segunda-feira, 4 de maio de 2015

Plano Busca Proteger Sociedade de Efeitos do Clima Espacial

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota publicada hoje (04/05) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), destacando que Plano busca proteger Sociedade de efeitos do Clima Espacial.

Duda Falcão

Plano Busca Proteger Sociedade
de Efeitos do Clima Espacial

Segunda-feira, 04 de Maio de 2015

Um plano para proteger a todos que vivem na Terra dos efeitos do Clima Espacial, com propostas para o decênio 2015-2025, foi elaborado por 27 cientistas de 15 países: Estados Unidos, Finlândia, Reino Unido, Brasil, Alemanha, Bélgica, Rússia, China, Argentina, Canadá, Japão, Índia, Suécia, Austrália e França. Coordenado pelo Comitê de Pesquisa Espacial (COSPAR, na sigla em inglês), o documento levou três anos até ser concluído e publicado na revista europeia Advances in Space Research.


Foi um trabalho extremamente desafiador, pois sabemos que os problemas do clima espacial afetam de maneira diferente cada país, devido a suas posições geográficas no globo terrestre, portanto, as experiências de cada um eram focadas em aspectos distintos", relata Clezio Marcos De Nardin, cientista do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e vice-diretor do ISES (International Space Environment Service), entidade que regula e coordena centros de alerta regionais para Clima Espacial existentes em várias regiões do planeta.

O grupo internacional de cientistas teve de ser capaz de utilizar divergentes visões para compor um trabalho completo que cobre os mais diferentes fenômenos associados aos efeitos do clima espacial nos setores econômicos de cada país. A experiência diversificada permitiu que quase todos os 'buracos' no conhecimento fossem apontados", explica o pesquisador do INPE.

Agora a bola está com os governos e com as agências de fomento para destinarem recursos adicionais às pesquisas que necessitam ser feitas nesta área para, de fato, proteger a sociedade”, afirma De Nardin. "E parece que os primeiros passos já foram dados, com o anúncio pelo governo americano sobre a criação da sua estratégia nacional de Clima Espacial.

De Nardin gerencia o Programa de Estudo e Monitoramento Brasileiro do Clima Espacial (EMBRACE) do INPE, o centro de pesquisa e desenvolvimento responsável pelo monitoramento e previsão do Clima Espacial no Brasil.

EMBRACE

Por meio de estudos sobre os processos eletrodinâmicos da ionosfera equatorial e de baixas latitudes, os pesquisadores do INPE monitoram parâmetros físicos como características do Sol, do espaço interplanetário, da magnetosfera, ionosfera e da mesosfera.

O EMBRACE/INPE oferece informação em tempo real, na internet, e realiza previsões sobre o sistema Sol-Terra para diagnósticos de seus efeitos sobre diferentes sistemas tecnológicos, em áreas como navegação e posicionamento por satélite (aeronaves, embarcações, plataformas petrolíferas, agricultura de precisão), comunicação (satélites geoestacionários, aeronaves), distribuição de energia (linhas de transmissão, dutos de distribuição de gás natural e petróleo), além dos sistemas de defesa nacional.

Mais informações na página www.inpe.br/climaespacial


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Nenhum comentário:

Postar um comentário