segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Recife Ganha Estação Tecnológica Russa

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria publicada dia (19/02) no jornal “Diário de Pernambuco” destacando que Recife ganhou uma estação tecnológica russa do Sistema GLONASS.

Duda Falcão

LOCAL

Recife Ganha Estação Tecnológica Russa

O GLONASS foi instalado no Instituto de Tecnologia de
Pernambuco (ITEP) e possui tecnologia semelhante ao do GPS

Mariana Fabrício
Publicação: 19/02/2016 - 03:00

Sistemas de navegação já fazem parte do dia a dia das pessoas. Basta acionar o GPS para ser guiado a qualquer local do globo. No entanto, o Sistema de Posicionamento Global (GPS), mantido pelo governo dos Estados Unidos, não é a única opção de geolocalização disponível. Criado pelo governo russo, o GLONASS possui tecnologia semelhante e agora se torna mais próximo do Hemisfério Ocidental. Ontem, foi inaugurada uma Estação de Monitoramento no Instituto de Tecnologia de Pernambuco (ITEP).

A instalação acontece por conta do Acordo de Cooperação, firmado pelo governo brasileiro e a Rússia, assinado em 2006, e servirá para pesquisa e proteção mútua de tecnologias dos dois países. Segundo o diretor da Corporação Estatal Espacial Russa, Gennady Saenko, o GLONASS garante a utilização do espaço para fins pacíficos. “Esta estação é importante para a sociedade de especialistas e universidades, pois pode dar impulso a outros projetos na área espacial”, conta. Esta é a segunda instalação no Brasil. Uma outra já foi implementada na Universidade de Brasília (UnB).

Na Rússia uma das aplicações do GLONASS é no sistema de resposta de emergência que atua para diminuir a taxa de mortalidade nas estradas. “Um sistema de orientação de alta precisão concentra toda informação dos veículos indicando caso haja alguma situação grave, como um acidente, por exemplo”, explica Saenko.

De acordo com o diretor, o objetivo é expandir ainda mais o funcionamento na América do Sul e uma terceira estação será instalada na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) ainda este ano. O primeiro satélite do sistema foi lançado ao espaço em 1982, mas somente 10 anos depois se tornou operacional. “Sem dúvidas essa é uma oportunidade grande para trabalhar de forma global pensando no local, já que esta estação agrega ao Brasil mais uma opção ao GPS”, diz o o presidente do ITEP, Geraldo Eugênio.

Todos os aparelhos enviados ao ITEP são de origem russa e segundo o coordenador geral da Representação Regional do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação no Nordeste, José Bertotti, o investimento feito pelo Brasil foi ceder a estrutura que abriga a nova estação do GLONASS. “Esta inauguração materializa o acordo de cooperação. É um marco para a Ciência do país de onde, sem dúvida, vai transbordar novos frutos”, comemora Bertotti.

A instalação no Recife será um importante componente para redução do erro de posicionamento do sistema GLONASS na América do Sul, atuando na terra, no mar, no ar e no espaço. Nos próximos três meses o sistema vai atuar dependente da estação instalada em Brasília. Será feito um concurso para contratação de profissionais.

Saiba Mais


7 fatos sobre o GLONASS

1. 24  satélites fazem parte do sistema criado em 1976, inicialmente para fins militares

2. O objetivo é oferecer um sistema de geolocalização confiável e reduzir a dependência dos sistemas norte-americanos

3. 1982 foi o ano em que o primeiro satélite foi posto em órbita. Dez anos depois esse satélite tornou-se operacional

4. A captação acontece por um antena de quatro quilos que envia a um receptor de 206 milímetros

5. A instalação no Recife será importante para reduzir erros de posicionamento do sistema na América do Sul.

6. Nos próximos três meses o sistema vai atuar dependente de uma estação instalada em Brasília

7. Na Rússia uma das aplicações do GLONASSS é no sistema de resposta de emergência que atua para diminuir a taxa de mortalidade nas estradas


Fonte: Jornal “Diário de Pernambuco” - 19/02/2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário