segunda-feira, 16 de maio de 2016

Com Novo Sistema, INPE Reforça Vigilância na Região Amazônica

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada dia (13/05) no site do jornal “O VALE”, destacando que com um novo sistema o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) reforça vigilância na Região Amazônica.

Duda Falcão

REGIÃO

Com Novo Sistema, INPE Reforça
Vigilância na Região Amazônica

São José dos Campos
13 de maio de 2016 - 10:41


Com uma nova tecnologia, o INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) promete ampliar a fiscalização contra o desmatamento na Amazônia.  Trata-se do DETER-B, sistema baseado em dados de satélite com resolução de 60 metros, que vai gerar alertas em tempo real sobre o desmatamento da floresta.

O novo sistema lançado este mês é capaz de identificar ocorrências de 6,25 hectares e revelar ocorrências de desmatamento por corte raso (remoção total da cobertura florestal), desmatamento com vegetação, áreas de mineração ilegal, além do processo de degradação em diferentes intensidades.

A nova tecnologia é um aprimoramento do antigo sistema DETER lançado em 2004 (que agora é chamado de DETER-A), que identifica casos de desmatamento e degradação na Amazônia a partir de 25 hectares e sensores de resolução de 250 metros.

A equipe do INPE mantém em operação o DETER-A, simultaneamente ao DETER-B. Assim como seu antecessor, o Deter- B vai orientar a fiscalização do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), que recebe alertas diários gerados pelo sistema do INPE.

A nova ferramenta foi apresentada quinta-feira passada no lançamento da Estratégia do Programa de Monitoramento Ambiental dos Biomas Brasileiros, em Brasília.

Estratégia -  Cerca de 26 mil áreas já foram mapeadas com o novo equipamento de agosto a dezembro de 2015. "O DETER-B é essencial para coibir a nova estratégia adotada pelos desmatadores ilegais, concentrada em pequenas áreas", destacou ontem Igor Narvaes, pesquisador do CRA (Centro Regional da Amazônia) do INPE e coordenador técnico do projeto DETER-B.

As maiores emissões de alertas do DETER-B foram apresentadas no Pará (35,37%), Mato Grosso (24,30%), Rondônia (18,27%) e Amazonas (13,29%), correspondendo a aproximadamente 90% do número total.

Projeto - Segundo o INPE, o DETER- C já está em desenvolvimento pelo instituto. O projeto prevê um sistema ainda mais preciso com resolução espacial de 30 metros, a mesma do PRODES, projeto também do Instituto para o cálculo da taxa anual do desmatamento na Amazônia. Junto com o anúncio do DETER-b foram apresentados o programa para o monitoramento dos biomas e a divulgação dos novos dados do Terra-Class.

O Programa de Monitoramento Ambiental dos Biomas Brasileiros prioriza ações de mapeamento.  O programa será realizado em parceria entre os especialistas do INPE, EMBRAPA (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) e do IBAMA.

O INPE também apresentou na mesma ocasião, os novos dados do TerraClass Amazônia. Os dados demonstram que a pecuária ocupa aproximadamente 60% do total de áreas desmatadas em toda a região da Amazônia.


Fonte: Site do Jornal “O VALE” - 13/05/2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário