quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Jornada Espacial Aborda Formação dos Astros e Satélites Geoestacionários

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota da postada hoje (02/12) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB), destacando que Jornada Espacial que esta sendo realizada em São José dos Campos (SP) abordou ontem (01/12) a formação dos Astros e Satélites Geoestacionários.

Duda Falcão

Jornada Espacial Aborda Formação dos
Astros e Satélites Geoestacionários

Coordenação de Comunicação Social (CCS-AEB)

Foto: Divulgação/AEB
O fotógrafo-astrônomo Gilberto Jardineiro falou sobre
as maneiras de se fazer observação noturna.

Brasília, 2 de dezembro de 2015 – A relação entre a Lua e a Terra e as possibilidades de água em outros astros foram os temas em destaques ontem (1º), segundo dia da 13ª Jornada Espacial, em São José dos Campos (SP).  No fim do dia, após atividades em separado, estudantes e professores se divertiram com a forma inusitada de contar a formação da Lua e da Terra do pesquisador Silvio Fazolli, do Observatório Astronômico do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) e de Gilberto Jardineiro, fotografo-astrônomo do AstroClube de Cunha (SP). Ambos explicaram também sobre como realizar a observação noturna.

Os estudantes também assistiram à palestra do engenheiro da TV Vanguarda, sobre Satélites de Comunicação e a Televisão. Ele falou sobre satélite geoestacionário, suas funções, a compra dos serviços de transmissão de TV antes do satélite seguindo uma linha histórica até explicar sobre a diferença entre a TV analógica e a HD e as diferenças na produção.

“Achei interessante por causa da complexidade que envolve a questão, que não é percebida pelas pessoas no simples ato de ver TV”, disse Ariel Ribeiro, estudante do Instituto Federal do Amapá em Laranjal do Jari (AP). Leonardo Silva Brito, estudante da Escola Carlos Drummond de Andrade em Presidente Médici (RO), destacou que “verificar que a Física da escola não está só nos livros, mas também na prática é muito importante”.

Simultaneamente os professores foram visitar o Colégio Embraer Juarez Wanderley. A escola do Instituto Embraer de Educação e Pesquisa foi criada em 2002. Seu projeto pedagógico prevê 10 horas diárias de aula aos 600 alunos matriculados nas três séries do ensino médio. ​Todos os alunos são egressos da rede pública de ensino e são selecionados por meio de um processo independente, de acordo com critérios estabelecidos pelo instituto.

Guiados pelos estudantes do estabelecimento os educadores conheceram a estrutura física do local e foram apresentados aos projetos desenvolvidos pelos alunos. Com a diversificação de projetos em humanas, biológicas e exatas em vários momentos os professores puderam conversar e compartilhar a metodologia e a aplicabilidade das ideias apresentadas. “O projeto da composteira em casa desenvolvia há 25 anos em um colégio rural e é muito bom ver que essas ideias ainda são trabalhadas”, disse Élio Moreira Santos, professor do Colégio Intelecto em Feira de Santana (BA).

Dedicação – À noite houve a palestra do integrante do Programa AEB Escola, Lucas Ferreira, sobre astrofotografia e ensino de astronomia, que implica em trabalhar fotografias do céu e de objetos celestes para ensinar astronomia e demais áreas relacionadas.

A continuidade da palestra é hoje (2), também a noite, em uma oficina voltada para o contexto das constelações em que os estudantes recebem astrofotografias impressas e identificam as constelações recortando-as e as alinhando com as fotografias.

O conteúdo abrange as principais constelações do inverno e do verão e utiliza de uma metodologia e didática interdisciplinar, trabalhando as demais áreas do conhecimento e não só astronomia. O material utilizado foi produzido pela Agência Espacial Brasileira (AEB), com a participação da Universidade de Brasília (UnB) e do Projeto de Astrofotografia Brasiliense “Astro Project Brazil ©”.


Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

Nenhum comentário:

Postar um comentário