quarta-feira, 1 de abril de 2015

Projeto do Nanosatélite SERPENS é Aprovado em Revisão Final no Japão

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (01/03) no site da “Agência Espacial Brasileira (AEB)”, destacando que o Projeto do Nanosatélite SERPENS foi aprovado em Revisão Final no Japão.

Duda Falcão

Projeto do Nanossatélites SERPENS
é Aprovado em Revisão Final

Coordenação de Comunicação Social-AEB

Fotos: Divulgação/AEB
O SERPENS sendo preparado para testes no LIT.

Brasília, 01 de abril de 2015 – O projeto do satélite de pequeno porte SERPENS – sigla para Sistema Espacial para Realização de Pesquisa e Experimentos com Nanossatélites – foi aprovado na Revisão de Segurança do Projeto (SAR, na sigla em inglês), feita à semana passada no Japão.

Agora, o modelo de voo do nanossatélite, que também foi aprovado há duas semanas nos testes realizados no Laboratório de Integração e Testes (LIT) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), em São José dos Campos (SP), e na Agência Espacial Japonesa (JAXA), passa por uma fase de validação de alguns testes adicionais solicitados pela JAXA.

Em agosto próximo o pequeno satélite deve ser enviado para a Estação Espacial Internacional (ISS). Sua colocação em órbita está prevista para outubro.

O SERPENS, coordenado e apoiado financeiramente pela Agência Espacial Brasileira (AEB), começou a ser integrado em fevereiro último no LIT.

Coordenada pela professora Chantal Cappelletti, da Universidade de Brasília (UnB), uma equipe integrada por estudantes da UnB e da Universidade de Vigo da Espanha, trabalhou na integração e nos testes do CubeSat, com a participação e acompanhamento de técnicos e engenheiros do INPE e estudantes do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), que participaram do projeto e desenvolvimento do ITASat.

Testes - Entre os diversos testes pelos quais o equipamento passa estão o de vibração e termovácuo. O primeiro simula a situação a ser enfrentada no lançamento do foguete que o levará a ISS e o segundo as condições a que será submetido no espaço.

Em órbita, o pequeno satélite testará conceitos simples do uso CubeSat para o recebimento, armazenamento e retransmissão de mensagens por sistema de rádio. A proposta é ilustrar que no futuro pequenos satélites podem ser usados para agregar funcionalidade ao sistema de coleta de dados ambientais no país.

O principal objetivo do projeto SERPENS é a capacitação de recursos humanos e a consolidação dos novos cursos de engenharia espacial brasileiros. Participam também do projeto as universidades federais do ABC (UFABC), de Santa Catarina (UFSC), de Minas Gerais (UFMG) e o Instituto Federal Fluminense (IFF).

Do exterior, além da universidade espanhola estão no projeto a Sapienza Università di Roma (Itália) e as norte-americas Morehead State University e California State Polytechnic University.

O SERPENS sendo testado no equipamento por
meio do qual será colocado em órbita.
O SERPENS sendo preparado para o
teste de vibração no LIT.
Uma das fases de integração de
equipamentos no SERPENS.

  
Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

Comentário: Apesar do Blog continuar usando um português diferente do usado pela Coordenação de Comunicação Social (CCS) desta Agência Espacial de Brinquedo (AEB), e de continuar investigando este projeto de nanosatélite (e não nanossatélites como está no título desta nota) devo dizer que recebi informações fidedignas de que existe um esforço enorme de um pequeno grupo de alunos (creio que na maioria da UnB) que estão tirando leite de pedra para fazer esta história mal contada funcionar, apesar de tantos erros cometidos. Em respeito a esses jovens alunos, o Blog BRAZILIAN SPACE vai ficar na torcida para que este nanosatélite possa realmente se tornar exitoso em sua missão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário