mais do Que da Teoria à Prática

Por Gustavo Cirelli.
15/07/2016


Participar de um projeto extra curricular como o Rocket Design engloba muito mais do que o conteúdo visto em sala de aula. O sucesso de cada projeto esta relacionado não só na transferência da teoria à prática, mas também à gestão e organização do grupo. Antes de tudo, é preciso saber quais são os projetos da equipe. Atualmente a Rocket Design se prepara para participar do 4º festival de mini foguetes de Curitiba, da 2ª edição da COBRUF (Competição Brasileira Universitária de Foguetes), da 12ª edição da IREC (Competição Universitária Internacional) e também participa de projetos de extensão como o Arandu.

Cada um desses projetos possui um foguete com uma missão diferente e a equipe busca alcançar diferentes objetivos com a realização de cada. Entretanto seguimos basicamente a mesma receita para planejá-los e realizá-los. Entre o primeiro dia de idealização, o dia do lançamento e o dia de revisão e conclusão do projeto, seguimos uma série de etapas de design, testes e procedimentos operacionais que devem ser realizados para garantir o sucesso do foguete. É então imprescindível uma boa gestão dos setores da equipe para conseguirmos realizar essas tarefas dentro de um cronograma apertado, orçamento limitado, e também para integrar cada subsistema para apresentação de um bom produto final.

Tudo começa com a idealização de um ou mais foguetes que sejam capazes de realizar a missão, então um design é proposto e cálculos iniciais são feitos para termos delimitações em respeito aos requisitos e dimensões que cada subsistema terá. Inicia-se então a etapa de desenvolvimento da tecnologia que usaremos, na qual diversas simulações são realizadas computacionalmente a fim de projetar o foguete. Cada setor utiliza diversos softwares, de presença na indústria aeroespacial, para análises aerodinâmica (CFD – dinâmica de fluidos computacional), estrutural (FEA – Análise com elemento finito), de dinâmica de voo, do sistema de propulsão, entre outras. Alguns dos softwares utilizados são o Solidworks, Femap/Nastran, Abaqus, Ansys Fluent, Matlab, Excel e Arduino.

Com os resultados obtidos computacionalmente, experimentos são desenvolvidos para verificá-los e garantir o funcionamento de cada subsistema na vida real. A validação do design computacional é muito importante e é iterativa, ou seja, os resultados dos nossos testes são utilizados para modificar o computacional para que este correlacione mais fielmente ao esperado pelos testes. Com o avanço do projeto, os materiais necessários para construção são obtidos e dá se inicio a etapa de construção do foguete, aqui usamos muitas vezes a mão de obra dos próprios membros da equipe, para tarefas como laminação de tubos de carbono para fuselagem, confecção do propelente, programação dos sistemas de aviônica e confecção do paraquedas.

Após cada setor finalizar seus subsistemas se inicia a integração destes para finalizar o foguete, porém antes do voo, outra rodada de testes é feita a fim de garantir a saúde de cada subsistema integrado, só então o foguete está pronto para ser lançado e realizar sua missão. Testes são essenciais para diminuir a chance de falhas durante o lançamento e garantir não só o sucesso, mas também segurança operacional.

Além dos setores responsáveis pelo foguete, a equipe possui os seguintes núcleos: a) gestão, para gerenciamento do financeiro e cronograma; b) administração, para organização dos membros e dos projetos; c) integração e segurança, para união dos diversos subsistemas e criação de procedimentos de segurança a serem seguidos durante as etapas de manufatura, teste     e lançamento. Esses núcleos trabalham em conjunto com cada projeto e acompanham todas as partes de design, e são vitais para o sucesso da equipe.

Como simplificado pelo texto acima, o trabalho dentro da Rocket Design é muito mais do que tirar os cálculos do papel, englobando diversas áreas do conhecimento e sendo uma equipe que aproveita bastante a multidisciplinaridade proposta pela UFABC, não tendo só membros da aeroespacial, mas de cursos como Instrumentação, Automação e Robótica (IAR), Engenharia de Materiais, Informação e Gestão. Sempre procurando desenvolver nossos projetos seguindo os passos que um grupo de engenharia seguiria, buscando desse modo, fornecer experiência e preparo aos membros, habilitando-os para o mercado de trabalho.



Fonte: Blog da Equipe “UFABC Rocket Design” - http://ufabcrocketdesign.com.br/blog

Nenhum comentário:

Postar um comentário