sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Pesquisadores Debatem Fabricação Nacional de Circuitos Integrados

Olá leitor!

Segue abaixo uma interessante nota publicada ontem (15/10) no site da Força Aérea Brasileira (FAB), destacando que pesquisadores irão debater de 03 a 05/11 em Workshop promovido pelo Instituto de Estudos Avançados (IEAv) fabricação nacional de circuitos integrados. As inscrições para o evento estarão abertas até domingo (18/10).

Duda Falcão

TECNOLOGIA

Pesquisadores Debatem Fabricação
Nacional de Circuitos Integrados

Workshop aborda efeitos da radiação cósmica em componentes de satélites e aviões

IEAv/INPE/Agência Força Aérea
15/10/2015 - 10:30h

Até domingo (18/10) estão abertas as inscrições para o Werice Aerospacial 2015 – 6º Workshop sobre os Efeitos das Radiações Ionizantes em Componentes Eletrônicos e Fotônicos de Uso Aeroespacial.O evento será realizado no Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), em São José dos Campos (SP), de 3 a 5 de novembro.

Promovido pelo Instituto de Estudos Avançados (IEAV) e pelo Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer, o workshop tem o apoio do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe/MCTI) e aborda os problemas decorrentes dos efeitos da radiação de origem cósmica em equipamentos embarcados em satélites e aeronaves.

O Werice reunirá empresas, instituições de pesquisa e universidades com competências nas áreas de interesse do Programa Espacial Brasileiro. O objetivo é estimular a colaboração e o intercâmbio de ideias em temas como microeletrônica, computação, física nuclear e engenharia aeroespacial e no incentivo à pesquisa, desenvolvimento, inovação e transferência de conhecimento para as empresas.

De acordo com o coordenador do evento, professor doutor Odair Lelis Gonçalez, a expectativa é que 120 profissionais participem. “Há grupos isolados na USP, UFRGS, FEI, PUC-RS, INPE, CTI trabalhando no assunto, de maneira que este workshop atua como um foro integrador ideal para o estabelecimento de colaborações, troca de experiências e aquisição de novos conhecimentos”, explica.

Uma novidade desta edição é a mesa redonda com especialistas brasileiros que vão discutir e apresentar propostas para viabilizar a fabricação desses circuitos integrados no País de forma menos vulnerável aos embargos internacionais. Os circuitos são estratégicos para o desenvolvimento de um programa nacional de satélites, aeronaves e outros eletrônicos para aplicações em defesa.

“Neste ano serão apresentados os resultados de um projeto conjunto que tem por objetivo desenvolver a capacitação nacional para todo o ciclo de desenvolvimento, qualificação e fabricação de circuitos integrados robustos e tolerantes à radiação ionizante para aplicações aeroespaciais e defesa”, explica o coordenador. O projeto financiado pela FINEP tem valor aproximado de R$ 20 milhões.

Durante a programação, representantes de órgãos governamentais de políticas e fomento à ciência e tecnologia, instituições de pesquisa e desenvolvimento (P&D), Design Houses, Universidades e empresas de microeletrônica e de equipamentos embarcados para o setor aeroespacial, que participam do Programa Nacional de Atividades Espaciais (PNAE), defesa e outros correlatos poderão discutir oportunidades e perspectivas do setor quanto à obtenção de componentes eletrônicos e fotônicos tolerantes à radiação cósmica. Também haverá apresentação de trabalhos técnicos e ações de desenvolvimento de recursos humanos por meio de minicursos sobre temas atuais de eletrônica embarcada para aplicação aeroespacial.

Outro objetivo é apoiar a captação, a formação e o aperfeiçoamento de recursos humanos para o setor de microeletrônica da indústria aeroespacial e de defesa pela efetiva participação de estudantes de graduação e pós-graduação.

“A aplicação prática imediata é a capacitação da indústria nacional fornecedora de sistemas eletrônicos para o programa nacional de atividades espaciais e dos laboratórios nacionais para os ensaios de qualificação de componentes eletrônicos quanto à sua tolerância à radiação cósmica, qualificação esta indispensável para garantir a segurança operacional e durabilidade de missão espacial. Observa-se que esta capacitação de ensaios de irradiação é imprescindível e estratégica para garantir que os itens adquiridos no exterior realmente atendam às especificações de projeto, pois trata-se de tecnologia sensível”, detalha o coordenador.

Mais informações e inscrições na página do evento.


Fonte: Site da Força Aérea Brasileira (FAB) - http://www.fab.mil.br

Comentário: Leitor não resta dúvida da necessidade de se criar uma industria nacional nesta área se quisermos ter um Programa Espacial realmente autônomo. Entretanto, estabelecer uma industria nacional de circuitos integrados no Brasil que se utilize de financiamento governamental para o desenvolvimento de seus projetos, antes de se estabelecer os conceitos coerentes e responsáveis de "Empresa Nacional" e de "Empresa de Segurança Nacional", não só é uma tremenda de uma estupidez, bem como uma tremenda irresponsabilidade política que só pode ser explicada por motivos excursos. Tratar empresas, por exemplo, como a AEL Sistemas, Optovac, Omnisys, entre outras, como empresas nacionais, não só é errado como criminoso e seus responsáveis deveriam estar na cadeia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário