sábado, 3 de outubro de 2015

Projeto CITAR, Saiba Mais Sobre Este Importante Projeto do PEB

Olá leitor!

Como o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) postou dia 30/09 uma chamada (veja aqui) oferecendo Bolsas na Área de Engenharia Elétrica e Eletrônica para o Projeto CITAR (Circuitos Integrados Tolerantes à Radiação), projeto este que está sendo coordenado pelo Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer (CTI Renato Archer) com a participação do INPE, do IEAv, do Instituto de Física da USP (IFUSP) e da Agência Espacial Brasileira (AEB), resolvi leitor trazer para você maiores informações sobre este importantíssimo projeto para o futuro do PEB. Veja pelo link abaixo um arquivo PDF que explica os detalhes do projeto:


Vale lembrar que o Projeto CITAR foi inaugurado pelo desgoverno da “DebiOgra” dia 15/07/2013, em cerimônia realizada nas instalações do “BBP - Brazilian Business Park” (espaço que abriga o Centro de Inovação da cidade de Atibaia-SP) com a presença do então Ministro de Ciência Tecnologia e Inovação, Marco Antônio Raupp.

O Projeto CITAR é na realidade a primeira ação multinstitucional brasileira para o desenvolvimento de circuitos integrados tolerantes à radiação, circuitos estes destinados a aplicações em satélites científicos.

“A radiação no espaço provoca a deterioração dos componentes eletrônicos convencionais, motivo pelo qual estes não são adequados para a construção de satélites e outros artefatos espaciais. Para esse tipo de aplicação, é necessário empregar componentes especiais, cujo processo de desenvolvimento ainda não é dominado pelas empresas nacionais. O objetivo do Projeto CITAR é desenvolver a competência de projetar circuitos com maior robustez a esse ambiente agressivo, que realizem funções específicas com maior capacidade de processamento. Assim, a vida útil dos satélites pode ser ampliada, diminuindo os custos de produção e as dimensões dos equipamentos”, afirmou na época o coordenador do projeto, o Tecnologista Sênior do CTI Renato Archer, Saulo Finco.

Segundo foi anunciado na época de sua inauguração o projeto contaria com um orçamento de R$ 20 milhões (cada fase) provenientes da FINEP, com a duração de quatro anos (dividida em duas fases de 24 meses) e com a participação de uma equipe multiprofissional formada por mais de 40 pessoas. Os recursos seriam utilizados na contratação da equipe de desenvolvimento, capacitação e treinamento de profissionais, aquisição de equipamentos para infraestrutura de projetos e testes e na fabricação e qualificação de componentes, sendo que as atividades de projeto e desenvolvimento seriam abrigadas em Atibaia e o seu início previsto para logo após a inauguração de suas instalações.

O maior objetivo do Projeto CITAR leitor é consolidar, no Brasil, a competência para a realização do ciclo completo de desenvolvimento compreendo as etapas de especificação, projeto, simulação, layout, envio para fabricação, encapsulamento, teste e qualificação de Circuitos Integrados tolerantes a radiações, para aplicações aeroespaciais e afins, sendo que as atividades serão focadas no desenvolvimento de CI´s demandados pelo Programa Espacial Brasileiro, indicados pelo INPE.

Vale aqui leitor chamar a sua atenção para o fato de que, mesmo tendo no seu poder decisório gente que não vale nada, debiloides incompetentes de carreira, ações como essa do Projeto CITAR no âmbito do PEB ocorrem apesar do total descaso e estupidez vigente no meio político, talvez graças a ações de poucos ou até mesmo por motivos discutíveis, sabe-se lá, mas o fato é que o Projeto CITAR, se bem conduzido for, poderá trazer realmente grandes benefícios ao cambaleante Programa Espacial Brasileiro.

Abaixo trago para você leitor dois vídeos sobre o evento de inauguração do projeto ocorrido em Atibaia-SP em 15/07/2013

Duda Falcão


Um comentário:

  1. E ainda tem gente idiota que critica o Brasil po ter um Programa Espacial, inclusive por tentar desenvolver foguetes lançadores.

    Esses imbecis ignorantes não tem a mínima noção sobre o quanto um Programa Espacial bem estruturado é benéfico para a economia de qualquer país.

    Este projeto CITAR é um excelente exemplo, ter uma indústria de semicondutores é fundamental para qualquer país que deseja ser independente tecnologicamente e economicamente. Todos os processos industriais e muitos bens de consumo (eletrônicos, por ex.) dependem de semicondutores.

    O Brasil até hoje não tem uma indústria de semicondutores, nem estrangeira muito menos nacional.

    Somos 99% dependentes de componentes importados. No caso de projetos sensíveis somos vítimas de embargo dos países que dominam a tecnologia e que não querem que dominemos tecnologias sensíveis de defesa e inteligência.

    Com este projeto o Programa Espacial Brasileiro estará a partir de agora contribuindo para mitigar e futuramente sanar este problema e de quebra, provavelmente, ainda contribuirá para desenvolver uma indústria nacional com fins comerciais.

    ResponderExcluir