quarta-feira, 29 de abril de 2015

Ministro da Defesa Promete “Brigar” Por Recursos Para Ampliação do ITA

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (28/04) no site do Ministério da Defesa (MD) destacando que o Ministro da Defesa, Jaques Wagner, em visita ao complexo do Departamento  de Ciência e Tecnologia da Aeroespacial (DCTA) prometeu “Brigar” por recursos para ampliação do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA).

Duda Falcão

Ministro da Defesa Promete “Brigar”
Por Recursos Para Ampliação do ITA

Por César Arrais
Assessoria de Comunicação
Ministério da Defesa
61-3312-4071

São José dos Campos (SP), 28/04/2015 – O ministro da Defesa, Jaques Wagner, visitou, nesta terça-feira (28), o complexo do Departamento de Ciência e Tecnologia da Aeronáutica (DCTA), que tem sob sua subordinação cinco das maiores instituições de excelência para o desenvolvimento de pesquisas de ponta no Brasil. Localizado em São José dos Campos, a 100 km de São Paulo, o DCTA é responsável por inovações não apenas para a Aeronáutica, mas também para a área civil, como o desenvolvimento da urna eletrônica e do motor a álcool.

Fotos: Jorge Cardoso

“Hoje vim conhecer uma ‘joia da coroa’ nacional, não apenas da Aeronáutica. A gente vê aqui jovens e pessoas mais maduras empolgadas com o que estão fazendo, desvendando os mistérios da ciência, da tecnologia e da inovação. Domínio que é fundamental para qualquer nação que queira estar na ‘constelação’ das maiores”, afirmou o ministro ao fim da visita.

Um dos órgãos mais célebres do DCTA é o Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA), que atualmente passa por um processo de ampliação, cujo objetivo é aumentar a oferta de vagas em cursos de graduação e pós-graduação, além de oferecer aos alunos laboratórios de alto nível para o desenvolvimento de pesquisas nos seis ramos de engenharia contemplados pelo ITA: Aeronáutica, Eletrônica, Mecânica-Aeronáutica, Civil-Aeronáutica, Computação e Aeroespacial.

Jaques Wagner visitou as obras da primeira etapa de expansão do ITA, de cerca de 16 mil m², onde funcionará a Divisão de Ciências Fundamentais. No módulo serão oferecidas as disciplinas comuns a todas as graduações, como Matemática, Física e Química. “A obra é boa e a motivação é nobre”, avaliou o ministro.


Mais tarde, em conversa com a imprensa, Wagner destacou que vai trabalhar para que a área econômica do governo assegure os recursos necessários à ampliação da instituição.

“O ITA é uma tradição. E é exatamente por carregar essa tradição que houve essa decisão da Presidência da República de apoiar esse processo de ampliação. Esse é um ano difícil, como todo mundo sabe, mas estamos ‘brigando’, no bom sentido, com os Ministérios da Fazenda e do Planejamento, com a cobertura da Presidência. É preciso que se reconheça que, em tecnologia, se demora muito para construir, mas se pode destruir rapidamente por conta da descontinuidade”, avaliou Jaques Wagner.

Ampliação de Vagas

Orçada em R$ 424 milhões, a ampliação do ITA, além da Divisão de Ciências Fundamentais, prevê a construção de novos alojamentos, biblioteca, auditório e o laboratório de Engenharia Aeroespacial. No total, serão 88 mil m² de obras, com previsão para término em 2018.

Com uma maior infraestrutura, o objetivo do DCTA é ampliar a oferta de vagas em 100% na graduação e 50% dos cursos de pós graduação lato e strictu sensu.  A previsão é que, até 2020, abrigue 1,2 mil alunos – atualmente o número é de 780.

Simuladores

Antes de visitar as obras do ITA, Jaques Wagner percorreu diversas unidades do DCTA onde estão sendo desenvolvidas algumas das pesquisas mais importantes do setor aeronáutico no Brasil. O diretor do centro, brigadeiro Alvani Adão da Silva, enfatizou que a infraestrutura foi criada para dotar o Brasil de “uma aeronáutica pujante”, o que se reflete no fato de 81% da frota de aeronaves da Força Aérea Brasileira ter sido construída ou modernizada em território nacional.

No Instituo de Aeronáutica e Espaço (IAE), o ministro conheceu o projeto do Veículo Lançador de Microssatélites (VLM). A iniciativa, desenvolvida em parceria com a Agência Espacial da Alemanha (DLR), prevê a construção de foguetes que colocarão em órbita satélite de até 120 kg. “Será um equipamento com aplicação no mundo prático, como a agricultura e as telecomunicações”, explicou o coronel Augusto Otero, vice-diretor do IAE.

Wagner também conheceu o projeto da Turbina Aeronáutica de Pequena Potência (TAPP) e assistiu à simulação do sistema de controle de um Veículo Lançador de Satélites (VLS) no laboratório de Sistemas Inerciais de Aplicação Aeroespacial.

Além disso, o ministro da Defesa pode utilizar um novo equipamento desenvolvido por uma equipe de alunos e professores do ITA em parceria com a Embraer: o Simulador de Voo de Plataforma Robótica (Sivor).


O projeto, financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), prevê a construção de um simulador que pode ser utilizado na fase de desenvolvimento de diferentes tipos de aeronave, utilizando-se da adaptação de um robô de uso industrial.

Wagner pode fazer uma simulação no protótipo do equipamento, concluído há apenas três semanas, no Laboratório de Automação em Manufatura do ITA.

Segundo o coordenador-técnico do projeto, professor Carlos César Eguti, trata-se de uma iniciativa pioneira na América Latina que permitirá a construção de simuladores de custo mais baixo e para aplicação em diferentes tipos de aeronaves ainda no processo de desenvolvimento, o que permitirá o aperfeiçoamento do equipamento.

Antes de retornar à Brasília, Jaques Wagner ainda visitou as instalações do Museu Aeronáutico Brasileiro (MAB), onde é contada toda a saga da aviação nacional desde as descobertas do patrono Santos Dumont.


Fonte: Site do Ministério da Defesa (MD)

Nenhum comentário:

Postar um comentário