sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Documentário Sobre Passado Geológico da Amazônia Será Lançado em São José dos Campos

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (07/08) no site do “Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)” destacando que Documentário sobre passado geológico da Amazônia será lançado em São José dos Campos (SP).

Duda Falcão

Documentário Sobre Passado
Geológico da Amazônia Será Lançado
em São José dos Campos

Sexta-feira, 07 de Agosto de 2015

Baseado em estudos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o documentário “GEOBIAMA: Uma Expedição Científica na Amazônia” será lançado no dia 13 de agosto (quinta-feira), às 19 horas, no Auditório do SESC de São José dos Campos. A entrada é gratuita e os ingressos estarão disponíveis na bilheteria do SESC uma hora antes do evento.

O documentário é fruto de uma pesquisa desenvolvida pela geóloga Dilce de Fátima Rossetti, do INPE, e pela botânica Hanna Tuomisto, da Universidade de Turku (UTU/Finlândia). A produção apresentaas investigações sobre o passado geológico da Amazônia como chave para entender a distribuição atual de uma das maiores biodiversidades da Terra.

A pesquisadora do INPE revela que os resultados coletados em várias regiões investigadas confirmaram que as transformações na geografia, fauna e flora da Amazônia não foram provocadas apenas por mudanças climáticas, mas por alterações ambientais, muitas delas causadas por terremotos. De acordo com os estudos, terremotos também contribuíram com a mudança de curso de rios importantes, como Madeira, Negro e Branco, e seus afluentes. “O rio Madeira tinha um curso diferente do de hoje, com trechos que corriam a 30 km de distância de sua atual localização”, informa Dilce Rossetti.

Produzido pelo GEOBIAMA - Geologia e Biodiversidade da Amazônia e PATES - Grupo de Pesquisa Paisagens no Tempo e Espaço, o documentário foi realizado recentemente junto com pesquisadores do INPE e especialistas das áreas de sensoriamento remoto, geologia, paleontologia e botânica do Brasil e do exterior.



Fonte: Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Nenhum comentário:

Postar um comentário