segunda-feira, 11 de abril de 2016

AEB Participa de Cerimônia de Acordo entre Brasil e Rússia

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota da postada dia (08/04) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB), destacando que a agencia divulgou o resultado de Pré-Seleção para Seminário na China.

Duda Falcão

AEB Participa de Cerimônia de
Acordo entre Brasil e Rússia

Telescópio de monitoramento do lixo espacial começa a operar
até novembro deste ano, no Pico dos Dias, em Minas Gerais.

Coordenação de Comunicação Social – CCS
8/04/2016

Divulgação LNA/ Thamy Ribeiro/AEB
 José Raimundo, presidente da AEB.

Com apoio da Agência Espacial Brasileira (AEB), o Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA) e a Agência Espacial Russa (Roscosmos) assinaram na quinta feira (7.04), em Itajubá (MG), um acordo para instalação de um telescópio de monitoramento de lixo espacial.

O presidente da AEB, José Raimundo Coelho, ressaltou que “o benefício para o país é essencialmente a utilização dos dados, manutenção e controle da estação”. Os valores dos equipamentos e os custos operacionais para os primeiros três anos estão estimados em cerca de US$ 4 milhões. Todo esse recurso será destinado ao fornecimento, montagem e funcionamento dos equipamentos, custeio das obras, bem como o treinamentos dos técnicos brasileiros que irão operar a estação.

“É um acordo mútuo que vai servir tanto para a área espacial quanto para a área de astronomia” explica o diretor do LNA, Bruno Castilho. O acordo foi assinado por Bruno Castilho, Plínio Leite, diretor executivo da Fundação de Pesquisa e Assessoramento à Indústria (Fupai) e Yuri Roy, representante da Roscosmos.

O LNA terá o primeiro telescópio no país com participação no projeto Sistema Eletro-Óptico Panorâmico para Detecção de Detritos Espaciais (PanEOS ) que será o segundo do projeto em operação, o primeiro fica nas montanhas de Altai, na Rússia. Foi acordado que toda a comunidade astronômica brasileira terá acesso a todas as imagens produzidas pelo telescópio no Brasil.

Divulgação LNA
Da esquerda para a direita) Plínio Leite, diretor executivo
da FUPAI;  Igor Tarasenko, da delegação russa; Bruno
Castilho, Diretor do LNA; Albert Bruch, pesquisador do
LNA que trabalhou no acordo; Elena Zhurinova, do
departamento jurídico da Roscosmos; Yuri Roy, Diretor
da empresa russa responsável pela instalação do
telescópio; José Raimundo, presidente da AEB;
Gennady Saenko, representante da Roscosmos e
João Mauro Bernardo, prefeito de Brazópolis (MG).


Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

Comentário: Já disse que o diferença de um bom acordo para um mal acordo não é com quem você esta realizando este acordo e sim a competência e seriedade com que o mesmo foi elaborado, tendo como ponto de partida (neste caso) beneficiar exclusivamente os interesses da nação brasileira. Se assim for, não importa se é com americanos, russos, chineses, indianos, japoneses e até marcianos, desde que seja conduzida por gente comprometida com os interesses do país e acompanhada com a mesma competência e seriedade pelos órgãos de inteligência do país. Acordos espaciais são coisas comuns mesmo entre países onde a desconfiança entre as partes é grande. Os russos têm acordos com americanos, que por sua vez tem acordo com chineses, que por sua vez tem acordos com o Europeus, que por sua vez tem acordos com os americanos que por sua vez tem acordos com os Argentinos, que por sua vez tem acordos com o Brasil, que por sua vez tem acordos com diversos outros países que jamais cumpriu. Enfim... Entretanto, apesar de reconhecer no pesquisador Albert Bruch um servidor serio e competente, a simples presença do Sr. Braga Coelho neste evento me causa calafrios e diante disto é difícil acreditar que não tenha algo de errado com este acordo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário