sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Concluído Com Sucesso o Primeiro Teste de Interface Entre Subsistemas do Satélite CBERS-4A

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (03/09) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), destacando que foi concluído com sucesso o primeiro teste de interface entre subsistemas do Satélite Sino-Brasileiro (CBERS-4A).

Duda Falcão

Concluído Com Sucesso o Primeiro Teste
de Interface Entre Subsistemas
do Satélite Sino-Brasileiro

Quinta-feira, 03 de Setembro de 2015

O primeiro teste de interface entre subsistemas da carga útil do satélite sino-brasileiro CBERS-4A, que levará a bordo três câmeras, foi realizado na China pelos especialistas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e da Academia Chinesa de Tecnologia Espacial (CAST).

Nos laboratórios da CAST, de 24 a 27 de agosto, foram bem-sucedidos os testes de interface entre os simuladores das câmeras WPM (Câmera Multiespectral e Pancromática de Ampla Varredura), MUX (câmera multiespectral) e WFI (Câmera Imageadora de Campo Largo) e o Subsistema Transmissor de Dados (DTS) do satélite sino-brasileiro CBERS-4A.

O Subsistema Transmissor de Dados (DTS) tem a função de receber, gerenciar e transmitir em tempo real os dados de imagens das três câmeras. Estes dados também podem ser gravados pelo Subsistema DDR (Gravador de Dados Digitais) e transmitidos para a estação terrena.

“É muito importante a validação das interfaces entre os subsistemas, pois os dados de imagem são transmitidos para as estações terrenas em alta taxa (900 Mbps), com tecnologia de compressão e codificação, sendo necessário verificar a compatibilidade entre as câmeras e o transmissor de dados”, informa o engenheiro Carlos Alberto Bento Gonçalves, arquiteto de comunicações do Programa CBERS no INPE.

Câmeras

A câmera chinesa WPM é a nova carga útil desenvolvida para o CBERS-4A e pode obter imagens com resolução espacial de 2m na banda pancromática e de 8m nas bandas multiespectrais, com largura de faixa imageadora de 90 km.

A câmera MUX, fabricada no Brasil pela Optoeletrônica, opera em quatro bandas multiespectrais e tem capacidade de prover imagens com resolução espacial de 16m, com largura de faixa imageadora de 95 km.

A câmera WFI, fabricada pela indústria brasileira Equatorial, tem resolução espacial de 55m, com largura de faixa imageadora de 684 km.

Informações sobre o programa de satélites CBERS na página: www.cbers.inpe.br



Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Comentário: Só lembrando que a empresa Equatorial não é brasileira, já foi, mas não é mais. E não é com a repetição desta informação errônea e mentirosa que esse energúmenos irão transforma-la em empresa brasileira, pelo menos não se depender de mim. Esse caso vem se repetindo não só com a Equatorial, bem como outras empresas estrangeiras com sede no Brasil, sendo as mais conhecidas (além da Equatorial) a AEL e Omnisys, que também já foram brasileiras e hoje estão sobre criminoso controle estrangeiro. Mas enfim, tá ai a notícia sobre o CBERS-4A.

3 comentários:

  1. Precisamos melhorar a qualidade de nossos equipamentos ópticos como podemos perceber pelas características de cada um dos equipamentos que estarão a bordo do CBERS-4A. Qualidade tecnológica nacional não significa apenas "produzido no Brasil". Precisamos investir em tecnologias sensíveis e de qualidade, o que parece que não é prioridade. Se é que ultimamente os governantes desses país tem alguma prioridade.

    ResponderExcluir
  2. hoje fiquei sabendo que " O veículo lançador Alfa " (VLS ALFA) , utilizará as mesmas torre de integração e mesa de lançamento construídas para o VLS-1

    e que também o VLM-1 , utilizará as mesmas torre de integração e mesa de lançamento construídas para o VLS-1

    Então , pelo visto , só a partir do VLS BETA que teremos uma nova torre, a 2° a construir , de integração e mesa de lançamento construída no CLA.

    ResponderExcluir
  3. me esqueci de postar a Fonte desses Dados acima citados ;

    * IAE - Instituto de Aeronáutica e Espaço

    http://www.iae.cta.br/site/page/view/pt.vlsAlfa.html

    * Gunter's Space Page

    http://space.skyrocket.de/doc_lau/vls.htm

    ResponderExcluir