terça-feira, 5 de maio de 2015

Viagem a Marte Poderá Causar Danos ao Cérebro

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria postada hoje (05/05) no site “Inovação Tecnológica” destacando que a Viagem a Marte poderá causar danos ao cérebro.

Duda Falcão

ESPAÇO

Viagem a Marte Poderá
Causar Danos ao Cérebro

Com informações da BBC
05/05/2015

[Imagem: Vipan Parihar et al. - 10.1126/sciadv.1400256]
Estas imagens mostram a redução na complexidade dos dendritos
após a irradiação que simula os raios cósmicos que
os astronautas receberão no espaço.

Sistema Nervoso

A lista de possíveis problemas a serem enfrentados pelos astronautas pioneiros das missões a Marte ganhou mais um item: danos ao cérebro causados pela radiação cósmica.

Em 2013, um estudo feito com base nos dados coletados pelo robô Curiosity enquanto ele viajava para Marte revelou que os astronautas sofrerão o impacto dos raios cósmicos e das partículas solares, com risco de desenvolvimento de câncer.

Agora, um estudo feito por pesquisadores da Universidade da Califórnia sugere que a longa exposição aos raios cósmicos pode causar danos significativos ao sistema nervoso central, resultando em sequelas semelhantes às sofridas por pessoas com demência.

Raios cósmicos são partículas de alta energia originadas do espaço e que viajam quase à velocidade da luz.


Calcula-se que uma viagem a Marte, distante cerca de 226 milhões de quilômetros da Terra, duraria pelo menos nove meses.

Danos Cerebrais

A má notícia é que os danos cerebrais aos astronautas poderiam ocorrer já durante a viagem.

"Déficits de memória e a diminuição de atividades cerebrais, por exemplo, poderão afetar partes críticas da missão. E a exposição às partículas poderá provocar problemas cognitivos para o resto da vida", afirma Charles Limoli, coordenador do estudo.

A equipe de Limoli fez testes com ratos, submetendo-os a sessões de irradiação num laboratório da NASA especializado em estudos com raios cósmicos.

A exposição a determinadas partículas resultou em inflamações no cérebro que dificultaram a transmissão de sinais pelos neurônios. Tomografias computadorizadas mostraram que a rede de comunicação cerebral foi prejudicada por danos a células nervosas chamadas dendritos - alterações que contribuíram para a redução de desempenho dos ratos em atividades ligadas ao conhecimento e à memória.

Tipos semelhantes de disfunções cognitivas são comuns em pacientes com câncer de cérebro que receberam tratamentos à base de radiação de prótons.

Escudos Mais Eficientes

Segundo Limoli, embora os astronautas trabalhando na Estação Espacial Internacional por longos períodos também sejam atingidos por raios cósmicos, a intensidade do "bombardeio" é menor e eles ainda contam com um pouco de proteção da magnetosfera terrestre.

As soluções aventadas pela equipe incluem o desenvolvimento de escudos de proteção contra radiação mais eficientes e o desenvolvimento de novas drogas que possam funcionar como tratamentos preventivos para os astronautas.

Bibliografia:

What happens to your brain on the way to Mars
Vipan K. Parihar, Barrett Allen, Katherine K. Tran, Trisha G. Macaraeg, Esther M. Chu, Stephanie F. Kwok, Nicole N. Chmielewski, Brianna M. Craver, Janet E. Baulch, Munjal M. Acharya, Francis A. Cucinotta, Charles L. Limoli
Science Advances
Vol.: 1 no. 4 e1400256
DOI: 10.1126/sciadv.1400256


Fonte: Site Inovação Tecnológica - http://www.inovacaotecnologica.com.br/

Comentário: Pois é leitor, é como eu venho dizendo há algum tempo, ou seja, antes do ser humano partir para uma aventura como esta com um nível de segurança aceitável, ainda resta muito por se fazer em diversas áreas, e não como estão dizendo que farão certas aventuras transloucadas que estão ai sendo divulgadas pela mídia internacional. O caminho é longo, muito longo e se os EUA e a Rússia tivessem dado sequencia a sua cooperação visando uma viagem conjunta como esta, após a experiência da acoplagem das espaçonaves Soyuz e Apollo em meados dos anos 70, certamente hoje a humanidade estaria muito mais perto de realizar esta viagem do que estamos agora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário