quinta-feira, 13 de agosto de 2015

SpaceMETA, Um Embuste? Uma Jogada de Matketing? Cadê a Missão LUMEM?

Olá leitor!

A função do Blog BRAZILIAN SPACE é divulgar as notícias oficiais ou não das atividades espaciais brasileiras e de suas ciências correlatas, sejam elas fantasiosas (como a maioria das oficiais, né verdade Sr. Braga Coelho?) sejam elas expectativas de grupos que atuam nessa área, gostemos ou não do seu conteúdo.

Desde que ouvi falar pela primeira vez que uma equipe brasileira (SpaceMETA) iria participar da mais conhecida e importante competição espacial privada do mundo, o “Google Lunar X-Prize”, pensei comigo, tenho que entrar em contato com essa gente e buscar maiores informações para os meus leitores.

E foi justamente o que fiz, entrei em contato na época com o líder da equipe, o Sr. Sérgio Cabral Cavalcanti, e em fevereiro de 2011 publiquei no Blog a primeira das duas entrevistas realizadas com este senhor (veja aqui – a segunda foi publicada em janeiro de 2013veja aqui) quando então tive uma boa impressão do mesmo e assim decidir por apoiar incondicionalmente esta iniciativa, não só divulgando as notícias que saiam na mídia brasileira e internacional sobre as atividades da equipe, bem como criando também um informativo específico que chegou a sua vigésima segunda edição em novembro de 2014, mas que não sofreu continuidade não só pela extrema falta de notícias, mas principalmente por não acreditarmos mais na seriedade deste projeto.

Vale lembrar que no período que a iniciativa do Sr. Sérgio Cabral Cavalcanti contava com o nosso apoio, por diversas vezes recebemos informações negativas sobre o projeto, mas optamos por não assimilá-las, pois acreditávamos que um projeto que contava com apoio público de uma empresa da credibilidade da Intel, não podia ser uma história mal contada.

Acontece que com o passar do tempo ficou claro que enquanto as outras equipes participantes desta competição divulgavam seus avanços através de vídeos e de notícias dadas pela mídia internacional, os meses foram se passando e se tornado anos e as notícias apresentadas pela SpaceMETA se restringiam a divulgar tecnologias desenvolvidas por outros grupos que supostamente seriam aproveitadas no projeto da equipe. Em momento algum foi divulgado qualquer vídeo sobre testes realizados para tal Missão LUMEM prevista no projeto, e até hoje ninguém viu nada que comprove a existência de qualquer atividade de desenvolvimento desse rover lunar.

Entretanto e apesar disso continuei a apoiar o suposto projeto até no dia em que o Sr. Sérgio Cavalcanti resolveu assinar um Memorando de Entendimento (MOU) com a mal engenhada empresa Alcântara Cyclone Space (ACS), visando com isso lançar a sua missão lunar através do trambolho tóxico Cyclone-4 desta empresa. Se a imagem deste projeto já não era dos melhores para o Blog, foi a partir daí que tivemos a certeza da falta de seriedade desta iniciativa, não só por acreditarmos que fazendo isto o Sr. Sérgio estava apostando num projeto moribundo e dando sustentação a um acordo extremamente prejudicial para o Programa Espacial Brasileiro, como também agindo assim ele estava demonstrando ser um oportunista, já que desde o nosso primeiro contato ele sempre defendeu o uso de tecnologias verdes, inclusive divulgando que já se encontrava em contato com uma das stup-up brasileiras que trabalhava na época e ainda trabalha no desenvolvimento de motores-foguetes verdes, ou seja, a pequena empresa paulista Edge of Space do Eng. José Miraglia (chegou até usar material dessa empresa em suas apresentações no Brasil e no exterior).

A partir daí a página da equipe no Facebook que só divulgava notícias sobre as atividades espaciais da NASA, sobre Ufologia e ocasionalmente alguma notícia sobre a equipe, publicou no dia 03 de junho que em breve iria divulgar a trajetória balística de sua missão lunar (coisa que até agora não o fez), e no dia 26 de junho publicou que o seu líder havia tomado café com a Sra. Estela Guillens da empresa americana SpaceX, quando da visita recente da mesma a cidade do Rio de Janeiro.

Para completar o Sr. Sérgio voltou a publicar no dia de hoje (13/08) nesta mesma página no Facebook uma entrevista dele concedida à astrônoma americana Dra. Pamela L. Gay,  e exibida durante o décimo episódio do programa “Google Lunar XPRIZE Team Hangout”, intitulado de “Disruptive Innovation From Brazil”, já postado aqui no Blog em 20 de novembro de 2014 (veja aqui).

Pois é leitor, continuamos esperando que o senhor Sérgio Cabral Cavalcanti apresente a sociedade fatos concretos sobre o seu projeto, e enquanto isso não ocorre, não há como não taxar este projeto de um embuste, de uma jogada de marketing comercial elaborada para nos enganar e a Sociedade Brasileira. Lamentável! Com a palavra o Sr. Sérgio Cabral Cavalcanti.

Duda Falcão

8 comentários:

  1. Apenas mais um artista no circo que é este país!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Anonimo. Sim, creio que somos artistas sim. Mas so posso falar por mim e nao em nome de alguns outros que estao conosco nessa aventura. Tenho uma tendencia natural a atrais artistas. Porem vc tem uma semelhanca grande tambem com os artistas, pois nao utiliza seu nome para se identificar. Mesmo assim, espero que goste ai da plateia do show. Deixa conosco ...

      Excluir
  2. Parece que o veiculo ( parece um vírus) só vai rodar nos sonhos de seu idealizador. A partir do momento que o cidadão não se interessou pela proposta da Flórida já percebi que era um falcatrua... Pena, isso queima o filme do Brasil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aureo,
      Quando desenhamos o Solitaire fizemos mutias simulacoes em Maya para testar nosso modelo. Hoje ele existe e eh vendido em diferssas lojas pelo Mundo como um brinquedo de robotica. Voce eh a primeira pessoa a saber disso, e anunciaremos os produtos em breve na conferencia mundial em Tokyo em Outubro proximo. Estamos fechaos na visao de utilizar o Brasil como base para o nascimento de nossas ideias. Florida nao nos interessa nesse momento. Em relacao ao filme do Brasil, creio que eh a primeira vez que o setor aparece em escala global na midia mundial. Eh um longo caminho solitario , por isso nosso veiculo se chama SOLITAIRE. Sim, foram anos planejando o formato de virus, que agora parece vai virar tendencia.

      Excluir
  3. Boa noite a todos ( os possiveis 10 leitores do Blog ). Gostariamos de agradecer as belas palavras proferidas a nosso respeito por esse respeitado e serio veiculo de comunicacao. Fazer ciencia espacial , historicamente sempre passou por esse tipo desafio de entendimento e compreencão. Sao palavras e pessoas como essas que nos fazem ter a certeza que a parte mais dificil nao eh a tecnologia. Aos leitores que continuam torcendo para que nosso primeiro passo de exemplo e coragem tenha servido de modelo para os nossos sucessores, nosso muito obrigado , e os convido para nossa conferencia em Tokyo , a se realizar em Outubro proximo. Ao Duda Falcao, nossa torcida para voce continuar estudando o tema cada vez mais e informando nosso publico com esse profissionalismo exemplar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Sr. Sergio Cabral!

      Há quanto tempo? Nós que agradecemos a sua presença, aí incluídos os dez leitores do Blog citados pelo senhor. Também agradecemos o seu reconhecimento pelo nosso veículo de comunicação, e continuaremos esperando que a SpaceMETA possa apresentar algo de concreto em relação ao seu Projeto Lunar, talvez até mesmo na conferencia em Tokyo que o senhor citou, pois assim poderemos informar nosso publico com esse mesmo profissionalismo exemplar reconhecido pela sua pessoa.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
  4. Interessante. Este ano e próximo é a reta final do concurso. Queria poder acompanhar a equipe brasileira mas parece que a coisa não andou. O Brasil há muito conta com a base de lançamento conhecida como "barreira do inferno" para estes tipos de experimentos espaciais. Já avistei experimentos da base a olho nú, alguns até mal sucedidos. Mas não há relatos de acidentes nem de feridos, acredito ser uma base segura.
    Apesar de parecer uma missao impossivel, hoje já percorremos distâncias equivalentes em poucas horas, ao menos combustível não falta nem tecnologias disponíveis.

    Boa sorte a equipe brasileira.

    ResponderExcluir