quinta-feira, 12 de maio de 2016

Reunião Sobre Atividades Espaciais é Encerrada no CLA

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota publicada dia (09/05) no site do “Centro de Lançamento de Alcântara (CLA)” destacando que foi encerrada nesta sexta-feira (06/05) no CLA a reunião do Grupo de Interfaces de Lançamento (GIL 1/ 2016.

Duda Falcão

Reunião Sobre Atividades
Espaciais é Encerrada no CLA

Publicado: 09 Maio 2016
Última atualização em 09 Maio 2016


Foi encerrada nesta sexta-feira (6/5) a primeira reunião do ano do Grupo de Interfaces de Lançamento (GIL 1/ 2016), realizada no Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) desde a última segunda (2/5).

A reunião contou com a participação de militares e servidores civis pertencentes ao Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), Agência Espacial Brasileira (AEB), Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI) e dos Centros de Lançamento de Alcântara (CLA) e Barreira do Inferno (CLBI) e teve por objetivo apresentar informações sobre as principais ações e projetos em curso no relacionados à área espacial.

Durante a semana, especialistas da área espacial discutiram assuntos como o cronograma de lançamentos previstos para os anos de 2017 e 2018, o programa microgravidade com lançamentos de veículos nacionais, transportando experimentos científicos e tecnológicos e o projeto Foguete de Treinamento (FOGTREIN). O estágio atual de desenvolvimento dos foguetes VS-43 e VS-50  que devem ser utilizados para qualificar sistemas em apoio ao projeto envolvendo veículos lançadores de satélites como o Veículo Lançador de Microssatélites (VLM) também foi debatido ao longo do GIL. Além disso, durante o encontro ocorreu a Reunião de Acompanhamento de Interfaces (RAI) da Operação Rio Verde, uma prévia da atividade em que foram definidos os próximos passos visando o lançamento do foguete suborbital VSB-30 levando a bordo experimentos científicos e tecnológicos na carga-util denominada MICROG-2 em atendimento ao Programa Microgravidade da Agência Espacial Brasileira (AEB). A expectativa é que a operação seja realizada em Alcântara no segundo semestre deste ano. As recém-inauguradas edificações do Prédio de Segurança do SPL e do Prédio de Depósito de Propulsores instaladas na área operacional do CLA, essenciais para a realização de operações de lançamento de grande porte foram destacadas também durante a reunião.

“A primeira reunião do ano do Grupo de Interfaces de Lançamento é essencial para que possamos identificar dificuldades e potencialidades de todos os órgãos envolvidos para direcionarmos esforços e trabalharmos em sinergia visando o aperfeiçoamento dos projetos do setor aeroespacial em andamento no país”, afirmou o Coronel Aviador Cláudio Olany Alencar de Oliveira, Diretor do CLA.

GIL

O Grupo de Interfaces de Lançamento (GIL) é regulado pela Instrução do Comando da Aeronáutica (ICA) 60-1 e se reúne até três vezes ao ano para discutir, dar encaminhamentos e propor soluções para o andamento da atividade espacial no Brasil. Além do presidente, fazem parte do grupo integrantes do DCTA, AEB, IAE, IFI e dos Centros de Lançamentos em território nacional.


Fonte: Site do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA)

Comentário: Já disse o que penso da GIL e de suas notas, mas quero que fique claro para todos os meus leitores que eu não duvido das boas intenções desses profissionais que participam dessas reuniões (sejam eles militares ou civis) e sim dos responsáveis por tirar do papel o planejamento resultado dessas reuniões, ou seja, a Presidência da Republica e seus órgãos coordenadores, esses sim são os verdadeiros culpados por esta situação, todos evidentemente sob orientação desta debiloide que deve cair esta madrugada. Plagiando os religiosos de plantão : “Se Deus Quiser”. Entretanto a parte da nota destacada em amarelo me chamou a atenção, pois pode ser que esteja se referindo o uso dos foguetes VS-43 e VS-50 em projetos como o de propulsão liquida (dando sequencia a “Operação Raposa”), teste de sistemas sensíveis para foguetes (como o SISNAV), bem como quem sabe a continuidade do Projeto SARA. Tomara leitor, tomara mesmo que seja isso e que de agora em diante esses projetos tomem um rumo firme, dinâmico e efetivo. Leitor, isso só pode ser brincadeira. Não existe a menor possibilidade na atual conjuntura de se conduzir qualquer um desses projetos com a seriedade e o compromisso necessário, portanto infelizmente está é mais uma nota fantasiosa da FAB.

Nenhum comentário:

Postar um comentário