sexta-feira, 1 de abril de 2016

Tenente-Brigadeiro Rossato Visita a Maior Feira Aérea da América Latina no Chile

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota publicada ontem (31/03) no site da Força Aérea Brasileira (FAB), destacando que o Tenente-Brigadeiro Rossato esteve visitando até ontem a maior Feira Aérea da América Latina no Chile.

Duda Falcão

INTERNACIONAL

Tenente-Brigadeiro Rossato Visita a Maior
Feira Aérea da América Latina no Chile

A FIDAE acontece até o próximo domingo (03) e conta também
com demonstrações da Esquadrilha da Fumaça

Por Ten. Emille Cândido
Agência Força Aérea
Publicado: 31/03/2016 11:30h


O Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, participa até esta quinta-feira (31/03) da Feira Internacional do Ar e do Espaço (FIDAE), o maior evento da aviação civil e militar da América Latina e do hemisfério sul, que segue até o próximo domingo (03/04) em Santiago, no Chile.

Com uma programação que inclui visitas a estandes de empresas de todo o mundo, além do contato direto com líderes das Forças Armadas de diversos países, a presença do Comandante no evento valoriza a diplomacia e o relacionamento com outros povos para o fortalecimento da defesa regional.

Entre os temas tratados nesses encontros estão os novos desafios do setor, as formas de cooperação técnica entre as nações, intercâmbio informativo e o crescimento da indústria de segurança e defesa no Brasil e na América Latina.

FIDAE e Brasil

A FIDAE é um dos principais destinos para aqueles que desejam investir em negócios de defesa e segurança. Com mais de 35 anos de existência, reúne expositores e parceiros em potencial, vindos dos cinco continentes.


O Brasil é o único país a ter um pavilhão para suas empresas na feira que irão expor seus produtos e lançar novidades no mercado internacional, com o objetivo de expandir a atuação e garantir novos negócios. Cerca de 60 empresas que compõem a Base Industrial de Defesa (BID) participam do evento.

Segundo dados da Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança (ABIMDE), as empresas que integram o Projeto Setorial ABIMDE/APEX-Brasil (o qual facilita a exposição de produtos e serviços da Base Industrial de Defesa no exterior) exportaram juntas cerca de US$ 4 bilhões em 2014, o que equivale a 90% das exportações brasileiras do setor de defesa e segurança. Deste montante, US$ 2,4 bi referem-se a produtos de alta tecnologia.  

Esquadrilha da Fumaça na FIDAE


Após três anos sem apresentações internacionais, a Esquadrilha da Fumaça escolheu a FIDAE como palco da primeira demonstração internacional com o A-29 Super Tucano, aeronave implantada na unidade em 2015. A programação do Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA) no país conta com voo sobre a capital chilena em parceria com os Halcones, grupo de demonstração da casa, e demonstrações para o público nos dias 02 e 03 de abril. A parada final do circuito internacional será em Córdoba, na Argentina, com demonstração no dia 05 de abril.

Confira a cobertura completa do circuito internacional da Esquadrilha da Fumaça nas mídias sociais da FAB.


Fonte: Site da Força Aérea Brasileira (FAB) - http://www.fab.mil.br

Comentário: Não só como autor deste Blog de grande visibilidade na comunidade espacial do país, mas principalmente como cidadão brasileiro espero e exijo que o Comandante da Aeronáutica, o Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, esteja neste momento com uma equipe trabalhando nos bastidores deste evento com o intuito de oferecer os dois centros de lançamentos de foguetes do país (com a COMPETENCIA devida) as nações, empresas, instituições participantes ou qualquer um que esteja interessado em utilizar essas instalações e suas infraestruturas em missões espaciais conjuntas ou não. Não há mais como a Sociedade Brasileira continuar aceitando calada, ano após ano, investimentos nestes centros sem que eles deem o retorno esperado. Se o PEB não decola, que pelo menos esses centros se tornem autossustentáveis trabalhando na área de prestação de serviços espaciais como ocorre em Esrange, na Suécia, e em Andoya, na Noruega. Chega de conversa fiada, tá na hora de ação, e sinceramente torço para que o Brig. Rossato não entre para história como um omisso e conivente, como ocorreu com o comandante Juniti Saito. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário