sexta-feira, 17 de junho de 2016

CPTEC/INPE Treina Núcleos Regionais de Meteorologia Para Atuar na Previsão de Curto Prazo e de Desastres Naturais

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (17/06) no site do Instituto Nacional de pesquisas Espaciais (INPE), destacando que o CPTEC/INPE está treinando Núcleos Regionais de Meteorologia para atuar na Previsão de Curto Prazo e de Desastres Naturais.

Duda Falcão

CPTEC/INPE Treina Núcleos Regionais de
Meteorologia Para Atuar na Previsão de
Curto Prazo e de Desastres Naturais

Sexta-feira, 17 de Junho de 2016

Entre os dias 20 e 23 de junho, em Cachoeira Paulista, o Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) promove treinamentos técnico e de aplicações meteorológicas a cerca de 40 profissionais de núcleos e centros regionais de meteorologia e distritos do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET).

O treinamento faz parte do Projeto de Ação Transversal (MCTI/CNPq/FNDCT) de Pesquisa e Desenvolvimento em Meteorologia e Climatologia, coordenado pelo pesquisador do CPTEC/INPE, Luiz Augusto Machado. Aprovado no ano passado, o projeto prevê a compra e instalação de 25 estações de recepção de dados meteorológicos de baixo custo, que serão instaladas nos núcleos regionais; o desenvolvimento de um sistema de informações geográficas, o Sigmacast; o desenvolvimento conjunto de aplicativos, entre outras iniciativas de formação de pessoal.

Do ponto de vista institucional, o coordenador do CPTEC/INPE, Antonio Manzi, ressalta que as ações previstas pelo projeto, como o treinamento, deverão marcar a retomada de uma maior interação entre o Centro e os núcleos regionais. O projeto irá abastecer os núcleos regionais com grande quantidade de dados ambientais, fornecidos pelo sistema GeonetCast, mas também promoverá a capacitação de meteorologistas a fazer uso do Sigmacast, software de código aberto, desenvolvido pelo CPTEC/INPE e disponível gratuitamente na internet. Com esta ferramenta, explica Machado, o usuário poderá associar os dados do GeonetCast com os de redes e estações meteorológicas regionais e locais. Também será capaz de gerar produtos meteorológicos próprios, de acordo com seus interesses.

A expectativa, segundo Machado, é de que o uso desse aplicativo se amplie entre os usuários do GeonetCast no país e também entre as instituições de outros países que também recebem os dados desse sistema. O Sigmacast é hoje a única ferramenta disponível para manipular e fazer a gestão dos dados recebidos do GeonetCast. O analista Mario Figueiredo, responsável pelo desenvolvimento do Sigmacast, fará a apresentação desse software durante o treinamento.

Já o sistema GeonetCast, cujo responsável no CPTEC/INPE é o pesquisador Diego Souza, é uma iniciativa internacional associada ao Sistema GEOSS (Global Earth Observation System of Systems), com o objetivo de fornecer dados livres para atender a sociedade em diferentes áreas de aplicação, como de prevenção, risco e alertas de desastres naturais, clima, tempo, agricultura, água, saúde e ecossistemas. A lista de dados disseminados nesse sistema é baseada na necessidade dos usuários e na inter-relação entre provedores de dados - como a NOAA, dos Estados Unidos, EUMETSAT, da Europa, e pelo Brasil, INPE, INMET e serviços regionais - e usuários.

A NOAA é o principal provedor de dados da rede GEONETCast-Americas, componente Ocidental do GeonetCast, mas como o sistema é aberto, outras instituições, incluindo usuários, podem atuar também como provedores de dados regionais. O INPE, por exemplo, disponibiliza 17 produtos nesse sistema, como dados e imagens nos canais do visível, vapor d’água e infravermelho, geradas pelo satélite GOES-13, imagens coloridas (realce, composição e diferença entre os canais), imagens ForTraCC (Previsão a curto prazo e evolução dos sistemas convectivos baseado em satélites), ventos na troposfera, precipitação, detecção de focos de incêndio, número de dias sem chuva, descargas elétricas e índice ultravioleta.

Confira aqui a programação dos dois treinamentos.



Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Nenhum comentário:

Postar um comentário