terça-feira, 21 de junho de 2016

Missão Garatéa 1 do Grupo ZENITH Termina na Segunda Colocação no GSBC

Olá leitor!

Tá lembrado do Grupo ZENITH da Escola de Engenharia de São Carlos da USP (EESC)? Aquele mesmo grupo de alunos que lançou através de uma balão a estratosfera a “Missão Garatéa 1” no dia 14/05 (veja aqui e aqui)?

Pois então leitor, como havíamos informado o Grupo ZENITH participaria com esta missão da competição internacional “Global Space Balloon Challenge (GSBC)”, tá lembrado?

Pois é, eles não só participaram desta competição, como também terminaram na segunda colocação mundial na categoria de melhor experimento científico. Um resultado realmente espetacular e que certamente servirá como incentivo para a continuidade das atividades deste grupo de jovens inovadores.


Vale dizer leitor que a “GSBC” é uma competição anual organizada pela University of Michigan, Massachusetts Institute of Technology (MIT) e pela Stanford University, todas dos EUA, na qual centenas de entusiastas e estudantes do mundo todo lançam balões meteorológicos levando consigo uma carga útil com certo propósito. As categorias da competição vão desde melhor experimento cientifico à melhor imagem e vídeo.

Quanto a “Missão Garatéa 1” realizada em parceria com o Laboratório Nacional de Luz Sincrotron (LNLS/CNPEM) e o Instituto de Química da USP, a mesma já está gerando resultados, tanto em laboratório, quanto fora dele, pois que além do objetivo biológico, também foi colocado à prova as novas tecnologias, como a impressão em 3D, utilizada para desenvolver a estrutura (o “esqueleto”) da sonda, batizada “Garatéa 1” – nome de origem tupi-guarani, que significa algo como “busca vidas” -, assim como o próprio grupo proclama, pois foi necessário muito tempo de estudo para que eles se tornassem capazes de realizar certas tarefas, como o desenvolvimento do paraquedas, estruturas espaciais, gerenciamento de grupo e também a programação dos sistemas da sonda, que envolve diversos sensores, como fotodiodos com filtros para radiação UVA, UVB e UVC, acelerômetro, magnetômetro, barômetro, sensor de umidade e sensores de temperatura, simplesmente fantástico.

Esta foi à primeira Missão espacial do Grupo ZENITH que, segundo o seu coordenador, o Prof. Daniel Varela Magalhães, deverá realizar uma segunda missão dentro de seis meses.

“As bactérias suportaram as condições da estratosfera e outros pesquisadores já procuraram a universidade para propor diferentes tipos de estudo em novas missões”, completou o Prof. Daniel Magalhães.

“Mandamos uma série de micro organismos extremamente resistentes a fatores de estresse, baixa pressão, baixa temperatura, alta incidência de radiação e pouca disponibilidade de água. Basicamente um ambiente extremamente agressivo á vida, e nenhum organismo normal iria sobreviver nessas condições, mas eles são capazes de sobreviver”, explicou o pesquisador Douglas Galante, do LNLS.

O Blog BRAZILIAN SPACE parabeniza o Grupo ZENITH pela sua conquista e espera que outros grupos como este possam surgir no Brasil, afinal precisamos de jovens cada vez mais inovadores e antenados com esta nova realidade da sociedade humana.

Para maiores informações sobre a competição GSBC, visite os sites www.balloonchallenge.org e community.balloonchallenge.org/

Duda Falcão

Nenhum comentário:

Postar um comentário