terça-feira, 31 de maio de 2011

Avanços da Alcântara Cyclone Space

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada dia (30/05) no blog “Panorama Espacial” do companheiro jornalista André Mileski, destacando que uma reportagem da agência de notícias russa INTERFAX traz algumas informações sobre os avanços do projeto da ACS.

Duda Falcão

Avanços da Alcântara Cyclone Space

André Mileski
30/05/2011

Uma reportagem da agência de notícias russa INTERFAX do final de maio traz algumas informações sobre avanços no projeto da Alcântara Cyclone Space (ACS) e a intensificação de suas atividades, citando fonte presente na reunião do conselho de administração da binacional, realizada este mês.

"Na reunião, o Brasil apontou significativas realizações na cooperação e expressou confiança nas perspectivas futuras do projeto Cyclone 4", destaca a reportagem, citando fonte não identificada.

A seguir, reproduzimos mais alguns trechos do texto, vertidos para o português pelo blog Panorama Espacial:

"Infelizmente, em 2010 houve alguns atrasos no cronograma de criação do projeto internacional espacial do Cyclone 4. Uma das razões foi a demora em obter as licenças ambientais e de construção dos órgãos de supervisão do governo brasileiro, o que não possibilitou que as obras fossem iniciadas antes do período de chuvas no Brasil. Um atraso no financiamento do projeto pelo lado ucraniano também afetou".

"Cerca de 70% do território foi limpo para a construção das instalações e estradas de acesso. O trabalho no projeto e produção dos equipamentos das instalações e a construção de uma cidade para os construtores e um ponto de verificação já foram iniciados".

"A expectativa é que em dois anos o complexo seja aberto. Uma decisão final quanto aos termos do primeiro lançamento do foguete será tomada depois que o cronograma para a construção do centro de lançamento for determinado."

"Companhias ucranianas estão desenvolvendo um conjunto de equipamentos para o transporte do foguete de duas maneiras - por mar ou pelo ar. O foguete destinado ao primeiro vôo será transportado por meio aéreo em razão de um atraso na construção do porto próximo ao centro espacial de Alcântara."


Fonte: Revista Tecnologia & Defesa via Blog “Panorama Espacial“ - André Mileski

Comentário: Continuo acreditando que, já que não têm jeito mesmo, quanto mais tempo essas obras do sítio da ACS demorarem, mais irão prejudicar o verdadeiro Programa Espacial Brasileiro. Pelo que diz a notícia da INTERFAX a expectativa é que em dois anos o complexo seja aberto e não mais em 2012. Isso certamente prejudicará o PEB e vale lembrar aquela promessa feita pelo ministro Aloizio Mercadante (não esqueci não ministro) durante a posse do presidente Marco Antônio Raupp na AEB, de que se os ucranianos não cumprissem a parte deles relacionada com aporte de recursos o acordo seria reavaliado. Em abril foi anunciado (veja a nota “Aprovada a Lei da introdução de Alterações no Código Orçamentário da Ucrânia”) que uma lei aprovada na Ucrânia dava autorização para a emissão de garantias governamentais de retorno de empréstimos contraídos para financiar as obrigações internacionais do país no âmbito do projeto Cyclone-4. Ainda segundo a notícia, essa integralização da Ucrânia ao capital da ACS estaria esperada para o fim de maio. Amanhã entramos em junho, como vai ficar ministro?

Autoridades Federais de SJC Visitam o DCTA

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada hoje (31/05) no site do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) destacando que Autoridades Federais da Área Jurídica do Município de São José dos Campos (SP) visitaram dia 26/05 as instalações do DCTA.

Duda Falcão

Autoridades Federais da Área Jurídica
do Município Visitam o DCTA

31/05/2011

O Exmº Sr Diretor-Geral, acompanhado do Magnífico Reitor do ITA, dos Oficiais-Generais e Superiores, Comandantes, Chefes e Diretores das diversas organizações subordinadas, recepcionaram nesta Organização Militar, no dia 26 de maio corrente, autoridades federais da área jurídica deste Município, em comitiva integrada por Juízes Federais, Procuradores da República, Advogados da União, Procuradores da Fazenda Nacional, Procuradores Federais e Delegados-Chefes da Polícia Federal e da Receita Federal.

A iniciativa do convite do Diretor – Geral Tenente Brigadeiro do Ar Ailton dos Santos Polhmann,. aos ilustres visitantes teve por objetivo, além da natural e salutar pretensão do estreitamento de relações com essas importantes autoridades, também propiciar a elas visão mais abrangente e detalhada da estrutura organizacional do DCTA e de sua relevante missão institucional.

O Exmº Sr. Diretor-Geral recebeu os convidados no auditório da antiga Direção-Geral do DCTA, ocasião em que fez aos visitantes sucinta, mas abrangente exposição da missão da organização, e das dificuldades enfrentadas pela Administração para dela se desincumbir.

Em seguida a comitiva se deslocou em microônibus para um “ tour” no âmbito do Campus, na oportunidade o Assessor Jurídico, do DCTA Adv. JOSÉ CARLOS, apresentou aos convidados os pontos mais atrativos e pitorescos da estrutura da Unidade, dirigindo-se posteriormente para o Memorial Aeroespacial – MAB, onde todos puderam receber, do Cap. BLANCO e do Eng. BARUEL, a exibição dos equipamentos ali existentes, com abrangente e qualificada exposição da história e da importância de cada um dos projetos onde eles se inseriram, no contexto da atividade aeroespacial.

A recepção foi encerrada com almoço de confraternização na ala reservada do H 13, sendo de se registrar o manifestado reconhecimento e orgulho dos convidados em reconhecer a grandeza da Instituição em todas as áreas do setor aeroespacial sob sua responsabilidade, seja na P&D , no desenvolver soluções científico-tecnológicas para fortalecer o Poder Aeroespacial Brasileiro, no desenvolvimento de soluções científica na normalização e na formação de recursos humanos.



Fonte: Site do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA)

Comentário: Boa iniciativa do Tenente Brigadeiro do Ar Ailton dos Santos Polhmann (Diretor-Geral do DCTA), e espero que os ilustres visitantes busquem transformar o manifestado reconhecimento e orgulho demonstrado nessa visita em ações concretas de apoio político e jurídico incondicional as atividades desenvolvidas no DCTA, inclusive cobrando do governo federal seriedade e compromisso para com essas atividades. É bom rever o Brig. Kasemodel nessas fotos (tenho impressão que ele não gosta muito de tirar fotos não, rsrsrs) e lhe envio da Bahia um grande abraço.

CLBI Participa da Cerimônia de Formatura do PROERD

Olá leitor!

Segue abaixo uma pequena nota postada hoje (31/05) no site do “Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI)” destacando a participação do CLBI na cerimônia de formatura do “Programa Educacional de Resistência às Drogas (PROERD)" ocorrida hoje no Estádio do Machadão em Natal (RN).

Duda Falcão

CLBI Marca Presença na Cerimônia
de Formatura do PROERD

31/05/2010

O Centro participou da cerimônia de formatura de 12 mil alunos da região metropolitana de Natal que participaram do Programa Educacional de Resistência às Drogas (PROERD) . O evento ocorreu às 16h, no Estádio Machadão. Na ocasião houve apresentações de paródias de prevenção, quadrilha junina da prevenção, shows culturais e, também, um desfile pela valorização da vida, realizado pelos órgãos da segurança pública do Estado.

O CLBI participou do desfile com a viatura de Resgate e equipe, além de apresentar o Foguete Sonda III. “Foi uma grande celebração pela vida e uma grande vitória na luta contra as drogas. Importante ressaltar: estamos fazendo parte desta conquista.”, avalia o Sargento Hugo.

Veja fotos desta cerimônia no Estádio Machadão:



Fonte: Site do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI)

Comentário: Em nossa opinião é extremamente importante essa integração do CLBI com a comunidade de Natal e região e o Cel. Medeiros está de parabéns em apoiar esse tipo de evento, principalmente esse tipo de programa educacional contra as drogas. Fazia tempo que não via esse exitoso foguete SONDA III (mesmo em maquete), já que o mesmo não voa desde a “Operação Parnamirim” ocorrida em 12/05/2002, quando então levou ao espaço o Experimento F2Glow-2.

Embaixador da Alemanha Visita Instalações do CLBI

Olá leitor!

Segue abaixo uma pequena nota postada hoje (31/05) no site do “Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI)” destacando a visita do embaixador alemão, Sr. Wilfried Grolig, ao CLBI ocorrida dia 27/05.

Duda Falcão

Embaixador da Alemanha
Visita Instalações do CLBI

31/05/2010

Em 27 de maio, o Embaixador da Alemanha no Brasil, Sr. Wilfried Grolig, acompanhado pelo Diretor do Centro – Cel. Medeiros, visitou as instalações do CLBI em cumprimento à agenda diplomática realizada no Estado do Rio Grande do Norte.

Veja fotos desta visita do embaixador alemão ao CLBI:




Fonte: Site do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI)

Comentário: Não é de se estranhar que o embaixador alemão de passagem pelo Rio Grande do Norte queira visitar o CLBI, principalmente quando é com a Alemanha que (em minha opinião) o Brasil tem o mais bem sucedido acordo espacial assinado até hoje, acordo esse que já completou pouco mais de 40 anos e trouxe grandes benefícios ao nosso programa espacial e trará ainda mais nos próximos anos.

INOTECH Apresenta seu Trabalho Voluntário na LAAD

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (31/05) na coluna “ASTROvia” do jornal digital “Via Fanzine”, destacando que a empresa INOTECH apresentou seu trabalho voluntário junto as universidades UFMG, PUC Minas e UNIVAP na formação de novos profissionais para o setor espacial brasileiro durante a realização da LAAD 2011.

Duda Falcão

Pesquisas

LAAD

INOTECH Apresenta seu
Trabalho Voluntário na LAAD

'Desenvolvemos uma metodologia de ensino que denominamos de
‘treinamento baseado no desafio’, onde damos a chance do
Estudante aplicar na prática aquilo que aprendeu na escola

Da Redação
Via Fanzine
31/05/11

René Nardi e futuros engenheiro que trabalham no
projeto de construção para motor de foguete

A LAAD – Defence & Security – a maior e mais importante feira de defesa e segurança da América Latina, reúne bienalmente empresas brasileiras e internacionais especializadas no fornecimento de equipamentos e serviços para as três Forças Armadas, polícias, forças especiais, serviços de segurança, consultores e agências governamentais.

Realizada no período de 12 a 15/04/2011, no Rio Centro (Rio), a LAAD chegou à sua 8º edição confirmando sua vocação de ser um importante fórum de debates e de apresentação do estado da arte em tecnologia de defesa e segurança.

Nessa edição da LAAD, o engenheiro e diretor da INOTECH, René Nardi fez uma apresentação exclusiva sobre o trabalho voluntário desenvolvido por sua empresa junto aos estudantes universitários brasileiros.

“Desenvolvemos uma metodologia de ensino que denominamos de ‘treinamento baseado no desafio’, onde damos a chance do estudante aplicar na prática aquilo que aprendeu na escola”, explicou ao diário Via Fanzine.

“Para manter a atenção do estudante de engenharia aeroespacial, chegamos à conclusão que as atividades de projeto e construção de motores foguetes a propelentes líquidos seriam difíceis o suficiente, mas ainda assim factível. Nos últimos três anos, montamos cinco turmas de estudantes em três universidades diferentes”, afirmou o engenheiro.

- Fotos: divulgação.

- Extra:



Fonte: Site do Diário Digital “Via Fanzine”

Comentário: O trabalho realizado junto aos alunos da UFMG, PuC Minas e UNIVAP pelo engenheiro Rene Nardi, em nossa opinião vem realmente obtendo destaque devido a baseasse na idéia correta de que o ser humano precisa de desafios para aprender a ser um realizador. Em breve procuraremos realizar uma entrevista com o engenheiro Rene Nardi para que ele nos esclareça melhor esse seu trabalho junto a essas universidades, nos fale sobre sua carreira, projetos e objetivos.

segunda-feira, 30 de maio de 2011

DLR Inicia Preparativos para Lançamento do SHEFEX II

Olá leitor!

A busca pela informação é uma constante no blog “BRAZILIAN SPACE” desde a sua criação em 30/04/2009. Mesmo não tendo as facilidades nem os recursos financeiros e humanos que os meios profissionais de mídia dispõem, procuramos a notícia onde quer que ela exista para sempre manter nossos leitores bem informados.

Assim sendo, desde o início do mês venho tentado obter informações sobre como andam os preparativos para o lançamento do foguete VS-40 com o experimento alemão SHEFEX II, previsto agora para ser lançado do Andoya Rocket Center na Noruega em 12/09/2011. (abertura da janela de lançamento).

Na realidade os preparativos (montagem) dos motores S-40M (primeiro estágio) e S-44 (segundo estágio) do foguete VS-40M VO3 foram realizados pelo Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) entre os dias 16 e 19 de agosto do ano passado na Usina Coronel Abner (UCA) em São José dos Campos (SP). (veja a nota “IAE Prepara Foguete VS-40 para Missão SHEFEX II”).

Desde então, acreditamos que varias ações foram realizadas tanto pelo IAE como pelo DLR (Agência Espacial Alemã) para a viabilização da missão em setembro, e atualmente os motores do VS-40 ao que tudo indica pelas fotos abaixo, já se encontram no Andoya Rocket Center a disposição das equipes do DLR ou em alguma instalação dessa agência espacial na Alemanha.

Motor S-44 ainda em Montagem na UCA
Agosto de 2010

Os motores S40M e S-44 ao fundo e na frente à interface
de ligação com o com a carga útil. Noruega ou algum
lugar da Alemanha - Abril de 2011

A carga útil montada sobre o motor S-44
Noruega ou algum lugar da Alemanha - Abril de 2011

Concepção Artística da Operação VS-40M VO3/SHEFEX II

Vale lembrar leitor que essa Operação VS-40M/SHEFEX II levará abordo um experimento brasileiro relacionado com o projeto da SARA Orbital.

Duda Falcão


Fonte: Agência Espacial Alemã (DLR)

Brasil Vai Sediar Curso Sobre Estudo do Cosmos

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria publicada hoje (30/05) no jornal “Correio Braziliense” destacando que como já havíamos anunciado o Brasil irá em 2013 sediar um importante curso sobre estudo do Cosmos (veja a nota “INPE Sediará Programa Internacional de Estudos Espaciais”). Essa matéria do Correio Braziliense é mais completa para quem se interessar pelo mesmo.

Duda Falcão

Ciência e Saúde

Brasil Vai Sediar Curso
Sobre Estudo do Cosmos

Pedro Cerqueira
Correio Brazilienze
30/05/2011 - 08:16

O foco do Departamento de Ciências da Vida é a medicina espacial, que avalia o funcionamento do corpo no ambiente de microgravidade. Sob o tema política e lei, a discussão gira em torno da legislação que envolve a área espacial, os tratados internacionais e a freqüência e a banda de satélites. Já o Departamento de Ciências Físicas transita pela astrofísica. Em aplicações de satélites, como o nome bem diz, são debatidos os benefícios do uso das imagens colhidas do espaço, como a identificação de áreas de desmatamento, a previsão do tempo e o acompanhamento do crescimento de uma cidade. Não, todos esses assuntos não integram um curso de formação de astronautas em missões espaciais. Trata-se, na verdade, de um curso que estará aberto a qualquer cidadão brasileiro com formação universitária e fluência em inglês.

O Brasil foi escolhido para receber a 13ª edição do Programa de Estudos Espaciais (SSP13, pela sigla em inglês), treinamento itinerante da Universidade Internacional do Espaço (ISU), sediada na cidade francesa de Estrasburgo. O responsável por trazer a iniciativa ao Brasil, em 2013, é o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), ligado ao Ministério da Ciência e Tecnologia. “Todo ano, 120 alunos de diversas regiões do mundo e de várias áreas do conhecimento participam do programa: advogados, médicos, administradores, jornalistas, químicos, engenheiros, arquitetos, físicos. Isso assegura um importante princípio seguido pela ISU, que é a criação de um ambiente denominado 3 Is: internacional, intercultural e interdisciplinar”, explica Yukio Ueta, assessor técnico do INPE que chefia o comitê local de organização do evento.

Segundo ele, o objetivo do programa é proporcionar uma visão completa da área espacial. “O curso foi uma oportunidade que tive para conhecer diferentes áreas que demoraria muito para ter acesso, mesmo trabalhando no instituto. Inclusive a parte de missões tripuladas, que não existe no Brasil”, conta Ueta, que participou do SSP em 2007.

Na primeira fase do programa, todos os alunos estudam juntos. No fim de um mês, é feita uma avaliação. Os melhores alunos seguem para a fase seguinte, quando o participante opta por uma das sete áreas disponíveis. “Quando participei, optei pelo Departamento de Aplicação de Satélites. Era um grupo de 30 pessoas tendo aulas em conjunto. Desenvolvi um projeto em que as imagens de satélite eram usadas na indústria pesqueira”, conta Ueta.

Quem for aprovado na seleção, feita por um comitê da ISU, deve estar preparado paras nove semanas de estudo pesado. Além das aulas durante a manhã e a tarde, que às vezes são intercaladas por visitas a diferentes instituições, as noites são reservadas para atividades e workshops. E nem todos os fins de semana são livres.

O Programa de Estudos Espaciais é um curso de capacitação, mas não é válido como pós-graduação. O investimento não é barato: cerca de 18 mil euros por pessoa, que dá direito a alojamento, alimentação, material e passagens aéreas. Em meados do curso, ocorre o fim de semana dos ex-alunos, quando cerca de 100 pessoas de várias partes do mundo se reúnem, falam de suas experiências e o que estão fazendo atualmente.

Comunidade

O assessor técnico do INPE destaca a importância de o Brasil receber renomados profissionais da área espacial. “Se fizermos um bom trabalho, o país vai entrar no mapa dos estudos espaciais”, avalia Ueta. A comunidade de São José dos Campos, no interior de São Paulo, onde está a sede do INPE, terá a oportunidade de participar de mesas-redondas, inclusive a que reúne astronautas. O público ainda poderá assistir a uma competição de robótica, uma corrida de carros desenvolvidos pelo departamento de engenharia e a competição de foguetes, em que um pequeno foguete é projetado para alcançar médias altitudes com um ovo ou uma taça de champanhe na ponta, que devem voltar intactos para o solo.

O INPE vai contribuir com sua estrutura física, cedendo espaço para montar sala de professores, biblioteca e auditório. “Mas vamos tentar melhorar nossa estrutura para receber o curso, como providenciar apoio para o uso de computadores portáteis nas cadeiras do auditório”, conta Ueta. Até hoje, cerca de 30 brasileiros já participaram de cursos da ISU, a maioria sobre estudos espaciais. Este ano, o SSP será na Áustria, e, em 2012, nos Estados Unidos.


Fonte: Site do Jornal Correio Braziliense - 30-05-2011

COSMOS X Terá Debate Sobre Vida Extraterrestre

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada dia (29/05) no site “Instituto de Astronomia e Pesquisas Espaciais de Araçatuba (INAPE)” destacando que o COSMOS X terá debate sobre vida extraterrestre.

Duda Falcão

COSMOS X Terá Debate
Sobre Vida Extraterrestre

29/05/2011 - 18:00

Assim como ocorre desde a primeira edição do evento COSMOS, o debate sobre a existência de vida extraterrestre e objetos voadores não identificados é um dos destaques do evento.

Segue abaixo a lista com os nomes e perfil dos palestrantes:

Ademar José Gevaerd

Ademar José Gevaerd é editor da Revista UFO, publicação do Centro Brasileiro de Pesquisas de Discos Voadores (CBPDV), entidade do qual também é fundador e presidente.

Gevaerd começou suas atividades na Ufologia ainda muito jovem, com 12 anos. Foi professor de Química até 1986, quando desistiu da área para dedicar-se exclusivamente à Ufologia.

Ainda na década de 1980, foi convidado pelo Dr. J. Allen Hynek para representar no país o Center for UFO Studies (CUFOS). É diretor nacional da Mutual UFO Network (MUFON) e diretor para a América Latina do Annual International UFO Congress.

É considerado um dos mais conceituados ufólogos do mundo.

Em seu blog Ufologia com Seriedade e Dedicação, Gevaerd, trata dos bastidores da Ufologia Brasileira e Mundial e das perspectivas para o futuro da disciplina. E também discute a questão fundamental do tema: está próximo o contato direto com nossos visitantes?

Gener Silva

É diretor fundador do INAPE (Instituto de Astronomia e Pesquisas Espaciais). Com o INAPE, SESC, e Secretaria Municipal de Cultura, realizou o 1º Encontro sobre Astronomia e Ufologia em Araçatuba, no período de 17 a 21 de julho/2002. Segundo A. J. Gevaerd, foi a primeira vez no Brasil que ocorreu tal encontro, concomitantemente, palestras de cientistas e ufólogos.

Dentro do campo da pesquisa ufológica, o INAPE procura atuar com critérios científicos, demonstrando a autenticidade ou não das casuísticas, pelo estudo exaustivo das evidências matériais produzidas, assim como dos registros em filme, vídeo ou radar, em analogia aos fenômenos terrestres conhecidos.

Nelson Vilhena Granado

Nascido em São Vicente, litoral de São Paulo, Nélson Vilhena teve os primeiros avistamentos em Santos, quando tinha 12 anos de idade. Este fato foi decisório para seu despertar espiritual. Cursou a Escola Politécnica e o Instituto de Física na USP. Ao tomar conhecimento dos trabalhos do General Moacir Uchoa, em 73, começou a participar de grupos espiritualistas e ufológicos. Em 1980, mudou-se para Goiás, para formar uma comunidade, lá tendo permanecido por 6 anos, quando participou do Projeto Alvorada idealizado por Luiz Gonzaga Scortecci. Voltou para São Paulo e ingressou na Faculdade de Medicina da USP, onde se graduou em Fisioterapia. Desde 95, participa do grupo Família da Luz-Phisiom. A partir de mensagens recebidas, começou a promover com seu grupo, encontros, eventos e palestras com o objetivo de alcançar a sintonia vibratória que nos permitirá receber o MESTRE DOS MESTRES e que tornará possível a Reintegração Cósmica do planeta Terra.

Paulo Aníbal G. Mesquita

Paulo Aníbal G. Mesquita nasceu em 20 de maio de 1967 na capital paulista. É biólogo, professor e consultor da Revista UFO e Revista Sexto Sentido, publicações nas quais divulgou dezenas de artigos sobre abduções, pesquisas de campo, Ufoarqueologia, vigílias e casuística ufológica. Também é um dos membros do Grupo de Pesquisas Ufológicas (EXO-X) e do Grupo Ufológico Cidade Tiradentes (GUCIT). Em 2004 foi um dos responsáveis pelo mapeamento da carta náutica pautada em avistamentos ufológicos no litoral sul do Estado de São Paulo, considerado um trabalho inédito pela Comunidade Ufológica Brasileira.

Pedro de Campos

Pedro de Campos é autor dos livros: Colônia Capella – A outra face de Adão; Universo Profundo; UFO – Fenômeno de Contato; Um Vermelho Encarnado no Céu; Os Escolhidos da Ufologia na Interpretação Espírita, publicados pela Lúmen Editorial. E também do recém-lançamento: Lentulus – Encarnações de Emmanuel. E dos DVDs Os Aliens na Visão Espírita, Parte 1 e Parte 2, lançados pela Revista UFO.

Em seu blog Os Aliens na Visão Espírita, o escritor e consultor da Revista UFO trata a Ufologia considerando a pluralidade dos mundos habitados, articula a ciência, a filosofia e os aspectos teológicos da doutrina espírita, examinando o Fenômeno UFO de modo integral.



Fonte: Site do “Instituto de Astronomia e Pesquisas Espaciais de Araçatuba (INAPE)”

Comentário: Considero esse tema da vida extraterrestre muito fascinante, como também a casuística ufológica onde existem estudos de instituições sérias no Brasil e no mundo, mas que precisam ser ainda estudadas com mais seriedade pela comunidade científica. Fenômenos inexplicáveis vêm ocorrendo e eu não consigo aceitar a resistência de grande parte da comunidade científica mundial em negar o fenômeno e até ridicularizá-lo. Deixando de lado os casos que podem ser explicados por erro de interpretação ou por fenômenos climáticos, existem ainda assim um bom número de casos de avistamentos inexplicáveis que a ciência se recusa a verificar sua origem. Se esses objetos não são de origem extraterrestre, o que são? Essa me parece ser a pergunta que precisa ser respondida.

Projeto do Cyclone-4 - Entrevista ao Portal Pontociência

Olá leitor!

Trago agora para vocês o vídeo de uma reportagem realizada pelo “Portal Pontociência” durante a feira tecnológica da “62ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC)” ocorrida em Natal no ano passado, sobre o projeto do foguete lançador de satélites ucraniano Cyclone-4 da mal engenhada empresa bi-nacional “Alcântara Cyclone Space". O vídeo só foi editado e postado no YouTube em abril de 2011.

No vídeo, o representante da ACS, André Barreto, que é entrevistado pelo repórter Leandro Fantini, fala sobre o Acordo Brasil e Ucrânia e algumas das especificações técnicas desse foguete ucraniano.

O Portal Ponticência é uma realização da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) com o apoio da FINEP/MCT e tem como parceira a “Secretaria de Ciência e Tecnologia para a Inclusão Social (SECIS).

Duda Falcão



Fonte: Youtube - Portal Pontociência da UFMG

A Cyclone Space e o Futuro

Olá leitor!

Segue abaixo o editorial publicado hoje (30/05) no jornal “O Estado do Maranhão”, destacando a reportagem sobre a ACS realizada pela jornalista Bruna Castelo Branco e publicada ontem neste jornal (veja a nota anterior).

Opinião

Editorial

A Cyclone Space e o Futuro

O Estado do Maranhão
30/05/2011

A reportagem publicada ontem por O Estado, com informações exclusivas obtidas pela repórter Bruna Castelo Branco, revela que em breve o município de Alcântara estará definitivamente transformado em um dos mais importantes pólos mundiais de lançamento de foguetes. Isso porque, além da megaestrutura do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), começa a ganhar forma o complexo a ser implantado pela Alcântara Cyclone Space, uma empresa formada com recursos do Brasil e da Ucrânia.

Os dois programas de investimentos em atividades espaciais nada têm um a ver com o outro. Mas suas estruturas e seus projetos se fundem no fato de que os dois funcionarão lado a lado no mesmo território. E essa proximidade decorre do fato, já sobeja e mundialmente conhecido, de que Alcântara é, de longe, o melhor local do planeta para o lançamento de foguetes. Essa situação gera a convicção de que os dois empreendimentos estão destinados ao sucesso, o que é dito e repetido em todas as previsões que se fazem sobre eles.

Alcântara é, de
longe, o melhor local
do planeta para o
lançamento de
foguetes

A Alcântara Cyclone Space surgiu de uma ampla negociação com a Ucrânia, uma ex-república soviética e que acumulou Know how e tecnologia espacial como poucos países. Os laboratórios e centros de estudos da Ucrânia produziram a base científica e tecnológica do programa espacial da então União Soviética. Tanto que hoje figura no cenário da corrida espacial com um portfólio que inclui 67 sistemas de satélites e 12 sistemas de lançamentos espaciais, incluído uma série de mísseis balísticos intercontinentais. Entre os foguetes produzidos pelos ucranianos estão os da família VLs, como o Kosmos, o Zenit e o Cyclone.

A Alcântara Cyclone Space é uma empresa comercial. Sua atividade será produzir e lançar foguetes mediante contratação de governos, centro de pesquisas e indústrias. A experiência acumulada, as informações armazenadas pela equipe brasileira e as condições do centro de lançamentos lhe dão as condições ideais para entrar firme e com amplas chances de sucesso no mercado mundial de lançamento de artefatos espaciais, hoje restrito a poucos países. A associação do Brasil com a Ucrânia dá à empresa a vantagem de puder atuar fortemente no mercado ocidental e participar com destaque na corrida espacial para o espaço.

A revelação, ontem, em primeira mão, de como a Alcântara Cyclone Space se instalará no município de Alcântara dá uma idéia clara de sua dimensão. Claro está, agora, que não se trata de um empreendimento tímido. Ao contrário, o que foi mostrado é uma estrutura de grande porte, para abrigar uma atividade cujo o futuro é o infinito do cosmos. Com a ventura de ter o Maranhão o privilégio de abrigá-la.


Fonte: Jornal O Estado do Maranhão - pág. 04 - 30/05/2011

Comentário: Já falei demais sobre o que penso sobre esse assunto. Gostaria de agradecer uma vez mais ao leitor maranhense Edvaldo Coqueiro (grande colaborador do blog) por ter enviado esse editorial.

Obras da ACS Estimulam o Crescimento de Alcântara

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria publicada dia (29/05) no jornal “O Estado do Maranhão”, destacando que as obras da ACS estão estimulando o crescimento da cidade de Alcântara.

Duda Falcão

Geral

Obras da ACS Estão Estimulando
o Crescimento da Cidade de Alcântara

Bruna Castelo Branco
Da equipe de O Estado
29/05/2011


As obras da empresa binacional Alcântara Cyclone Space (ACS), iniciadas em setembro do ano passado, começam a apresentar os primeiros resultados, não só na construção do sítio de lançamento que proporcionará o lançamento do foguete Cyclone-4, mas também na economia do município alcantarense. A obra, apresentada com exclusividade a O Estado, realizada pelas empresas Odebrecht e Camargo Correa, encontra-se na fase de supressão vegetal e terraplenagem. Nesta etapa, conta com a mão de obra de 169 trabalhadores - 75 são do município de Alcântara, 17 de São Luís e 17 de outras cidades maranhenses. Esses números devem ser ampliados até setembro de 2011, onde está previsto um total de 631 contratações entre atividades como armador, carpinteiro, eletricistas, encanador, pedreiros, torneiros mecânicos, operador de caminhão, entre outras.

No canteiro de obras da estrutura da ACS, mostrado pela primeira vez a uma equipe de reportagem brasileira, os trabalhos foram intensificados, pois a construção sofreu um atraso significativo devido ao período chuvoso. Quando chove, é inviável dar continuidade aos serviços de supressão vegetal, por questões de segurança. Os trabalhadores não podem permanecer dentro da área por riscos de raios e, com a vegetação molhada e escorregadia, não é possível o uso de equipamentos como motoserras, por riscos de acidentes. "Se o período de chuvas não tivesse sido tão intenso, nossa obra estaria mais adiantada. Tivemos um atraso de quase seis meses", avaliou Josildo Portela, gerente socioambiental da ACS.

Como as chuvas estão em fase de finalização, a empresa realiza algumas intervenções para ampliar a contratação de mão de obra. Entre as prioridades está a construção de alojamentos destinados aos trabalhadores. A intenção da ACS é tentar recuperar o atraso agora no segundo semestre e cumprir o cronograma de finalização dos serviços, previstos para outubro do próximo ano. "As chuvas atrapalharam, mas iremos intensificar agora no segundo semestre e pelos nossos cálculos iremos conseguir cumprir o nosso cronograma", completou.

As atividades de supressão vegetal, de terraplenagem, de exploração de jazidas de laterita seguem as recomendações do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) e os Programas de Gestão Ambiental da ACS para as medidas de controle para mitigar os impactos ambientais no meio físico, no meio biótico e no meio socioeconômico. Na supressão vegetal, estão alocadas equipes especializadas nas coletas de germoplasma e da fauna, durante as atividades de desmatamentos.

Atualmente, na área do ACS, a obra dá continuidade aos serviços de terraplenagem e supressão vegetal. No local, também tem viveiro de mudas onde estão sendo cultivadas espécies para serem replantadas.

Onde hoje é apenas um imenso canteiro de obras será o mais moderno complexo de lançamentos do Brasil, com capacidade para realizar lançamentos de foguetes de até 40 metros que é o caso do Cyclone-4, cuja primeira experiência também está prevista para o próximo ano.

A empresa é constituída por quatro conjuntos de construções. No complexo técnico, será o espaço onde o foguete e os satélites serão montados antes do lançamento, o complexo de lançamento, complexo de processamento e a área de armazenamento e o posto de comando, onde ficarão armazenados os propelentes do foguete. Enquanto o Brasil realiza as estruturas físicas, a Ucrânia desenvolve a construção do modelo do foguete. A perspectiva da empresa é que após o lançamento e certificação do foguete, o ritmo de lançamentos chegue a seis por ano em operações comerciais.

Contratações - Até o fim da construção, prevista para outubro de 2012, as contratações devem chegar a mais de mil, entre empregos temporários e fixos. "A quantidade de pessoas trabalhando aqui deve chegar a 1.300 pessoas, isso contando técnicos da empresa e da Ucrânia e a mão de obra contratada. A prioridade será a mão de obra local", explicou o gerente socioambiental Josildo Portela.

As contratações já estão acontecendo, mas devem aumentar após o início dos cursos de capacitação que serão oferecidos em Alcântara, fruto de um convênio entre a ACS e o Ministério do Trabalho. Os cursos serão nas áreas de pedreiro, carpinteiro, armador, eletricista industrial, eletricista predial, pintor e encanador e devem ser iniciados no segundo semestre. "No início de junho, será licitada a instituição que irá oferecer os cursos que irão capacitar pessoas da comunidade alcantarense e são áreas de trabalho que a empresa necessita", contou Josildo Portela.

Na sede da cidade, a economia também começa a se movimentar após a chegada de técnicos do Consórcio ACS. Desde o início das construções, a ACS locou um total de 20 imóveis que chegam a um gasto de R$ 58.200,00 mensais. O comércio local também é prioridade para a empresa binacional, onde são adquiridos materiais elétricos e hidráulicos, limpeza, escritório, infraestrutura de Internet e Televisão, farmácia, material de higiene pessoal, estrutura de lanchonetes e restaurantes, reparos mecânicos, borracharia, reparos elétricos, entre outros.

"Nós temos alguns estabelecimentos cadastrados em Alcântara. Nossa prioridade é sempre o comércio local. Só se não tem em Alcântara é que buscamos de fora. A gente percebe que o comércio local se modificou um pouco para atender. Nós temos 160 pessoas hospedadas em hotéis. A chegada delas já causou uma mudança. Alcântara tem 21 mil habitantes, e a maioria fica nas áreas rurais", frisou Portela.

Além disso, a empresa ainda apóia projetos educativos, a exemplo do "Programa de Educação Patrimonial", idealizado pelo Instituto de Patrimônio Histórico Nacional (Iphan) que será aplicado nas escolas para que os alunos conheçam e valorizem a cidade. Em breve, devem ser iniciadas as atividades do Centro Cultural de Alcântara que funcionará no prédio tombado pelo Patrimônio Histórico, conhecido como Cavalo de Troia. No espaço, deverão funcionar várias atividades voltadas para a população como apresentações teatrais e musicais.

Foguete

A Ucrânia é projetista de 67 tipos de sistemas de satélites e de 12 sistemas de lançamentos espaciais incluindo uma série de mísseis balísticos intercontinentais, dentre eles o SS-18 e a família de VLs: Kosmos, Dnepr, Zenit e Cyclone. Projetou, também, 17 tipos de motores de foguete e sistemas de propulsão de satélites.

O Cyclone-4, que será lançado a partir do sítio no Maranhão, vem de uma série desenvolvida desde 1969 e teve 227 lançamentos, dos quais 222 foram bem-sucedidos, apenas cinco tiveram problemas de inserção de órbita, mas sem nenhum acidente. O Cyclone-4 possui 40 metros de comprimento. Sua construção foi orçada em US$ 50 milhões e hoje ele é o mais avançado veículo da série Cyclone e incorpora mais de 40 anos de desenvolvimento tecnológico.

Mão de Obra Contratada

Alcântara - 75

São Luís - 17

Demais cidades do MA - 17

Outros estados - 60

Total: 167 pessoas

Previsão de contratações até setembro de 2011: 631

Empregos Oferecidos pela ACS

Ajudante de serviços diversos - 234 vagas

Armador - 44 vagas

Carpinteiro - 72 vagas

Eletricista de Manutenção II - 5 vagas

Encarregado de Produção - 43 vagas

Encanador - 2 vagas

Encanador industrial - 1 vaga

Mecânico Industrial - 6 vagas

Mecânico e montador de Estruturas Tubulares - 1 vaga

Montador de Formas Metálicas - 11 vagas

Oficial de Construção Civil-Bivalente - 33 vagas

Oficial Especial de Montagem - 3 vagas

Operador de Bomba de Alta Pressão - 1 vaga

Operador de Bomba de Concreto - 2 vagas

Operador de Caminhão Betoneira - 4 vagas

Operador de Caminhão Leve - 7 vagas

Operador de Central de Concreto - 1 vaga

Operador de Compressor de Ar - 1 vaga

Operador de Esteira Transportadora - 1 vaga

Operador de Guindaste - 1 vaga

Operador de Guindauto - 4 vagas

Operador de Instalação Industrial - 2 vagas

Operador de Retroescavadeira - 26 vagas

Operador de Vibrador de Concreto - 32 vagas

Pedreiro - 71 vagas

Soldador de Armação - 20 vagas

Soldador de Estrutura Metálica - 1 vaga

Soldador de Manutenção - 1 vaga

Torneiro Mecânico - 1 vaga

Total: 631 vagas


Fonte: Jornal O Estado do Maranhão - 29/05/2011 - via Blog Maranhão Maravilha

Comentário: Grande e esclarecedora reportagem da jornalista Bruna Castelo Branco que mais uma vez está de parabéns pelo trabalho realizado. Valeu Bruna. Quanto ao teor da matéria, já era de se esperar que uma obra dessa magnitude movimentasse a economia de toda região, coisa que realmente está acontecendo. Entretanto, lamento profundamente que seja o resultado de uma decisão política irresponsável do humorista LULA em defesa (na época) da sustentação do apoio do PSB no Congresso e não dos reais interesses do povo brasileiro, prejudicando com isso todos os projetos do programa espacial brasileiro em curso desde a sua decisão, especialmente os dos veículos lançadores de satélites. E o pior disso tudo, é que foi em nome de uma tecnologia ultrapassada, altamente tóxica e politicamente e ecologicamente incorreta (motores) e que não prevê qualquer tipo de transferência, indo de encontro até mesmo com a principal diretriz da Estratégia Nacional de Defesa (END) de não realizar acordos que não haja transferência de tecnologia. Em outras palavras, uma grande incoerência sustentada agora pelo governo da presidente DILMA. Lamentável! Aproveito para agradecer ao leitor maranhense Edvaldo Coqueiro o envio dessa matéria.

sábado, 28 de maio de 2011

Debate sobre o Programa Espacial Brasileiro

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota publicada dia (25/05) no jornal informativo “Rapidinha - 14” do Sindicato dos Servidores Públicos Federais na Área de C&T (SindCT) destacando o debate sobre o “Programa Espacial Brasileiro” realizado dia 23/05 no “Auditório Fernando de Mendonça (LIT/INPE)”.

Duda Falcão

Debate sobre o Programa Espacial Brasileiro

Presença maciça de servidores de alto nível foi marca do evento

Informativo Rapidinha
25/05/2011


Em defesa permanente das Instituições INPE e DCTA o SINDCT realizou debate com a comunidade do setor sobre o programa espacial brasileiro, o qual tem sido vítima de ataques das mais diversas formas para concretizar o seu desmonte, conforme vem sendo denunciado há tempos pelo SindCT. O evento foi realizado no auditório Fernando de Mendonça no LIT, que ficou tomado pelos servidores da carreira.

Nos últimos meses, com a posse de Marco Antônio Raupp na presidência da Agência Espacial Brasileira -AEB, e em função de seus inúmeros pronunciamentos e entrevistas Brasil afora, ficou evidenciado que agora o ataque será maciço e constante, em cima do programa espacial. Com o objetivo de debater as ações anunciadas pelo presidente da AEB, além de outras propostas para o setor, foi organizado esse debate que contou com seis especialistas do setor espacial, todos pertencentes ao quadro de servidores do INPE e DCTA/IAE, que garantiram o alto nível das discussões, demonstrando o quão o programa espacial pode ser estratégico para o desenvolvimento e a segurança do Brasil.

A presença de muitos servidores do INPE e IAE foi outro ponto forte do evento. O debate se estendeu por mais de três horas e os presentes permaneceram até o final dos trabalhos, o que revela o grau de interesse e preocupação da comunidade com o atual momento e o futuro do programa espacial.

Dentre os pontos abordados destacaram-se a incoerência da AEB em destinar 16 milhões de reais este ano para a Alcântara Cyclone Space (para desenvolver um foguete ucraniano), contra apenas 5 milhões de reais para o desenvolvimento do nosso foguete, o VLS; a atual estrutura organizacional das instituições do setor (INPE, CTA e AEB), ligada a diferentes ministérios, com uma hierarquia confusa, dificultando ainda mais o desenvolvimento do programa; a escassez de recursos humanos; dentre outros.

Um resumo dos principais pontos discutidos no evento, bem como das propostas apresentadas para o setor serão em breve publicados pelo SindCT como forma de dar continuidade a este debate, envolvendo mais e mais pessoas dos diferentes segmentos da sociedade, consolidando e organizando nossa intervenção na disputa de rumos do programa espacial brasileiro.


Fonte: Jornal Informativo “Rapidinha” do SindCT - pág. 01 - 25/05/2011

Comentário: Gostaria de lembrar ao leitor que a Agência Espacial Brasileira (AEB) é um órgão subordinado ao Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) que por sua vez é subordinado ao poder executivo que é presidido pela sua titular, ou seja, a presidente Dilma Rousseff. Portanto, qualquer decisão como esta absurda de disponibilizar 5 milhões para o VLS e 16 milhões para a ACS (eu não sabia disso e na minha opinião é puramente de ordem política, além de irresponsável) é uma decisão do governo que é simplesmente comunicada a AEB via MCT, que por sua vez repassa os recursos. Sinceramente não acredito que seja uma posição do Rauppjet, que certamente é obrigado a engolir goela abaixo em prol de um bem maior, já que o PEB não se resume ao projeto do VLS, e existe muita coisa que precisa ser feita ainda, como as citadas na própria nota acima.

Vol 03 - Número 01 da JATM Já Está Disponível Online

Olá leitor!

Informo que a versão online do Volume 3 - número 1 (Jan - Abr. de 2011) do “Journal of Aerospace Technology and Management (JATM)”, já está a disposição e pode ser acessado pelo site www.jatm.com.br.

Essa revista é uma publicação cientifica e tecnológica editada pelo Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) a cada quatro meses com artigos que são selecionados por uma comissão composta por pesquisadores do IAE e membros da Comunidade Científica Brasileira.

A revista tem como objetivo principal divulgar os resultados de pesquisas científicas e tecnológicas relacionadas com o setor aeroespacial no país, como também promover uma fonte adicional de interação e difusão com a comunidade científica. Bom divertimento.

Duda Falcão


Fonte: Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE)

UFMA Contribui para Programa Espacial do Brasil

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada dia (27/05) no site da “Universidade Federal do Maranhão (UFMA)” destacando que essa universidade tem contribuído para o desenvolvimento do Programa Espacial Brasileiro.

Duda Falcão

UFMA NOTÍCIAS

UFMA Contribui para
Programa Espacial do Brasil

E participa do Lançamento de foguete - FTI no CLA.
O vice-reitor, Antonio José Silva Oliveira que foi professor
do chefe de operações, esteve no evento

Ascom/Vice-Reitoria
27/05 - 17h17

Na tarde desta sexta, 27, ocorreu o segundo Lançamento do Foguete de Treinamento Intermediário (FTI)no Centro de Lançamento de Alcântara - CLA, no Maranhão. A nave alcançou seu apogeu nos céus do Estado com uma altura vertical de 64.729m, percorrendo 53.027m em distância horizontal, com o tempo de 240,347, ou seja, (quatro minutos e trinta e quatro segundos).

A operação Fogtrein I 2011 teve ontem seu primeiro lançamento prejudicado, com este tipo de foguete. Hoje,no segundo dia, a contagem regressiva, após algumas breves interrupções, teve sucesso às 14:15h o que foi comemorado por toda a equipe que assistiu o lançamento.

Na avaliação do cientista e físico Prof.Dr. José Oliveira, vice-reitor da UFMA, o lançamento do FTI representa o reinício da corrida espacial brasileira, e destaca: o foguete de treinamento intermediário já pode ser considerado produto industrial. Poderá ser comercializado para o mundo e a UFMA tem contribuído significativamente para os avanços do Programa Espacial do Brasil. Participaram ainda diversos estudantes da pós de Eng. Elétrica UFMA, que fazem parte da operação.

O Chefe de Operação do Lançamento e ex-aluno da UFMA, Carlos Alberto Silva, destacou que o Mestrado e o Doutorado em Engenharia Elétrica, da Universidade Federal do Maranhão, tem capacitado ainda docentes de São José dos Campos/SP e ministra cursos para a equipe de engenheiros do Centro de Lançamento de Alcântara.



Fonte: Site da Universidade Federal do Maranhão (UFMA)

Comentário: Fico contente de saber do envolvimento da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) com o Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) e com o PEB, e espero que a Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) também siga o mesmo caminho, como já ocorre no Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI) com a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e outras instituições da região. Desconhecia esse envolvimento e parabenizo o reitor da UFMA, Prof.Dr. José Oliveira, por esse trabalho que vem realizando e torço para que o mesmo possa desenvolve-se cada vez mais, ousando inclusive no desenvolvimento do primeiro satélite universitário maranhense numa iniciativa própria ou em parceria com a UEMA e outras instituições do Maranhão. Esse envolvimento de universidades brasileiras (UFMA, UFRN, UFPE, UFABC, UnB, UFMG, UFSM, UFSC, UNICAMP, UFRJ, UNIVAP, UNESP, UFJF, PUC Minas, USP, FEI, FIAP além do ITA) com atividades espaciais é de suma importância para o desenvolvimento de tecnologias e pesquisas espaciais no país e principalmente na formação de profissionais para este setor. O governo da presidente DILMA precisa acordar e estimular esse movimento universitário para que este importante setor da ciência e tecnologia do Brasil possa dar o salto necessário nos próximos anos.