quarta-feira, 23 de março de 2016

23 de março: Dia Meteorológico Mundial

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (23/03) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), destacando que o hoje se celebra o Dia Meteorológico Mundial.

Duda Falcão

23 de março: Dia Meteorológico Mundial

Quarta-feira, 23 de Março de 2016

A Organização Meteorológica Mundial (WMO, na sigla em inglês) definiu para 2016 o tema "Mais quente, mais seco e mais úmido - enfrentando o futuro" para o Dia Meteorológico Mundial, celebrado em 23 de março (data da criação, em 1950, da WMO como agência ligada às Nações Unidas).

A meteorologia científica é uma das principais áreas e faz parte da história do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) que, entre outros dados, utiliza informações obtidas por satélites nos produtos e serviços de seu Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC).

As condições climáticas afetam praticamente qualquer atividade humana, direta ou indiretamente. A probabilidade de sucesso de um evento, seja um show de rock ou uma complicada operação militar, aumenta significativamente se o fator “tempo e clima” é considerado um parâmetro conhecido.

O sucesso na previsão do tempo depende da qualidade dos dados disponíveis ao meteorologista. Os cenários de curto e médio prazo são gerados a partir de uma combinação da qualidade da assimilação dos dados coletados, do processamento computacional e do conhecimento da evolução dos parâmetros físicos que descrevem a superfície, a baixa atmosfera, os oceanos e as regiões polares, incluídos num modelo de previsão atmosférica global. Particularmente, a qualidade dos dados que definem as condições iniciais da atmosfera influencia criticamente na evolução do modelo de previsão utilizado.

Informações sobre parâmetros como pressão, temperatura e umidade, particularmente em regiões remotas ou de difícil acesso, podem ser obtidas, de forma eficiente e contínua, tanto espacial quanto temporalmente, através do acesso ao espaço.

Observações por satélites combinadas a medidas feitas por sensores de superfície permitem um ganho de qualidade nos dados inseridos para inicialização dos modelos numéricos para a previsão de tempo e clima.

Satélites meteorológicos observam nuvens, queimadas, efeitos da poluição, furacões, vazamentos de óleo, tempestades de areia, a camada de ozônio, cinzas de erupções vulcânicas, cobertura de gelo, fenômenos como o El Niño e diversos outros na superfície e atmosfera terrestre, além de eventos causados pelo homem.

Atualmente, o nível de acerto do CPTEC/INPE nas previsões de curto prazo (menor que 3 dias) ultrapassa os 90%, percentual que depende da boa qualidade dos dados utilizados na inicialização do modelo de previsão numérica. O uso de dados de satélites, que possibilita a contínua cobertura espacial e temporal do planeta, permite a geração de produtos com maior confiabilidade em resoluções cada vez menores. Isso traz maior confiabilidade na previsão de tempo e clima em atividades importantes para a sociedade e a economia do país (aviação civil, monitoramento de desastres naturais, situações de alerta em plataformas de petróleo, acompanhamento de safras agrícolas, entre várias outras atividades).

Saiba mais sobre o Dia Meteorológico Mundial: www.wmo.int/worldmetday


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Nenhum comentário:

Postar um comentário