sexta-feira, 16 de julho de 2010

VLS Alfa e o Programa Cruzeiro do Sul - Novidades

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (16/07) no blog “Panorama Espacial” do companheiro jornalista André Mileski informando que o ante-projeto do foguete VLS-Alfa do programa Cruzeiro do Sul, deve ser entregue ao Brasil por institutos e empresas da Rússia no próximo mês de agosto.

Duda Falcão

Programa Cruzeiro do Sul: Ante-Projeto do Alfa

16/07/2010

Segundo informações apuradas pelo blog, o ante-projeto do Alfa, primeiro foguete do programa Cruzeiro do Sul, deve deve ser entregue por institutos e empresas da Rússia contratadas para esse fim no próximo mês de agosto. A entrega sofreu atrasos em razão de problemas com licenças de exportação, uma vez que o mesmo possui informações e dados técnicos bastante sensíveis e duais. Os relatórios do ante-projeto analisam configurações do lançador de pequeno porte, com diferentes modelos de propulsores.

Criado em outubro de 2005, o programa Cruzeiro do Sul, bastante conceitual, busca dotar o Brasil de uma família de lançadores espaciais de pequeno, médio e grande portes. É tocado pelo Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA). O programa prossegue, mas bem lentamente, com alguns estudos e atividades sendo desenvolvidos, oriundos de decisões passadas.

Nos bastidores, comenta-se que haveria uma crescente insatisfação no governo com a parceria russa na área aeroespacial e de defesa, que não estaria alinhada com os objetivos descritos na Estratégia Nacional de Defesa. No início de 2008, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, chegou a afirmar que a Rússia estava mais interessada em vender equipamentos do que estabelecer parcerias ou implementar acordos de transferência de tecnologia. Esta teria, aliás, sido uma das motivações para a exclusão.

Fonte: Blog “Panorama Espacial“ - André Mileski

Comentário: Não sei até que ponto essa notícia que o companheiro André Mileski nos trás é boa, já que as incertezas quanto ao acordo assinado com os russos (voltamos a insistir, a maior potência espacial do planeta) só aumentam, como o leitor pode notar na visão pró-França do ministro Nelson Jobim e do presidente Lula. Não acredito sinceramente que os russos tenham criado qualquer problema, afinal eles têm ajudado no desenvolvimento de vários programas espaciais através do mundo como o chinês e mais recentemente o sul-coreano, sem qualquer problema de convivência. Muito provavelmente a insatisfação que existe deve ter sido gerada pelo governo brasileiro com decisões inconseqüentes e pela falta de foco e comprometimento com o acordo, o que obviamente só poderia gerar com isso algumas retaliações de sua contraparte russa. Sinceramente temo pelo que possa acontecer até o final de ano antes da mudança de governo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário