quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Brasil e China Retomam Projeto de Satélite a Ser Lançado em 2018

Olá leitor!

Segue abaixo uma entrevista com engenheiro e jornalista Nélson Francisco Düring, editor do site Defesanet, analisando o novo Projeto do Satélite CBERS-4A, publicada que foi dia (30/12) no site “Sputnik Brasil”.

Duda Falcão

NOTÍCIAS - BRASIL

Brasil e China Retomam Projeto de
Satélite a Ser Lançado em 2018

30.12.2015 
Atualizado 31.12.2015 - 08:28

© Foto: Twitter/XHNews 

Especialistas do Brasil e da China aprovaram o projeto do satélite de observações CBERS-4A, que deverá avançar para a fase de fabricação dos modelos de voo de seus subsistemas e equipamentos. O CBERS-4A será lançado em 2018.


Em entrevista à Sputnik Brasil, o engenheiro e jornalista Nélson Francisco Düring, editor do site Defesanet, analisou o CBERS-4A:

“Este é um projeto antigo destinado ao estudo dos recursos naturais, dos recursos disponíveis na superfície da Terra. Trata-se de um projeto que, quando começou, coincidiu com um período de fortes restrições que a China enfrentava. Com o CBERS, o Brasil permitiu à China envolver-se neste trabalho e desenvolver operações conjuntas para observação da superfície da Terra, especialmente das áreas de devastação. O Brasil acabou aproveitando os lançadores da China, e o projeto se mostrou muito benéfico para as duas partes.”

A previsão de lançamento do satélite, o sexto da série CBERS, é dezembro de 2018, e, segundo Düring, o engenho será lançado de uma base da China:

“O lançamento vai ocorrer de uma base chinesa porque o satélite CBERS-4A utiliza os foguetes Longa Marcha, da China. O penúltimo lançamento teve um problema: o foguete não conseguiu atingir a órbita e o satélite se perdeu. Mas esta questão das perdas materiais foi acertada entre os dois países, e a China concordou em fazer os próximos lançamentos, utilizando as peças excedentes dos projetos 3 e 4.”

Por parte do Brasil, esta avaliação foi feita por uma banca formada por especialistas do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) e da AEB (Agência Espacial Brasileira), duas entidades ligadas ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

Com esta aprovação, o projeto passa para a fase seguinte de construção do engenho, que, então, estará apto para cumprir as suas finalidades, segundo Nélson Francisco Düring:

“O CBERS-4A é um satélite de observação terrestre. Esta versão 4 está sendo classificada pelo Governo brasileiro como um satélite de acompanhamento de regiões de devastação e, também, de observações meteorológicas.”

De acordo com informações do INPE e da AEB, “o CBERS-4A levará a bordo três câmeras, sendo uma chinesa e duas brasileiras. A câmera Multiespectral e Pancromática de Ampla Varredura (WPM) está sendo desenvolvida pela China. As brasileiras serão réplicas da WFI e da MUX, que estão integradas ao CBERS-4”. 



Fonte: Site Spútnik Brasil - http://br.sputniknews.com/ 

Comentário: Entrevista que na realidade não trouxe nada de novo, mas... Aproveitamos para agradecer ao leitor Jahyr Jesus Brito pelo envio desta entrevista e também desejar-lhe um Feliz ano de 2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário