terça-feira, 3 de novembro de 2015

Missão Histórica do IAE Completa Um Ano de Realizada

Olá leitor!

Neste momento em que nos aproximamos de uma das três mais importantes operações de lançamento previstas nesta década para Programa Espacial Brasileiro (PEB), ou seja, o lançamento do VS-40M/ SARA Suborbital 1 (as outras são a “Operação Raposa”, já ocorrida, e a tão aguardada “Operação Santa Bárbara II” do VLS-1 VSISNAV), que tem o seu lançamento já marcado para o dia 11/11, resolvemos aqui registrar que no dia 01 de setembro passado completou-se um ano da realização da histórica Missão do EPL/L5 da “Operação Raposa”, e de lá pra cá, pelo que sei, não houve qualquer continuidade neste projeto.

Entretanto, poucos dias atrás fiquei sabendo de uma notícia relacionada que pode inicialmente parecer bastante positiva, ou seja, de que o Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) já estaria discutindo com uma empresa brasileira o desenvolvimento de um estagio superior liquido controlado.

No entanto, segundo a minha forte, na reunião com a tal empresa, sob a desculpa de se ter de dar uma satisfação a Sociedade Brasileira, imposições muitos estranhas, discutíveis e que deveriam ser inaceitáveis foram impostas pelo IAE, mas que infelizmente não posso descrevê-las.

Ora leitor, levando-se em conta de que a minha fonte realmente esteja correta, não posso neste momento como brasileiro não está menos do que FURIOSO e extremamente preocupado, pois se assim for (diante do corrupto desgoverno que temos) esta história pode ter coisas por trás que atende interesses outros que não são interesses brasileiros.

Caso não, e seja mesmo a necessidade de dar uma resposta imediata a Sociedade Brasileira, o que por um lado seria bastante louvável e eu diria até necessário, por outro lado não seria a solução, já que existem importantíssimos projetos em curso no próprio IAE que se encontram suficientemente amadurecidos e poderiam em pouco mais de dois anos dar esta mesma resposta, caso houvesse compromisso com os mesmos.

No caso da resposta a Sociedade, e sinceramente espero que este tenha sido mesmo o real motivo das imposições feitas pelo IAE, posso até entender a preocupação do valoroso instituto da Força Aérea Brasileira (FAB), porém leitor jamais os objetivos devem justificar os meios, e o IAE como um instituto militar ligado a uma das forças armadas do país deve SEMPRE, repito, SEMPRE, incondicionalmente, defender os interesses da nação brasileira. Primeiro o BRASIL, depois o BRASIL, depois o BRASIL, depois o BRASIL e assim sucessivamente, esta deveria ser a postura de qualquer dos institutos do país, principalmente os militares, afinal estamos precisando de bons exemplos.

O leitor atento as minhas palavras pode perguntar: Mas e aí Duda, o que você acha que motivou realmente ao IAE fazer as tais imposições? Bom leitor eu lhe responderia dizendo o que já disse em várias oportunidades, ou seja, o Programa Espacial Brasileiro como imaginado e concebido pelos pioneiros acabou, foi engolido por interesses outros e não existe mais, e em breve será tudo, menos brasileiro. Triste.

Duda Falcão

Nenhum comentário:

Postar um comentário