quarta-feira, 28 de outubro de 2015

CLBI Completa 50 Anos Com a Marca de Três Mil Lançamentos de Engenhos Espaciais

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota publicada ontem (27/10) no site da Força Aérea Brasileira (FAB), destacando que o Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI) completou dia 12 de outubro 50 anos de atividades.

Duda Falcão

ESPAÇO

CLBI Completa 50 Anos Com a Marca de
Três Mil Lançamentos de Engenhos Espaciais

Diretor avalia que o centro de lançamento está direcionando
esforços para ações de comprometimento social e educacional

CLBI/Agência Força Aérea
Publicado: 27/10/2015 - 08:00h


O Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), responsável, junto com o Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), pelo lançamento e rastreio de engenhos espaciais no Brasil, completou 50 anos no último dia 12 de outubro.

Nesse período, a unidade, localizada em Parnamirim (RN), serviu como base de onde foram lançados aproximadamente 3 mil foguetes e rastreados mais de duzentos veículos espaciais lançados a partir da Guiana Francesa, entre eles os foguetes Ariane, Soyuz e Vega.

Para marcar o jubileu de ouro, o CLBI recebeu, na sexta-feira (23/10), a medalha Ordem do Mérito Aeronáutico (OMA), comenda concedida a pessoas e instituições que prestam serviços relevantes à sociedade brasileira e à Aeronáutica.

Segundo o Diretor do Centro, Coronel Maurício Lima de Alcântara, a unidade está remanejando sua estrutura para englobar atividades nas áreas acadêmicas voltadas ao conhecimento do espaço e do clima. Por meio de uma parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), o Centro tem sediado diversos eventos científicos nos últimos anos. O mais recente, VI Simpósio Internacional de Climatologia, reuniu mais de cem participantes para debater as vulnerabilidades climáticas e suas consequências para o Brasil e o mundo. No último dia, os pesquisadores acompanharam o lançamento de um Foguete de Treinamento Básico (FTB)

“O CLBI tem direcionado seus esforços e projetos não somente aos lançamentos, mas a ações de comprometimento social e educacional”, afirma o Coronel Alcântara.


Nesse sentido, até o final deste ano será inaugurado dentro das instalações do CLBI o Centro Vocacional Tecnológico (CVT), que objetiva receber estudantes e despertá-los ao estudo de assuntos de interesses da área aeroespacial, além de capacitar professores para que disseminem o conhecimento em sala de aula.

“Queremos contribuir para que a sociedade local passe a ter outro olhar sobre as atividades espaciais brasileiras e amplie sua visão sobre as necessidades que o País tem de dominar cada vez mais as tecnologias do setor”, analisa o Diretor.


Comemorações - Para marcar o chamado Jubileu de Ouro da unidade, alémda formatura militar, foram realizados diversos eventos para congregar o público interno e a comunidade local. No início do mês (02/10), aproximadamente 300 militares e civis participaram de uma corrida de 5Km na Rodovia do Sol, que dá acesso ao Centro. No dia 05/10, houve apresentação de coral no Centro de Cultura Espacial e Informações Turística – CCEIT, seguida da entrega do título ‘Amigos da Barreira’.

No dia 7 de outubro, aconteceu uma marcha de 8Km, onde foram ministradas instruções militares de resgate na selva e de sobrevivência em regiões semiáridas, a cargo da Companhia de Infantaria Isolada. Já no dia seguinte, para encerrar as festividades, a Banda de Música da Base Aérea de Natal (BANT) realizou um concerto no teatro de Parnamirim.

Fonte: Site da Força Aérea Brasileira (FAB) - http://www.fab.mil.br

Comentário: O Blog BRAZILIAN SPACE gostaria de parabenizar o Coronel Maurício Lima de Alcântara pelos 50 anos de atividades espaciais do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI) e das ações mais recentes na área social desse centro desde que o Cel. Alcântara assumiu a sua direção. Entretanto, e preciso Coronel fazer muito mais, já que um centro de lançamento lança foguetes com objetivo diversos e isto não vem ocorrendo na frequência desejada e possível, fazendo com que este equipamento fantástico seja mal aproveitado. Tome como exemplo Esrange e Andoya, centros de lançamentos muito bem aproveitados na Europa graças a diversos acordos entre diversos países do mundo. Temos um mercado fantástico a ser explorado na América do Sul e Central, graças não só a existência deste centro, bem como a sua grande experiência nessas atividades e evidentemente a sua tecnologia de foguetes de sondagem. Tanto o CLBI com o CLA e seus foguetes tem de serem oferecidos em eventos astronáuticos nas Américas e através no mundo, fora evidentemente a instituições científicas e acadêmicas no Brasil. Esse trabalho precisa ser feito com competência, dedicação, e dinamismo, já que esperar que esses pseudos Ministros da Defesa e de C&T e esse banana fantoche do presidente desta Agência Espacial de Brinquedo (AEB) façam isto, é mesmo que acreditar em Papai Noel. Alguém tem de se mexer. Outra coisa Coronel Alcântara, notícia boa esta sua sobre o CVT Espacial, espero realmente que venha a se concretizar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário