quinta-feira, 18 de julho de 2013

Revista da NASA Publica Artigo Sobre Satélite SABIA-Mar

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (18/07) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacando que a Revista Astrobiology Magazine, publicada pela NASA, publicou artigo sobre o projeto do Satélite SABIA-Mar.

Duda Falcão

Revista da NASA Publica Artigo
Sobre Satélite SABIA-Mar


Quinta-feira, 18 de Julho de 2013


A Astrobiology Magazine, publicada pela NASA, destacou nesta semana artigo de pesquisadores brasileiros sobre a missão SABIA-Mar (Satélite Argentino-Brasileiro de Informação Ambientais Marinhas), realizada em parceria pela Agência Espacial Brasileira (AEB) e Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e pela Comisión Nacional de Actividades Espaciales (CONAE), da Argentina.

Bruno Martini e Mauricio Almeida, do Centro de Estudos do Mar (CEM) da Universidade Federal do Paraná (UFPR), são os autores do artigo “The Color of the Ocean: the SABIA-Mar Mission”, que detalha aspectos da missão com aplicações no estudo dos ecossistemas oceânicos, ciclo do carbono, mapeamento do habitat marinho e observação costeira.

Os autores participaram do Workshop dos Usuários da missão espacial conjunta Brasil-Argentina SABIA-Mar, realizado em Brasília no mês de maio, quando se reuniram 30 pesquisadores brasileiros na área de oceanografia para discutir características da missão e o potencial de uso dos dados sobre “cor do oceano”, como são usualmente chamadas as missões desse tipo.

Dados de satélites de cor do oceano são usados no estudo da biosfera oceânica, de sua dinâmica e de seus impactos nas atividades antropogênicas. Tais dados são necessários para quantificar mudanças oceânicas globais em diversas escalas de tempo (de meses a décadas). Os dados de cor do oceano são essenciais na estimativa de produção primária de fitoplancton, que se relaciona diretamente à absorção de dióxido de carbono (CO2).

Esses mesmos dados têm importante aplicação em monitoramento da qualidade da água e do transporte de sedimentos (erosão) nas regiões costeiras, gerando informação para atividades pesqueiras e de aquicultura (fazendas marinhas).

Há, ainda, o estudo da influência dos oceanos sobre as mudanças climáticas, que exige séries de dados longas e contínuas. Dessa forma, a missão SABIA-Mar, além de contribuir para os estudos regionais argentinos e brasileiros, poderá beneficiar a comunidade internacional na área de clima e mudanças globais, reforçando o papel dos dois países no cenário mundial.

A missão

O projeto SABIA-Mar consiste em uma constelação de dois satélites baseados na plataforma brasileira PMM (Plataforma Multimissão), desenvolvida pelo INPE. Os sensores do SABIA-Mar deverão ser capazes de realizar a observação global com resolução de 1 km e revisita diária, além da observação costeira regional e de águas interiores com resolução de 200 m e revisita de 2 dias, com dados disponíveis em tempo real e capacidade de gravação a bordo.

A partilha de tarefas e custos ainda não está totalmente definida por Brasil e Argentina, mas deverá ser feita em bases igualitárias (50% - 50%) para o desenvolvimento do segmento espacial, serviço de lançamento e segmento de aplicações (exceto infraestrutura). Os custos de segmento solo e demais infraestruturas serão absorvidos independentemente pelos dois países, segundo suas necessidades.

A fase A do projeto deverá estar concluída ainda este ano. O lançamento do primeiro satélite deverá ocorrer em 2018 e o do segundo em 2019.


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Comentário: Apesar dessa movimentação toda em torno desse projeto, continuo achando que da forma que o governo DILMA ROUSSEF conduz o PEB, está mais fácil em 2018 a gente assistir a apresentação de uma representante da espécie bovina cantando o hino nacional na praça dos três poderes, do que presenciar o lançamento desse primeiro satélite SABIA-Mar. Já quanto ao segundo, é pura ficção científica, infelizmente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário