quinta-feira, 8 de outubro de 2015

MCTI Participa de Grupo Interministerial Para Atividades Espaciais no Brasil

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada hoje (08/10) no site do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) destacando que o ministério irá participar do Grupo de Trabalho  Interministerial Para o Setor Espacial (GTI - Setor Espacial) criado recentemente.

Duda Falcão

MCTI Participa de Grupo Interministerial
Para Atividades Espaciais no Brasil

Por Ascom da AEB
Publicação: 08/10/2015 | 14:00
Última modificação: 08/10/2015 | 00:36

A atividade espacial virou uma das prioridades para o Brasil. Assim, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e o Ministério da Defesa criaram o Grupo de Trabalho Interministerial para o Setor Espacial (GTI – Setor Espacial). O GT vai assessorar ambas as pastas nos trabalhos relativos ao aprimoramento do Programa Estratégico de Sistemas Espaciais (Pese), do Programa Nacional de Atividades Espaciais (PNAE) e da Política Nacional de Desenvolvimento das Atividades Espaciais (PNDAE).

O grupo, que será coordenado pelo Ministério da Defesa, pode convidar representantes de outros órgãos ou entidades públicas ou privadas para participar de suas reuniões.

A previsão de conclusão dos trabalhos é 31 de dezembro deste ano. Até lá, o Grupo de Trabalho deve propor a revisão do modelo de governança para as atividades espaciais e da legislação, com a finalidade de organizar e dinamizar as atividades espaciais no País como um programa de Estado. Entre as atividades a serem desenvolvidas estão a formalização de um regime diferenciado de contratação de pessoal especializado para o setor, bem como um regime diferenciado para aquisição de bens, serviços e informações com implicação direta nos projetos e instalações do setor espacial.

Compete também ao GTI elaborar uma proposta de revisão do PNAE para o decênio 2016-2025, harmonizando as diversas iniciativas espaciais em curso; um Projeto Mobilizador, para o período de cinco anos, visando fomentar o incremento da indústria nacional, quanto aos seus componentes principais como satélite, lançador e infraestrutura de lançamento e operação.


Fonte: Site do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI)

Comentário: A atividade espacial virou uma das prioridades para o Brasil. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, ou o autor desse texto é um completo analfabeto sobre o assunto, ou está mal intencionado. Mas vamos deixar isso para lá. O que interessa é que fomos talvez o primeiro a dar a notícia sobre a criação desse Grupo de Trabalho Interministerial para o Setor Espacial, quando dias atrás publicamos na integra a Portaria que criou este grupo (veja aqui). Na realidade leitor, a dificuldade não está em identificar os problemas do PEB, para ai apontar as soluções em busca da transformação do mesmo num Programa de Estado. Os problemas que afligem a operacionalização do nosso cambaleante programa espacial são por demais conhecidos há décadas, existem diversos estudos sobre o tema, o que facilita e muito o trabalho desse grupo se houver o mínimo de seriedade. Qualquer documento que seja gerado desta iniciativa poderá apenas ser mais um de tantos que já foram gerados se não houver do desgoverno o firme propósito de implementá-lo com COMPROMISSO.  Criar documentos fantasmas sem o intuito de executa-los é uma das grandes marcas desses desgovernos civis após o período militar, e com o PEB a história não foge a regra. Se o desgoverno desta demente petista realmente tivesse a intenção de mudar algo com COMPROMISSO, não esperaria um momento político tão ruim e conveniente para divulgar notícias com esta, afinal boa gestão, seja ela pública ou não, passa por visão, seriedade e planejamento em curto, médio e em longo prazo, com o firme propósito de executar o que for necessário para solucionar seja qual for o problema que se esteja enfrentando. É isso que um bom gestor tem de ter em mente para assim ter COMPROMISSO com o que precisa ser feito. E vamos ser honestos, o COMPROMISSO desta debiloide e de seus 'companheiiiros' está bem longe desta realidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário