terça-feira, 3 de maio de 2016

NASA Encomenda Motor Iônico Para Ir Buscar Asteroide

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria postada dia (29/04) no site “Inovação Tecnológica” destacando que a NASA americana encomendou um motor iônico para ir buscar asteroide.

Duda Falcão

ESPAÇO

NASA Encomenda Motor Iônico
Para Ir Buscar Asteroide

Redação do Site Inovação Tecnológica
29/04/2016

[Imagem: NASA]
Protótipo de um motor iônico de 13 kilowatts em testes no
Centro Espacial Glenn - a NASA trabalha no desenvolvimento
de motores iônicos desde a década de 1960.

Propulsão solar-elétrica

A NASA anunciou detalhes para a concretização de uma das principais etapas para a missão que irá capturar um asteroide.

O anúncio envolve a construção do sistema de propulsão solar-elétrica, um motor iônico alimentado por painéis solares.

O propulsor, chamado Sistema Avançado de Propulsão Elétrica (AEPS - Advanced Electric Propulsion System), será construído pela empresa Aerojet Rocketdyne a um custo de US$67 milhões, e o primeiro protótipo deverá estar concluído em três anos.

Após este período, e dependendo dos resultados dos testes em laboratório, a empresa deverá entregar à NASA quatro unidades do propulsor para testes de voo e uso real.

A previsão inicial era que a missão ARM (Asteroid Redirect Mission) fosse lançada em 2020, mas agora a NASA fala em "meados da década de 2020".

Contudo, o propulsor iônico encomendado para a missão deverá ter vários outros usos, inclusive em missões para Marte.

Motor solar-iônico

O novo propulsor solar-elétrico deverá ter uma eficiência em termos de consumo de combustível 10 vezes superior aos foguetes comuns, que usam combustíveis químicos, e deverá gerar o dobro do empuxo produzido pelos motores iônicos atuais.

Em um motor solar-elétrico, painéis solares geram energia elétrica que é usada para acionar o motor iônico, que produz empuxo disparando íons, ou átomos eletricamente carregados.


A grande vantagem de um motor iônico, além de um consumo de combustível mínimo, é a geração de uma aceleração contínua, o que permite obter velocidades muito elevadas. Uma configuração solar-elétrica é mais adequada para voos na parte interna do Sistema Solar, onde os painéis solares captam mais energia, mas existem projetos para voos mais distantes que incluem os chamados "geradores nucleares".

Um dos exemplos de maior sucesso dos motores iônicos é o da sonda Dawn, que já visitou o asteroide Vesta e o protoplaneta Ceres, e agora se prepara para visitar um novo alvo ainda não anunciado.


Fonte: Site Inovação Tecnológica - http://www.inovacaotecnologica.com.br

Comentário: Pois é leitor enquanto o Sr. Braga Coelho segue divulgando meias verdades e sendo desrespeitoso com quem realmente contribuiu para inclusive criar a infraestrutura que hoje permite o seu emprego, agencias espaciais sérias através do mundo e comprometidas como a NASA, seguem buscando soluções para novos desafios no espaço, utilizando do mesmo modelo exitoso de parceria publica/privada (O governo cria as condições logísticas, define o que quer no espaço gerando assim a demanda, e encomenda a iniciativa privada) citado no artigo do Sr. Braga Coelho, mas com uma única e crucial diferença. Lá é pra valer e aqui é pura palhaçada. Sou um profundo admirador da área de propulsão espacial, pois sem ela não chegaremos a lugar nenhum. No Brasil existem vários projetos de propulsão espacial de diversos tipos, inclusive na área de propulsão iônica, entre outras, mas a falta de uma real Política de Estado para o setor, faz com que esses projetos se arrastem por décadas e em alguns casos nem sejam finalizados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário